Robério Canto

Escrevivendo

No estilo “caminhando contra o vento”, o professor Robério Canto vai “vivendo e Escrevivendo” causos cotidianos, com uma generosa pitada de bom humor. Membro da Academia Friburguense de Letras, imortal desde criancinha.

27/12/2017

Jorge Amado consumia dois litros por livro. Pra livro de safadeza, então, a dose era dobrada

Leia mais
20/12/2017

Me ponho a imaginar um lugar perfeito para se viver o Natal

O homem na mesa em frente fala do Natal, mas é como se falasse do Carnaval, do Bumba-Meu-Boi ou da decisão do Campeonato Brasileiro de futebol. De suas palavras nasce uma festa pagã, regada a cerveja e cheia de embrulhos. Em seus olhos, não brilha a estrela-guia, brilham lâmpadas coloridas, espetadas numa árvore artificial, vergada ao peso de tantos, muitos penduricalhos. No lugar da manjedoura, a churrasqueira já está acesa para o Ano-Novo.  

Leia mais
13/12/2017

Tem Jesus demais, queridinha.

Trata-se de uma reunião de pais e professores, mas não tem nem uma coisa nem outra. Presentes as professoras, a diretora e - mistérios da maternidade! - 56 mães, o que dá 1,8 mãe para cada criança da turma. A estas, somam-se uma avó e uma garota de 16 anos, ambas representando as verdadeiras progenitoras. A diretora abre a sessão, lembrando a pauta do dia: organizar a festa de encerramento do ano letivo.

- Nossa ideia é fazer uma encenação de Natal, com as próprias crianças formando o presépio.

Uma das mães levanta o dedo:

Leia mais
06/12/2017

Realmente o que eu aprendia no colégio não enchia tanto a minha cabeça que me impedisse de pensar nas coisas realmente importantes da vida

Leia mais
30/11/2017

Tem um deputado por aí que saiu diretamente da cadeia para a presidência da assembleia estadual

Leia mais
22/11/2017

Não lhe faltando com o respeito, não, mas eu pensava que o senhor era muito menos queimado

Nesses tempos politicamente corretos, em que até Monteiro Lobato andou ameaçado de ser expulso das escolas brasileiras por causa de Tia Nastácia, a gente tem que usar as palavras com cuidado ainda maior. Se você quiser identificar uma pessoa da qual seu interlocutor não se lembre, e cuja característica mais visível seja a cor, pode tentar várias explicações:

- Ele trabalha no Hotel Paraíso.

- Um sujeito que outro dia eu te apresentei na fila do banco.

Leia mais
15/11/2017

O comentário começara na modesta repartição, talvez já circulasse nas altas esferas do governo municipal

Leia mais
08/11/2017

Sobre ele nada mais pesa. Leve é a mão dos anjos

Serenou este meu amigo e, dentre todos os que o conheceram e amaram, a vida me escolheu para vê-lo em primeiro lugar, assim sereno e descansado. A vida ou a morte, mais provavelmente ambas, tão juntas e unidas andam essas duas fadas madrinhas do nosso destino.

Leia mais
01/11/2017

É a poesia juntando a imprecisão da linguagem à imprecisão da vida.

Leia mais
25/10/2017

E nem adianta querermos nos vingar, dizendo que mulher não fica velha, fica loura

Leia mais