Wanderson Nogueira

Palavreando

Aos sábados, no Caderno Z, o jornalista Wanderson Nogueira explora a sua verve literária na coluna "Palavreando", onde fala de sentimentos e analisa o espírito e o comportamento humano.

18/11/2023

Coragem? Temos de sobra. Medo? Também. Às vezes, o que não se tem é escolha. Com coragem ou medo é necessário enfrentar suas lutas exclusivas que, por mais que se assemelham às dos outros, é sua e só você pode mergulhar.

Seria fácil apenas dizer: vai! Aqueles tais 30 segundos de insanidade talvez seja o que se precise para ir. Os tais segundos que não pensamos em temor ou consequências, se faz o que precisa ser feito e que mais ninguém pode fazer por você. Resultado? É tudo que vem depois de decidir entrar no jogo. 

Leia mais
11/11/2023

Quando foi que passamos a nos contentar com a mediocridade? Enxergamos, mas não percebemos. Escutamos, mas não ouvimos. Quem tapa os nossos ouvidos? Temos ou fingimos, (não sei), empatia com os que sofrem… longe. Aos de perto: naturalizamos.

Leia mais
04/11/2023

Sorri, quando te vi pela primeira vez. Não sabia seu nome, nunca tinha visto seu rosto, mas sua alma já me habitava. O sorriso de quem tenta esconder o sorriso é tão engraçado que — na tentativa de disfarçar — se entrega. Contagia. Ao ponto de, despretensiosamente, arrancar o sorriso do outro. Em um possível sem fim me devolver o sorriso que emprestei, fazer você sorrir mais uma vez e passarmos a vida sorrindo. Por admiração, pela intenção não planejada de ser e estar junto driblando tudo o que possa cortar o sorriso, que não precisa necessariamente dos dentes sempre à mostra. 

Leia mais
28/10/2023

“Já vou deixar registrado que se a Idade Média voltar, eu estou do lado das bruxas!” Eu também, cara bruxa da escrita, Clarice Lispector. 

Leia mais
21/10/2023

Como podem existir milhões de mãos iguais e cada uma ser única? Nenhuma mão que existe ou existiu tem as mesmas impressões digitais. Os dedos alongados podem se assemelhar, o tamanho da palma pode até ser exatamente o mesmo, o formato das unhas pode ser igual, mas mesmo as mãos de gêmeos univitelinos têm desenho único, curvas exclusivas, incomparáveis.

Imagine que um mesmo artista pudesse pintar bilhões e bilhões de quadros, cada um com traços diferentes. Parece impossível. Mas não para a criação dessa maravilha que é a nossa espécie.

Leia mais
14/10/2023

“Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”. O pensamento de Paulo Freire, que de forma, nem otimista ou pessimista, coloca a responsabilidade da transformação do mundo nas pessoas. 

São as pessoas as responsáveis pelo que acontece de bom e ruim ao planeta, à sociedade, às cidades. Alguns recorrem a Deus, às forças sobrenaturais. Jeito fácil de escapar daquilo que não queremos explicar ou reconhecer. 

Leia mais
07/10/2023

Sabido demais, menino acredita poder salvar o mundo. Os vilões se combatem com a toalha de banho como capa e o cabo da vassoura como espada. Voa-se de sofá em sofá com a coragem de um parapentista. Quem poderá derrotar o mocinho? O mal existe e menino astuto sabe disso. Mas atento, é super-herói entre os corredores das cidades, cowboy entre as vielas do Velho Oeste imaginário na horta do quintal de casa. 

Leia mais
30/09/2023

O que é felicidade? Como alcançá-la? Não. Não espere das próximas linhas — respostas. São despretensiosas, como a própria felicidade. Seria a felicidade despojada? 

A filosofia, a teologia, a ciência, a literatura tentam desde sempre abordar o tema sem fechá-lo. Fato é que todos nós queremos ser felizes, ao ponto de que a felicidade seja o objetivo da vida. Existimos, persistimos e até teimamos. E é válida essa insistência, tanto quanto justa. Justo é ter uma vida plena e não há plenitude sem felicidade.

Leia mais
23/09/2023

A brisa leve traz novidades. Sussurra aos ouvidos atentos que tempos bons vêm. Há maior querência aos despertos. A atmosfera vibrante é chamado provocante. A melhor das coerências é ser feliz. 

Se dizem não, o mundo faz que sim. Sim! É pleno o campo da criatividade e por ele passeiam memórias e afetividades. Nascem flores multicoloridas e até brotam estrelas. Berço esplêndido para os sonhos que recusam classificações de ingênuos demais ou sagazes de menos. Os sonhos, todo e qualquer sonho, merecem respeito.

Leia mais
16/09/2023

Se você já gostou de uma Fernanda, você tem que ler essa crônica. Se você nunca gostou de uma Fernanda, também. Porque esse texto não é sobre Fernanda, Amanda, Ricardo ou Guilherme. É sobre gostar de si mesmo e de alguém para além de si mesmo. Alguéns, tanto quanto o  plural permitir. 

Leia mais