RJ-150: aumenta o perigo com mais crateras entre o Centro e a Chácara

Há 21 anos rodovia não recebe intervenções de recapeamento do asfalto, mas apenas operações tapa-buracos rotineiras
quarta-feira, 17 de novembro de 2021
por Henrique Amorim (henrique@avozdaserra.com.br)
As crateras na pista da RJ-150 (Fotos: Henrique Pinheiro)
As crateras na pista da RJ-150 (Fotos: Henrique Pinheiro)

Dirigir pela rodovia RJ-150 (Nova Friburgo-São José do Ribeirão) é um risco para os motoristas. A estrada é o principal acesso do Centro aos bairros Chácara do Paraíso e Nova Suíça e também ao distrito de Amparo. Depois de ter o trecho de 12 quilômetros entre a confluência com a Avenida Euterpe Friburguense e Amparo recuperado há exatos 21 anos, desde então a rodovia não recebeu intervenções de recapeamento do asfalto, apenas operações tapa-buracos rotineiras que não livram os motoristas do perigo com o surgimento de centenas de buracos ao longo do trecho asfaltado. 

Por ironia, é na RJ-150 que está situada a Usina de Asfalto do município, mas a Prefeitura de Nova Friburgo não tem ingerência na manutenção da estrada que por ser estadual é administrada pelo DER, o Departamento de Estradas de Rodagem do Estado do Rio de Janeiro. Nesta terça-feira, 16, equipes da prefeitura fizeram reparos na Avenida N.S. do Amparo (abaixo), bem na esquina com a RJ-150, mas não puderam tapar os buracos na estrada estadual.

Sem acostamentos, sistema de drenagem e piso desnivelado em diversos trechos, a RJ-150 transformou-se numa via-crúcis para quem depende dela para sair e voltar para casa. Com as chuvas contínuas do mês passado, a situação piorou drasticamente e surgiram enormes crateras que obrigam os motoristas a se arrriscarem invadindo a contra-mão ou até mesmo terem que fazer paradas bruscas no meio da pista para evitar danos aos pneus e aos veículos. Logo no início da estrada, bem em frente ao Juizado Especial Federal, um enorme buraco se abriu no meio da pista. 

Novas crateras surgiram em uma curva sinuosa em frente ao posto de combustíveis MB, ao Colégio Estadual Júlio Salusse, Fazenda Paraíso e também no acesso ao Hospital Unimed dificultando o tráfego de ambulâncias e de veículos com pacientes. “Já tive tanto prejuízo com a suspensão do meu carro nessa estrada que agora para ir ao Centro prefiro seguir por Nova Suíça e de lá fazer um desvio pelo Alto das Braunes aumentando o tempo de viagem e o gasto com gasolina”, reclama Aluízo Pereira.  

“Imaginem só uma ambulância da Unimed transportando um paciente com equipamentos sacudir nessas crateras (acima). É muito descaso do poder público. Colocar massa de asfalto sobre os buracos não adianta nada. Tem que refazer o piso inteiro”, sugere Paulo Macedo, lembrando que com o crescimento recente dos bairros Chácara do Paraíso e Nova Suíça o fluxo de veículos pela RJ-150 aumentou consideravelmente. O DER informou que fará uma vistoria técnica na estrada para porvidenciar os reparos necessários. 

 

LEIA MAIS

Na Via Expressa, uma mulher de 41 anos morreu após ter sido atropelada

Desde o último sábado entrou em vigor decreto que revoga atribuições da equipe

Levantamento foi feito para a Semana Nacional de Trânsito

Publicidade
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 78 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito