Tereza Malcher

Tereza Cristina Malcher Campitelli

Momentos Literários

Tereza Malcher é mestre em educação pela PUC-Rio, escritora de livros infantojuvenis, presidente da Academia Friburguense de Letras e ganhadora, em 2014, do Prêmio OFF Flip de Literatura.

07/10/2019

Quando Shakespeare nasceu? Em nosso tempo ou há mais de quatro séculos atrás, em 1564. Pela sua atualidade, originalidade e capacidade intelectual brilhante podemos até dizer que ele está além do nosso tempo. 

Leia mais
01/10/2019

A literatura tem uma modernidade exuberante porque é a vida contada, recriada e comentada. Rapidamente, consegue nos colocar contra a parede e lançar por terra alguns conceitos que conservamos como verdadeiros.

Leia mais
23/09/2019

O Clube de Leitura Vivências, organizado por Márcia Lobosco, que acontece todas as terças-feiras, na Academia Friburguense de Letras, nos ofereceu uma experiência enriquecedora com a leitura de “Uma furtiva lágrima”, da acadêmica Nélida Piñon. O livro reúne textos através dos quais a autora se debruça sobre seu extraordinário passado, mostrando os meandros e as reticências da sua alma em detalhes. 

Leia mais
16/09/2019

   

Leia mais
09/09/2019

Esta semana houve um ato de censura na bienal do livro, quando um
grupo de fiscais da Secretaria Municipal da Ordem Pública recolheu livros que
tratavam de temas ligados à homossexualidade. Este ato me provocou
algumas reflexões.
A primeira delas e a mais relevante é que a literatura, enquanto arte da
palavra, revela a vida em todos seus âmbitos com a finalidade de mostrar fatos,
sensibilizar o leitor, apontar questões a serem refletidas. Em dois seminários
que fiz na UFRJ há alguns anos, percebi que o ponto de partida literário é o

Leia mais
03/09/2019

Participei da Festa Literária de Maria Madalena de 2019 e assisti a palestra da autora homenageada, a escritora e acadêmica Nélida Piñon, aos alunos e professores das escolas públicas da cidade, como também a conversa da escritora Ana Beatriz Manier sobre seu livro Te ajudarei a ir se quiseres, dinamizada pela psicóloga e psicanalista Ester Satille. No dia seguinte, ainda li o livro lançado na FLIM, Um pé de sonho, da contadora de história Marisa Maia de Melo.

Leia mais
26/08/2019

É pior do que mordida em bolo de chocolate quando a pessoa não consegue evitar de comer mais uma fatia, depois mais uma garfada e assim vai, de pedaço em pedaço, devorando o bolo inteiro, sentindo uma felicidade enorme. Isso também acontece com as histórias, contadas através de séries ou novelas, que pegam o espectador de um tal jeito que só consegue parar de assisti-las quando terminam. 

Leia mais
19/08/2019

Presentear é uma arte delicada e milenar. Não se deve presentear por ímpeto, nem baseado no gosto pessoal de quem presenteia. É necessário sentir o outro em seus gostos e expectativas, saber da sua história e compreender seus sonhos. Uma cafeteira pode ser mais significativa do que uma caneta dourada para uma pessoa e, de modo contrário, para outra. Presenteia-se por vários motivos e em datas diversas, dependendo do encontro afetivo que o presenteador quer estabelecer com o presenteado.

Leia mais
05/08/2019

O aplicativo Netflix ganhou a atenção do planeta porque todos nós gostamos de cinema e de acompanhar a sequência de histórias, como acontece nas novelas. Talvez porque estamos mergulhados na realidade existencial e queremos de ter contato com o desencadeamento de fatos que não protagonizamos, escutando narrativas de pessoas ou assistindo filmes e séries.

Leia mais
29/07/2019

Nesta quinta-feira, 25 de julho de 2019, o céu está desenhado com esparsas nuvens brancas, que vagabundeiam num azul profundo e silencioso, como observou Rubem Braga, certa vez, deitado em sua rede. O céu dele era o de Ipanema, e o meu, agora, é o de Nova Friburgo. Tal vagar inspira-me ainda mais para escrever a respeito do dia de quem escreve, até porque é justo fazer uma reverência a um trabalhador que tem como profissão o uso da palavra. Acredito que esteja na palavra o maior poder existente no mundo.

Leia mais