Dívidas

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quarta-feira, 07 de novembro de 2018

Para pensar:

"Nossa maior fraqueza está em desistir. O caminho mais certo de vencer é tentar mais uma vez."

Thomas Édison

Para refletir:

“Um homem não está acabado quando enfrenta a derrota. Ele está acabado quando desiste.”

Richard Nixon

Dívidas

Após algumas elucubrações inevitáveis nos últimos dias, é hora de falar de forma mais aprofundada a respeito do (difícil) momento vivido por nossa relação com o Palácio Guanabara.

É importante que o novo governador eleito, Wilson Witzel, saiba que, ao assumir o governo estadual, estará herdando também algumas dívidas importantes para com a população friburguense.

Crime

Muito além do longo acúmulo de repasses devidos à manutenção da UPA de Conselheiro Paulino, a esfera estadual acumula uma dívida moral para com o eleitor friburguense materializada, sobretudo, no canteiro de obras abandonado, onde nos foi prometido um muito necessário hospital de oncologia.

Muitas fitinhas foram cortadas, muitas promessas feitas, muitos votos dados em confiança, e o que se viu foi um absurdo emaranhado de mentiras, descaso e incompetência, que terminou por devolver enorme volume de recursos a Brasília.

Cobrança necessária

Tudo sugere que estamos diante de mais uma causa perdida, mas de forma alguma podemos aceitar esta derrota.

A esse respeito, a coluna registra com alegria que a Câmara Municipal, por iniciativa do vereador Isaque Demani, está se mobilizando para encaminhar tanto ao atual governador quanto ao seu substituto eleito um manifesto, subscrito por todos os vereadores, cobrando que se comprometam com a conclusão das obras do Hospital de Oncologia da Região Serrana, aqui em Nova Friburgo.

Primeiro passo

Esse, no entanto, não pode ser um esforço isolado.

O hospital irá atender a diversos municípios, e por isso deve ser encarado como uma prioridade regional, defendida com igual empenho por prefeitos, deputados estaduais e federais ligados a esta zona de abrangência.

É hora de dar telefonemas, fazer convites, visitar.

Até mesmo porque ninguém, em sã consciência, terá argumentos contrários a esta luta.

Sustentação

Da mesma forma, há que se ter em mente a necessidade de buscar não apenas a conclusão das obras, mas também formas adequadas de financiamento para a operação da unidade.

Precisamos deste hospital, e mais vale que tenhamos uma unidade pequena, mas funcionando, do que algo megalomaníaco que não caiba nos orçamentos estadual ou federal.

Contorno

Outra dívida estadual de longa data é a tantas vezes prometida estrada do contorno, mas essa dá para afirmar que não veremos concluída nem tão cedo.

Contudo, ainda que uma dívida dessa monta jamais possa ser esquecida, parece apropriado que todos os esforços de nossas representações sejam focados, ao menos por enquanto, na luta por construir e amparar o Hospital do Câncer.

Pinóquio

No início da coluna falamos brevemente sobre a UPA, o que nos dá o gancho para que perguntemos, mais uma vez, o que será dito pelo governo municipal a respeito das promessa de campanha de levar novas UPAs, tanto para Olaria quanto para São Geraldo.

Desculpem, mas não vamos esquecer.

Turno escolar

A pedido de membros da comunidade local, três representantes do Conselho Municipal de Educação - Bluma Salomão, Cláudio Damião e Neli Ferreira de Oliveira - visitaram nesta semana a Escola Municipal Patrícia Jonas Santana, no bairro Bela Vista.

O objetivo era alertar o conselho sobre a importância da manutenção do turno da tarde, que esteve ameaçado de não continuar no ano que vem.

Após a visita, os membros do conselho pediram a inclusão deste tema na pauta da  próxima reunião, amanhã, 8, com a presença do secretário de Educação, Renato Satyro.

Fica como está

Comunicada a respeito desta situação, a coluna entrou em contato com Satyro, para ouvir o posicionamento da secretaria sobre o tema.

“Na verdade essa foi apenas uma proposta que estávamos levantando. Consideramos a hipótese de concentrar as aulas num só turno, para aplicarmos o horário integral. Assim o segundo turno seria dedicado a atividades esportivas, dever de casa e outras atividades. Mas, como não será possível implementar o horário integral para o ano que vem, não haverá mudanças nessa escola.”

A coluna agradece ao secretário pela resposta.

Desafio

O amigo Girlan Guilland é quem propõe nosso desafio de hoje.

E então, quem é capaz de dizer qual é a personalidade homenageada com o busto que servia de mirante para o pombinho no momento em que a foto foi feita? Boa sorte a todos!

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.