Janaína Botelho

Janaína Botelho

História e Memória

A professora e autora Janaína Botelho assina História e Memória de Nova Friburgo, todas as quintas, onde divide com os leitores de AVS os resultados de sua intensa pesquisa sobre os costumes e comportamentos da cidade e região desde o século XVIII.

18/04/2019

No passado, o distrito de Amparo fora anexado ao município vizinho de Bom Jardim. No entanto, no ano de 1911, por pressão da população local, conseguiu-se reverter a situação e tornar a pertencer a Nova Friburgo. No início do século 20, Amparo produzia café, milho, feijão, cana de açúcar, mandioca e diversos tipos de legumes. Paulatinamente foram sendo introduzidas a fruticultura e a floricultura. Porém, na década de 1960, ocorreu um significativo êxodo rural e Campo do Coelho passou a ser o mais importante distrito agrícola de Nova Friburgo.

Leia mais
11/04/2019

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, por meio do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, ajuizou uma ação civil pública de proteção e recuperação do patrimônio histórico-cultural contra a Associação Friburguense de Amigos e Pais do Educando (Afape) e o município de Nova Friburgo. Um inquérito civil foi instaurado para apurar as condutas dos réus passíveis de responsabilização por danos ao palacete histórico da Vila Amélia, tombado provisoriamente.

Leia mais
04/04/2019

Nascida em 11 de maio de 1902, no Rio de Janeiro, Balduína de Oliveira Sayão, a Bidu Sayão, foi uma das mais célebres cantoras líricas do século 20. Era bisneta da imigrante Marianne Joseph, colona suíça que veio para Nova Friburgo no princípio do século 19. A sua formação se inicia com aulas de solfejo e impostação de voz. Aos 17 anos fez a sua estreia em Roma, com a ópera “O Barbeiro de Sevilha”, estando Mussolini presente nessa apresentação.

Leia mais
28/03/2019

Manoel Pereira Leite, o Lilito, era filho dos imigrantes portugueses Domingos José Leite e Filomena Pereira Leite que vieram de Trás dos Montes e se estabeleceram em Nova Friburgo. Nascido em 3 de dezembro de 1908, tinha 14 anos quando o Partido Comunista surgiu no Brasil e 21 anos quando, em 1929, o partido passou a ter representação em Nova Friburgo. O que dizer de Lilito, o carismático comunista da cidade serrana?

Leia mais
21/03/2019

No final do século 18, Mão de Luva e seu bando se deslocaram para os Sertões do Macacu, hoje Centro-Norte fluminense, para explorar o ouro de aluvião. Manoel Henriques, o Mão de Luva, nasceu na Freguesia de Santo Antônio de Ouro Branco, Bispado de Mariana, em Minas Gerais. Seu banho matrimonial, como era denominado o casamento naquela época, foi com Maria da Silva com quem teve filhos.

Leia mais
14/03/2019

No final do século 18, Mão de Luva e seu bando se deslocaram da Zona da Mata Mineira para os Sertões do Macacu, no Centro-Norte fluminense, para explorar, clandestinamente, o ouro de aluvião. Foram garimpando ouro nos rios e córregos da região por vários anos até serem presos pelas tropas do vice-rei de Portugal. No entanto, como determinado comportamento de Mão de Luva foi reconhecido como herético, iniciou-se em 1781, uma instrução pelo Tribunal de Inquisição de Lisboa, por crimes de heresia e apostasia.

Leia mais
07/03/2019

Em 25 de janeiro de 1924, Riograndina foi desmembrada do primeiro distrito, sede de Nova Friburgo, com o nome de Estação do Rio Grande. No entanto, não se sabe por que motivo esse nome não agradava. Em razão disso, no ano de 1943, o prefeito interventor Dante Laginestra realizou uma reunião com os moradores para dar outro nome à localidade. De acordo com a memória oral, Artur Pereira Borges sugeriu o nome de Bica do Conde, em homenagem ao Conde de Nova Friburgo. Outra proposta foi que chamasse a região de Rio de Baixo.

Leia mais
28/02/2019

O carnaval de Nova Friburgo demarcava posições sociais e estabelecia territórios, fazendo emergir ao mesmo tempo e no mesmo espaço realidades distintas e comportamentos bem diversos. Enquanto a elite buscava o estilo europeizado, inspirada na commedia dell’arte, o carnaval de Friburgo ainda trazia resquícios da festa colonial, com seu retumbante zé-pereira, que consistia no batuque de bumbos atroadores, e os temerosos entrudos, que tanto chocavam os arautos da civilidade.

Leia mais
21/02/2019

No final do século 18, os sertões do Vale do Rio Macacu passam a ser explorados pelo homem migrante branco, em razão do esgotamento das reservas de ouro da Capitania de Minas Gerais. Tiram o sono refrescante da floresta e a paz das tribos indígenas que ali habitavam, como os coroados e os puris.

Leia mais
14/02/2019

O Rio Paraíba do Sul nasce ao sul da Serra da Bocaina e da Mantiqueira, no estado de São Paulo e deságua no oceano Atlântico, na localidade de Atafona, em São João da Barra, no estado do Rio de Janeiro. Ocupando um bioma marcado pela Mata Atlântica, percorre um total de 55.300 km², sendo que sua bacia drena 24% das terras paulistas (13.272 km2), 39% das terras fluminenses (21.567 km2) e 37% das mineiras(20.461 km2). Localizado entre os maiores centros urbano-industriais do país, abriga uma alta biodiversidade que está sendo ameaçada.

Leia mais