Paula Farsoun

Com a palavra...

Paula é uma jovem friburguense, advogada, escritora e apaixonada desde sempre pela arte de escrever e o mundo dos livros. Ama família, flores e café e tem um olhar otimista voltado para o ser humano e suas relações, prerrogativas e experiências.

18/10/2019

Muito se tem falado sobre o empoderamento feminino. Particularmente, bato palmas sempre que me deparo com o raciocínio bem construído de quem percebeu que nós, mulheres, temos e somos a força, o poder e a vida. Temos e somos a resistência e a resiliência. Rendo-me à salva de palmas. Mas solto fogos mentalmente quando percebo que o ser que habita esse corpo feminino é essa mulher para além de todo o discurso. Essa que vive a tentar equilibrar os muitos pratos da vida em suas duas mãos femininas.

Leia mais
11/10/2019

Há dias em que a força nos foge. Sentimo-nos, como diz o ditado popular, “Saco vazio que não para em pé”, mesmo tendo nos alimentado. É incrível como nos dias de exaustão os pensamentos escondidos aparecem. Lembramo-nos de cuidar da saúde, valorizamos mais do que nunca uma boa noite de sono, repensamos a qualidade de nossas atividades e pensamos em como damos conta.

Leia mais
04/10/2019

O poder de um bom exemplo é inestimável, sobretudo quando advém de um fluxo sincero de querer bem, de fazer o bem. Por muitas razões. Fomenta uma esperança de dias melhores. Relembra que ainda há o bem despretensioso entre nós. Que podemos nos salvar uns aos outros. Não sei se acontece com vocês, mas por vezes, quando me sinto parte dessa onda positiva, chego a me emocionar. Como se não fosse possível. Ou pela raridade que consigo perceber.

Leia mais
27/09/2019

Como começar um texto? Às vezes é muito simples, outras, nem tanto. Depende do pensamento que te inspira a compilar esse emaranhado de ideias em algumas palavras. Hoje fiquei refletindo sobre a linguagem, os idiomas diferentes e sua possível interferência no modo de sentir das pessoas.

Leia mais
20/09/2019

Aprendi que devemos apreciar o belo sempre, em toda em qualquer circunstância e contexto. Aprendi também que o próprio conceito de belo transcende o seu significado. Sempre associei a verdadeira beleza às flores. Desde muito cedo, ensinaram-me a contemplar as coisas da natureza. Aprendi com minha mãe. Ela é capaz de acompanhar o movimento de uma formiguinha, o brotar de uma flor, os passos do passarinho filhote na grama e a expectativa do seu voo. Ela sempre foi capaz de vibrar pelo seu voo. Ela sabe quando a mãe dele está por perto e entende como se relacionam.

Leia mais
13/09/2019

Aquele frio na barriga, palpitação, pensamentos voando, respiração mais curta. Nessa hora, bate uma agitação interna, por vezes um excesso de empolgação. Quem está prestes a chegar é a “mudança”. Mudança em algo da vida, por vezes, vem de surpresa, chega mostrando a que veio, imponente, avassaladora.  Outras vezes, chega de mansinho, vai se acomodando, conquistando espaço, se esparramando pelo sofá da vida e quando menos percebemos, nos deparamos com ela e encaramos sua presença. Mas nem só de surpresa chegam as mudanças. De certo, muitas mandam notificação prévia.

Leia mais
06/09/2019

Disseram-me que prazos são uma "coisa chata". Que melhor seria viver sem tê-los, sem cumpri-los, sem que sequer existissem. De certo, concordei. Liberdade, pensei. Fazer o que quiser, da forma como pretender, no momento que entender adequado. Mas em sequência, retruquei: teríamos maturidade e responsabilidade suficientes para convivermos em uma sociedade moderna dessa maneira?

Leia mais
30/08/2019

Abaixe o dedo e não abaixe a cabeça. Guardemos em bom lugar nossos dedos apontados para os outros. Que mania essa nossa de julgarmos a tudo e a todos o tempo todo. Não nos ensinaram que não devemos julgar, levantar falsos testemunhos? Não aprendemos a lição?

Leia mais
23/08/2019

Hoje não conseguirei falar de amor. Por mais que o repertório do otimismo seja farto, hoje não vai dar. Porque a Amazônia chora. E junto com ela, choro eu, choram os índios, choram os animais, chora a vegetação, as florestas, choram as pessoas, o meio ambiente e o mundo todo.

Leia mais
16/08/2019

De conselheiros o mundo está cheio. Há conselhos para tudo. Ouvimos as diretrizes alheias mesmo quando não pedimos opiniões nem estamos interessados em sabê-las. É como um processo natural do ser humano. Falamos muito sobre nossa visão sobre determinado assunto ainda que não sejamos instados a dizê-los. Aos poucos, vamos perdendo nossa capacidade de simplesmente ouvir. E quanto mais maturidade (idade) vamos conquistando, mais conhecedores das verdades pensamos que somos. E muitas vezes, somos.

Leia mais