Robério Canto

Escrevivendo

No estilo “caminhando contra o vento”, o professor Robério Canto vai “vivendo e Escrevivendo” causos cotidianos, com uma generosa pitada de bom humor. Membro da Academia Friburguense de Letras, imortal desde criancinha.

21/03/2018

Há pessoas que se deixam vergar pelo peso de uma pena, enquanto outras sofrem as mais duras penas e tocam em frente

Leia mais
14/03/2018

Já está mais do que na hora de darmos aos acontecimentos o seu justo peso e valor

Leia mais
07/03/2018

Eu, se fosse médico, consultava a mãe do paciente antes de tomar qualquer decisão

As mães têm sempre razão. Para não exagerar, porque toda generalização é perigosa, direi que as mães têm razão em 99,9% das vezes. Pelas minhas contas, qualquer mãe tem que dar 10.000 opiniões para errar uma. Melhor que isso, só Deus, que nunca erra. Verdade que criou o homem, mas se redimiu, criando a mulher logo em seguida. Parece que consta das Escrituras que, tendo feito Adão, Deus olhou bem e falou: “Eu posso fazer coisa melhor”. Então criou Eva.

Leia mais
28/02/2018

Sim, só pobre é que vai buscar pessoalmente, desde saco de cimento a vale refeição

Acabo de ser informado de que três americanos, os senhores Jeff Bezos, Bill Gates e Warren Buffett possuem uma fortuna que corresponde à grana de 160 milhões de pessoas. Ou seja, são mais ou menos ricos, donos da insignificância de 234 bilhões de dólares. Se fosse em real, já seria um dinheirinho razoável, mas, além de muito, é em dólar.

Leia mais
21/02/2018

Com Logro, mas sem engano

Lançamento de candidatura do Partido dos Filhos da Pátria ao senado, em 2012.

Senhores.

Leia mais
07/02/2018

Os trens brasileiros nunca tiveram a boa formação moral e pontual de seus irmãos estrangeiros

- Trem?! Apaixonado por trem?!

Leia mais
27/12/2017

Jorge Amado consumia dois litros por livro. Pra livro de safadeza, então, a dose era dobrada

Leia mais
20/12/2017

Me ponho a imaginar um lugar perfeito para se viver o Natal

O homem na mesa em frente fala do Natal, mas é como se falasse do Carnaval, do Bumba-Meu-Boi ou da decisão do Campeonato Brasileiro de futebol. De suas palavras nasce uma festa pagã, regada a cerveja e cheia de embrulhos. Em seus olhos, não brilha a estrela-guia, brilham lâmpadas coloridas, espetadas numa árvore artificial, vergada ao peso de tantos, muitos penduricalhos. No lugar da manjedoura, a churrasqueira já está acesa para o Ano-Novo.  

Leia mais
13/12/2017

Tem Jesus demais, queridinha.

Trata-se de uma reunião de pais e professores, mas não tem nem uma coisa nem outra. Presentes as professoras, a diretora e - mistérios da maternidade! - 56 mães, o que dá 1,8 mãe para cada criança da turma. A estas, somam-se uma avó e uma garota de 16 anos, ambas representando as verdadeiras progenitoras. A diretora abre a sessão, lembrando a pauta do dia: organizar a festa de encerramento do ano letivo.

- Nossa ideia é fazer uma encenação de Natal, com as próprias crianças formando o presépio.

Uma das mães levanta o dedo:

Leia mais
06/12/2017

Realmente o que eu aprendia no colégio não enchia tanto a minha cabeça que me impedisse de pensar nas coisas realmente importantes da vida

Leia mais