César Vasconcelos de Souza

Cesar Vasconcellos de Souza

Saúde Mental e Você

O psiquiatra César Vasconcellos assina a coluna Saúde Mental e Você, publicada às quintas, dedicada a apresentar esclarecimentos sobre determinadas questões da saúde psíquica e sua relação no convívio entre outro indivíduos.

29/06/2017

Em 1980, a taxa de suicídios na faixa etária de 15 a 29 anos era de 4,4 por 100 mil habitantes; chegou a 4,1 em 1990 e a 4,5 em 2000. Assim, entre 1980 a 2014, houve um crescimento de 27,2%.

Em 2014 ocorreram 2.898 suicídios de jovens de 15 a 29 anos no Brasil, um dado que costuma desaparecer diante da estatística dos homicídios na mesma faixa etária, cerca de 30 mil.

Leia mais
21/06/2017

Karl Menninger, falecido em 1990, foi psiquiatra, autor de livros, fundador da Clínica Menninger e da Fundação Menninger, nos Estados Unidos, se formou em Medicina e depois lecionou na Harvard University. Sua clínica se tornou na época um dos maiores centros de treinamento em saúde mental do mundo. 

Leia mais
15/06/2017

Dependência emocional é o oposto de autonomia psicológica. A dependência emocional doentia surge quando estamos presos ao outro de uma forma que nos atrapalha funcionar mais livre e eficazmente.

Dra. Carol Ahrens define dependência emocional: “um estado no qual uma pessoa sente-se totalmente dependente de outra pessoa, para que possa sentir-se segura ou possa ‘funcionar’ adequadamente”. Lori Rentzel também explica esta dependência: “quando acredito que a presença e atenção constantes de outra pessoa são necessárias para meu bem-estar e minha segurança pessoal”.

Leia mais
08/06/2017

Muitas pessoas aprenderam a cuidar de si mesmas erradamente. Cresceram pensando (conscientemente ou não) e sentindo não merecer coisas boas. Se você chegou na vida adulta com esta crença negativa sobre si mesmo, e por isso se maltrata, será que tem jeito de melhorar? Sim, tem. Vamos ver como.

Leia mais
01/06/2017

Depressão é diferente de ansiedade. Depressão é um transtorno mental no qual estão presentes sintomas como: sentir-se deprimido a maior parte do tempo; interesse diminuído ou perda de prazer para realizar atividades de rotina; sensação de inutilidade ou culpa excessiva; dificuldade de concentração ou habilidade diminuída para pensar e concentrar-se; fadiga ou perda de energia; insônia ou dormir demais diariamente; agitação ou lentidão psicomotora; perda ou ganho significativo de peso sem estar em dieta; ideias recorrentes (que surgem constantemente na mente) de morte ou suicídio.

Leia mais
24/05/2017

Nesta existência todos temos lutas. Materialmente a vida é mais fácil para pequena parcela da população. Do ponto de vista psicológico, quanto a necessidade de aprender a lidar com sofrimentos, frustrações, perdas, todos estão no mesmo barco. E ao pensar nos sofrimentos da alma, como angústia, tristeza, vergonha, culpa, insegurança emocional, lutas com respeito e valorização pessoal, você tem procurado aliviar a vida de alguém?

Leia mais
17/05/2017

Uma das coisas que intrigam os estudiosos, leigos ou profissionais, de assuntos sobre casamento sob o ponto de vista da dinâmica psicológica tem a ver com o por que ser comum uma pessoa se casar com alguém que tem características comportamentais desagradáveis que existia num dos seus pais (pai ou mãe).

Leia mais
10/05/2017

Vamos finalizar esta série sobre o Transtorno de Personalidade (TP) lembrando que o TP é um comportamento rígido com traços exacerbados ou muito aumentados do que seria um meio termo de normalidade. Por exemplo, uma pessoa pode ser perfeccionista flexível ou inflexível. A flexível relaxa e não fica obsessiva com seus erros. Já a inflexível se torna autodepreciadora, exigente demais com os outros, causando problemas e sofrimentos pessoais e interpessoais, o que se encaixaria no diagnóstico de TP.

Leia mais
03/05/2017

Na primeira parte desta série de três artigos mostrei que a pessoa com Transtorno de Personalidade (TP) apresenta um exagero em alguns traços de caráter que todos possuímos em dose menor. Você pode ter tendência a dramatizar, a ter ciúmes, ansiedade, melancolia, perfeccionismo, mas isto pode não dominar sua vida, seus relacionamentos.

Leia mais
26/04/2017

Existem muitas pessoas difíceis de conviver como as obsessivas, as teatrais, as explosivas, as que se sensibilizam com tudo sendo emotivas demais, também as detalhistas e perfeccionistas, inflexíveis, rígidas, entre outras. Não é incomum, no convívio com tais indivíduos complicados, pessoas exclamarem: “Que pessoa neurótica!”

Leia mais