Elizabeth Souza Cruz

Elizabeth Souza Cruz

Surpresas de Viagem

A jornalista-poeta-escritora-trovadora-caçadora de cometas Elisabeth Sousa Cruz divide com os leitores, todas as terças, suas impressões a bordo do que ela carinhosamente chama de “Estação Caderno Light”, na coluna Surpresas de Viagem.

08/10/2019

Iniciamos nossa viagem tendo como guia aquele Francisco, o de Assis, que precisa morar dentro de nós. Em 4 de outubro celebra-se o seu dia, mas, que ele nos acompanhe durante todos dias do ano. Ele, que deixou a vida mundana, de prazeres e orgias, “foi ser pobre na vida”. Aí, sim, São Francisco descobriu sua riqueza: ser “irmão do sol, das águas, das estrelas e dos animais”. Ser assim parente da natureza é dever de todos nós, porque fazemos parte da grande família universal.

Leia mais
01/10/2019

Com um Guilherme Alt mais leve, com menos de 32 quilos, vamos engordar nossos anseios, porque o Caderno Z deste fim de semana criou desejos. Não sendo um agente publicitário, mesmo assim, já despertou a necessidade de mandar para dentro uma dessas delícias da “Hamburgueria Nagrelha” - o hambúrguer que começou em grelha de churrasqueira. É interessante conhecer a receita do sucesso do empreendimento: coragem e pé na tábua. Era tão primário, que o primeiro motoboy “nem era entregador”. Hoje são sete profissionais que fazem as entregas. A equipe inicial era com cinco pessoas.

Leia mais
24/09/2019

Vamos percorrer os caminhos do Caderno Z ao som de “As Rosas não falam”. Mas quem disse que elas não falam, ilustre mestre Cartola? As rosas estão aí, falando por meio da sensibilidade de seus matizes e perfumes. É o “tempo de flores, cheiros, cores, abelhas e borboletas”. É, finalmente, a primavera! “Os animais e as plantas tendem a sair de um estado de hibernação...” e nós também vamos deixando os agasalhos nos cabides e nos deliciando com a beleza da natureza.

Leia mais
17/09/2019

O Caderno Z vem festejar o Dia Nacional do Musicoterapeuta, 15 de setembro, trazendo-nos uma edição que “soa como música para os nossos ouvidos”. Não foi sem razão que o filósofo Arthur Schopenhauer elegeu a música como a soberana das artes, capaz de libertar o homem para um estado de contemplação e atingir o sublime. Rubem Alves, bem lembrado por Ana Borges, não se tornou um pianista, como fora o seu sonho, mas nos tocou “Na morada das palavras”, dando à música a capacidade de até nos fazer “retornar a um passado que nunca aconteceu”.

Leia mais
03/09/2019

Nada como festejar o Dia do Nutricionista, 31 de agosto, com esses profissionais que sabem tudo de bom para a saúde da gente. É a certeza de uma comemoração saudável. ‘Descascar mais e desembalar menos” é o cardápio do Caderno Z, trazendo um encarte que eu vou deixar em local de destaque para consultas diárias, já que “em cada fase da vida há uma demanda nutricional diferente”. Se “a base da longevidade e saúde é o que ingerimos”, então, vamos seguir a doutora Juliana Monnerat: “Não existe fórmula mágica, o que precisamos aceitar é que a nutrição precisa ser individual”.

Leia mais
27/08/2019

Mais uma vez o Caderno Z me leva para as ruas da infância, no bairro da Filó. Posso dizer que aquela, sim, era uma infância feliz: crianças brincando na rua, sem qualquer perigo. O pediatra Daniel Becker daria nota dez para o meu passado infantil, pois é ele quem alerta: “...uma criança precisa se expandir, precisa correr, pular, brincar...”. É fundamental, pois, no entender de Becker, “a brincadeira prepara a pessoa do futuro”. Deve ser por essa razão que, quando lidamos com alguém muito “carrancudo”, logo dizemos: fulano parece que não teve infância! Esse fenômeno está explicado.

Leia mais
20/08/2019

O Caderno Z veio pedalando emoções para festejarmos o Dia Nacional do Ciclista, celebrado ontem, 19. Quando se fala em tempo antigo das bicicletas em Nova Friburgo, lembro-me da Filó e da movimentação dos operários chegando para mais um dia de batente. A fábrica dispunha de local para as bicicletas e era bonito o cortejo dos pedais, tanto no início, quanto no fim da jornada. A foto de Layse Ventura Coutinho é admirável, pois como as moças andavam bem vestidas até para um passeio ciclístico.

Leia mais
13/08/2019

Com uma ponta de lágrima querendo escorrer no canto do olho, eu vou sentindo saudades de papai. O Caderno Z é responsável pelas emoções matinais, provocando um turbilhão de afetividades para festejar o Dia dos Pais. Quando eu falava: Pai, ainda não comprei o seu presente! Ele me respondia: - Deixa de ser boba, o meu presente é você! Aí que eu ficava mais boba ainda. Ana Borges tem razão e bem lembrou a canção: “É assim mesmo, esse amor que não se pede, que não se mede nem se repete”.

Leia mais
06/08/2019

Atabaque, berimbau e um agogô. É assim, no bom gingado, que nós festejamos a data 3 de agosto,  Dia do Capoeirista. O Caderno Z é mestre em descobrir essas comemorações. Sendo um esporte cheio de ginga, os benefícios que produz são inúmeros: consciência corporal, resistência, criatividade, controle e flexibilidade. A capoeira era proibida no Brasil até meados do século 20 devido a ser considerada “perigosa e sua prática um crime”. Hoje seria um crime, sim, deixar de praticá-la, tamanho o fascínio que ela desenvolve na elasticidade corporal dos atletas e a disciplina para jogar.

Leia mais
30/07/2019

Mais uma data festiva no Caderno Z – 26 de julho, Dia dos Avós. Nossa diretora, Adriana Ventura, dissertou brilhantemente “Sobre ser avó”, ressaltando: “Não sei fazer tricô, tampouco crochê, mas sei contar histórias e sentar no chão”. Na verdade, ela sabe bem mais sobre “esse amor que nasce desde o primeiro olhar, o primeiro colo”. É assim que nós rejuvenescemos com os nossos netos e nos inteiramos do mundo infantil novamente. E agora com muito mais facilidade pelas tecnologias que dispõem filmes, desenhos, músicas a qualquer momento que se queira uma diversão.

Leia mais