Reajuste municipal

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

sábado, 23 de junho de 2018

Para pensar:

“Na plenitude da felicidade, cada dia é uma vida inteira.”

Johann Goethe

Para refletir:

"Se tem medo de lobos, não vá para a floresta."

Provérbio russo

Reajuste municipal

E não é que a sessão itinerante da Câmara Municipal em Riograndina acabou sendo uma das mais importantes do ano até aqui?

Correndo contra o tempo a fim de que as alterações pudessem ser incluídas já no pagamento da folha de junho, o Executivo enviou dois projetos em regime de urgência, que acabaram sendo incluídos na ordem do dia e aprovados por todos os 13 vereadores presentes.

Magistério

O primeiro deles “atualiza as tabelas de vencimentos dispostas nas leis complementares 40/2008 e 50/2010, no tocante aos Profissionais do Magistério Público Municipal, extensivo aos inativos e pensionistas, bem como fica assegurado o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica, em cumprimento a lei federal 11.738, de 16 de julho de 2008, considerada a proporcionalidade da carga horária já estabelecida.”

O que muda (1)

Foram concedidos 5% de aumento para os cargos e empregos públicos de administrador educacional, orientador educacional, orientador pedagógico, pedagogo, planejador educacional, professor II e professores de Educação Artística, Educação Física, Enfermagem, Geografia, História, Informática Educacional, Língua Inglesa,  Língua Portuguesa, Matemática, Religião, Ciências e Supervisor Educacional.

O que muda (2)

Já para o cargo de professor I foram concedidos 17,38%, já incluídos os 5% citados anteriormente.

Obviamente a medida não agradou a todos, uma vez que uma categoria obteve benefícios maiores do que outras.

Ainda assim, uma análise fria sobre as condições orçamentárias atuais indica que não teria sido possível ir além neste momento, posto que precisam ser respeitados os limites da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Demais servidores

O projeto seguinte estabeleceu que fica concedido reajuste de 5% às demais categorias, “incidente sobre o vencimento base dos cargos de provimento efetivo, empregos públicos e contratos temporários da administração direta e indireta do Poder Executivo Municipal, extensivo aos inativos e pensionistas”.

Ainda de acordo com a redação aprovada, “fica instituído, depois de aplicado o reajuste de 5%, complemento salarial para todo servidor público municipal, cujo vencimento base seja inferior a quantia de R$ 960.

União de esforços (1)

Falando francamente, a situação do funcionalismo municipal ainda está muito longe da ideal, e ainda é obscena a discrepância entre as condições reservadas a apadrinhados, de um lado, e concursados/contratados de outro.

Mas houve um avanço importante numa situação que era vergonhosa, e isso precisa ser reconhecido.

União de esforços (2)

Como também deve ser reconhecido o papel desempenhado pela bancada de oposição, cujos votos se tornaram imprescindíveis à aprovação dos projetos, numa sessão que contou com a presença de apenas 13 dos 21 parlamentares, ainda que as faltas tenham sido justificadas.

Foi, enfim, uma sessão na qual Executivo e Legislativo, situação e oposição, uniram-se de maneira responsável e eficiente pela preservação do interesse do funcionalismo.

Seria ótimo se fosse sempre assim.

Carga e descarga

Por solicitação do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas, a Secretaria de Mobilidade Urbana decidiu ampliar temporariamente o tempo reservado para as operações de carga e descarga em nosso município.

De acordo com portaria editada pelo secretário Marques Henrique de Jesus, publicada no dia 14 deste mês, os caminhões poderão operar nas áreas já delimitadas até às 15h.

A medida é válida até o próximo dia 4 de julho.

 Aspas (1)

“Com esta ampliação, pretendemos oferecer aos usuários dos serviços do modal rodoviário uma maior eficiência no reabastecimento de mercadorias para o comércio e Indústria, minimizando os impactos provocados pela recente mobilização parcial dos caminhoneiros em nosso País”, afirmou Evaristo Monteiro, presidente da entidade de classe que representa as empresas de transporte de cargas em nossa região.

Mistério

Principal pesquisador de genealogia em Nova Friburgo, o abnegado engenheiro César Raibert levantou uma questão misteriosa em relação à nossa cidade: “Entre 1875 e 1877 não existem registros na Catedral de Nova Friburgo. Nenhum batismo, casamento ou óbito foi registrado. Alguém tem uma explicação para isso? Ou saberia informar onde estariam os registros católicos desse período?”

Se algum leitor tiver alguma pista que possa jogar alguma luz sobre este apagão, a coluna agradece.

Risco em potencial

O geógrafo Pedro de Paulo, importante colaborador da coluna no que diz respeito a questões ambientais e descarte consciente, envia mais uma importante dica à sociedade friburguense.

Desta vez a situação foi encontrada em Mury. Mais precisamente na Rua Thomé, em frente do número 51.

Aspas (2)

“Chama atenção a placa avisando para não depositar lixo no local, mas os moradores insistem em depositar material de poda. Mury tem muitos sítios e chácaras, que geram esse tipo de resíduo. Depositados em qualquer lugar, são potencial material incendiário, principalmente na época da estiagem. Nas proximidades de florestas o risco é ainda maior, pois o fogo pode se alastrar.”

Segue

“Considero urgente a implementação de um aterro específico de material inerte e bens inservíveis em Nova Friburgo. Esse tipo de aterro requer menos cuidados técnicos do que um aterro sanitário convencional, e ajuda a diminuir a saturação deste.”

Bastidores

Como foi dito no início da semana, tem muita, muita coisa acontecendo nos bastidores de nossa política.

E não só dela

Embargo

Muitas questões ainda não podem ser divulgadas, e algumas ainda estão em aberto ou aguardando confirmação.

Por ora, no entanto, o colunista pode ponderar que existe a perspectiva de uma ou outra notícia bastante quente a caminho.

O tempo dirá.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.