Janaína Botelho

Janaína Botelho

História e Memória

A professora e autora Janaína Botelho assina História e Memória de Nova Friburgo, todas as quintas, onde divide com os leitores de AVS os resultados de sua intensa pesquisa sobre os costumes e comportamentos da cidade e região desde o século XVIII.

17/05/2018

Ontem, 16, foi dia de festa. O desfile do bicentenário foi roteirizado pelo jornalista e teatrólogo David Massena, dividido em cinco atos. Instituições, associações, estabelecimentos de ensino e grupos artísticos representaram os principais acontecimentos a cada período de 50 anos, nos dois séculos da história de Nova Friburgo.

Leia mais
10/05/2018

O Morro Queimado está em festa. Celebra o bicentenário do acordo entre o Reino de Portugal, Brasil e Algarves e a Confederação Helvética, atualmente a Suíça. Na realidade, o bicentenário deveria ser comemorado em 3 de janeiro de 2020, e não em 2018, e vou explicar o porquê. A data de 16 de maio de 1818, foi quando Dom João VI assinou o acordo de imigração estabelecendo as condições para a recepção de colonos suíços no reino do Brasil.

Leia mais
03/05/2018

Na terceira geração, o declínio

A industrialização brasileira é tardia. Somente em 1945, a indústria nacional irá superar a agropecuária como a principal atividade da economia. O meio urbano até a década de 1920, concentrava apenas 20% da população brasileira. Os setores agrários acusavam a indústria de desviar braços do campo para as suas atividades. Em Nova Friburgo ocorreu o esvaziamento do distrito agrícola de Amparo para o centro da cidade, pois uma nova geração queria trabalhar nas indústrias.

Leia mais
26/04/2018

Um bairro surge ao redor da fábrica

Um bairro surgiu ao redor da fábrica, o bairro Ypu, outrora Sítio Ypu de propriedade de Maximilian Falck. Aumentou o número de residências ao seu redor, o comércio se ampliou e se diversificou. Tudo girava em torno da fábrica. Em 1938, a Fábrica Ypu se transformou em sociedade anônima aumentando o número de operários. Diversas ações foram realizadas e a fábrica passou a ser não apenas um local de trabalho, mas igualmente um espaço de sociabilidade.

Leia mais
19/04/2018

Emil Cleff, o rei do galão

Leia mais
12/04/2018

Um galpão no Sítio Ypu

Inicialmente gostaria de esclarecer que todos os três artigos sobre a Fábrica Ypu têm como fonte tão somente o depoimento de Brigitte Madeleine Schultz, da família Pockstaller e do memorialista Décio Monteiro Soares, no livro “Terra Friburguense”. Quem sabe essas notas estimulem pesquisadores a se debruçarem sobre fontes primárias e através da análise de uma documentação, e com rigor científico, demonstrem como as indústrias mudaram a história de Nova Friburgo.

Leia mais
05/04/2018

No princípio do século 20, as indústrias de empresários alemães que se instalaram em Nova Friburgo eram todas do ramo têxtil. Produziam ligas, suspensórios e passamanarias de um modo geral. Hans Gaiser foi o precursor da indústria metal mecânica no município com a produção de componentes para a construção civil. Em 1937, abriu a empresa Ferragens Haga fabricando chave, trinco, lingueta, gonzo e tranqueta. Em 1946, tal foi o seu crescimento que a Ferragens Haga se transformou em uma sociedade anônima passando para a razão social Ferragens Haga S.A.

Leia mais
29/03/2018

No início do século 20, a Europa se recuperava dos impactos da Primeira Guerra Mundial. Nesse contexto, a Alemanha vivia uma crise econômica sem precedentes em sua história. Hans Gaiser, nascido em 28 de fevereiro de 1897, em meio a toda essa turbulência, emigra para o Brasil em 1923, acompanhado da esposa Selma Gaiser. Engenheiro especializado em hidroelétrica e cálculo estrutural começa a prestar serviços na Usina hidroelétrica do Catete, na construção de pontes, pavimentação de estradas, geralmente obras de grande porte.

Leia mais
22/03/2018

Na coluna de hoje destaco um dos trabalhos mais importantes que realizei em minha vida. Tudo se iniciou a partir de um contato que fiz com André Bohrer quando fazia uma reportagem sobre o Comitê de Bacia Hidrográfica Rio Dois Rios. Nessa ocasião, André me fez a proposta de realizar em parceria um documentário sobre o caminho das águas.  O objetivo era apresentar a Bacia Hidrográfica Rio Dois Rios para a população que dela se beneficia, descrevendo a trajetória de seus rios e afluentes.

Leia mais
15/03/2018

Lugares de memória. A cidade de Nova Friburgo tem muitos e um deles é o mercado, ou seja, a feira da Vila Amélia. No passado foi a chácara do português Antônio Pinto Martins. Antônio nasceu no dia 1° de julho de 1862, no Minho, em Portugal. Imigrou para o Rio de Janeiro com 11 anos de idade trabalhando como caixeiro. De empregado se tornou co-proprietário adotando o sobrenome Martins de seu sócio quando o mesmo faleceu, passando a chamar-se Antônio Alves Pinto Martins. Casou-se com Carolina Gomes da Rocha e tiveram oito filhos.

Leia mais