É hoje

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

quinta-feira, 12 de julho de 2018

Para pensar:

“Não fomos feitos para o fingimento e sim para a autenticidade, seja ela bonita ou não. Assim, mais cedo ou mais tarde, é quem realmente somos que fica em evidência.“

Teco Nicolau

Para refletir:

“Saber demais é envelhecer prematuramente."

Provérbio russo

É hoje

Emanuel Barata, competente e prestativo assessor de imprensa da Câmara Municipal, confirma que “a sessão ordinária desta quinta-feira, 12, será de pauta exclusiva para votação do projeto que atualiza a Lei Orgânica Municipal (LOM). A reunião, que começa às 9h30, terá uma pausa para almoço às 12h e retorna às 13h30”, sem hora prevista para terminar, acrescenta o colunista.

Forma final

Ainda de acordo com Emanuel, “até o dia 29 de junho, prazo final para o recebimento de emendas, o projeto de lei 368/2018 recebeu 289 indicações para alteração do texto”.

A coluna, os leitores sabem bem, tem acompanhado com proximidade todo o processo de elaboração e aprovação de nossa nova LOM, e entende que, finalmente, autores e governo municipal parecem ter encontrado uma redação final harmônica.

E o que é mais importante: sem que tenham sido feridos os pilares mais importantes da proposta.

Momento importante

A sessão, claro, é aberta à população, e a coluna entende ser muito importante essa participação popular.

Ainda que para muitos não seja possível ficar por muito tempo, a simples presença da população e representantes de grupos específicos não apenas permitirá que se testemunhe um momento histórico para nossa cidade, como também há de mostrar a nossos representantes mais próximos que existe sim interesse na aprovação por parte da sociedade.

Salto qualitativo

A nova LOM é o principal legado que fica do bicentenário municipal e, ainda que leve algum tempo até que eventualmente comecemos a sentir seus efeitos em ações cotidianas, uma vez que ela pressupõe um necessário e compreensível período para adaptações, é certo de que a qualidade de vida em Nova Friburgo - para pessoas e também nossa abençoada natureza - há de melhorar sensivelmente nos próximos anos.

Quem tiver tempo e condições de ler a legislação, certamente irá chegar às mesmas conclusões.

Plim plim

Os colegas jornalistas da InterTV e do portal G1 cruzaram as informações disponibilizadas pelo Portal da Transparência em Nova Friburgo com informações que apuraram em Teresópolis e Petrópolis a fim de confirmar se a quantidade de contratos emergenciais em vigor atualmente em Nova Friburgo é tão normal quanto algumas vozes tentam fazer crer.

E o resultado não surpreendeu em nada a este colunista.

Planejamento

De acordo com a matéria que foi ao ar no tele-jornal RJTV, à noite, Teresópolis não tem nenhum contrato emergencial atualmente em vigor, e Petrópolis, apenas um, relacionado às fortes chuvas que causaram a obstrução de uma estrada no bairro Caxambu, em março deste ano.

Ou seja, uma situação efetivamente emergencial.

Por aqui

Nova Friburgo, por sua vez, lista 14 contratos emergenciais em seu Portal da Transparência, no valor total de R$ 7.434.087,74.

E lá ainda não constam informações a respeito da iluminação pública, nem tampouco o contrato emergencial para transporte de pacientes do SUS cadastrados no programa Tratamento Fora de Domicílio (TFD).

Ambos, com valores de sete dígitos.

Perseguição?

Ora, a coluna vem batendo nesta tecla há muito tempo, e sabe que nos bastidores da política há quem afirme que se trata de “perseguição”.

Bem se vê que é o caso, não?

Aparentemente, inclusive, as prefeituras vizinhas também estão de “perseguição”.

Afinal - onde já se viu? - estão prestando seus serviços essenciais sem recorrer a contratos emergenciais...

A árvore e os frutos

Contra fatos não há argumentos.

Qualquer pessoa que seja apresentada a tais informações e porventura não conheça o contexto atual de nossa política será confrontada com a inevitável constatação: ou está faltando competência, ou está faltando vontade.

Os resultados estão aí, e outros estão a caminho.

De que adianta tentar negar?

Outra

Ocorre, porém, que o colunista conhece muito bem o nosso contexto.

E, por isso mesmo, sabe o quão competente e confiável é a equipe da Secretaria de Infraestrutura e Logística da prefeitura.

E também sabe - porque o assédio foi público - que já teve servidor sendo atacado pela velha eminência parda, justamente por ter levado adiante um processo de licitação, na contramão de suas determinações.

Tem mais

Da mesma forma, o Massimo pode atestar a competência e a seriedade da Procuradoria Geral do Município, de tal forma que nos resta apenas a conclusão de que por aqui não se licita por que não é de interesse de quem manda de fato.

Despudor

Em vídeo publicado recentemente em redes sociais, um secretário afirma abertamente que “quando você tem o processo (licitatório), e por um motivo ou outro você faz o emergencial, está justificado.”

Só faltou dizer que entre um motivo e outro existe uma enorme indiferença em relação ao vencimento de prazos conhecidos há mais de um ano, a apropriação da competência de pasta específica para este fim, e também absurdos inacreditáveis ao longo do processo de cotação.

E veja que nem falamos sobre os melhores cafezinhos da cidade.

Roupa do rei

Não, não foi apenas a coluna quem se incomodou com tudo isso.

Jamais se tratou de perseguição, e isso vai ficar cada vez mais claro daqui para a frente.

Terrinha (1)

O presidente da Câmara Municipal, vereador Alexandre Cruz, foi recebido na tarde desta quarta-feira, 11, para um almoço no Palácio São Clemente, sede do Consulado de Portugal no Rio de Janeiro, a convite do cônsul geral, Jaime Van Zeller Leitão.

Na oportunidade, o chefe do Legislativo Municipal entregou o diploma “Amigo de Nova Friburgo, 200 anos”, uma homenagem da Câmara a autoridades, amigos e entusiastas do município.

Terrinha (2)

O diplomata visitou recentemente a banda sinfônica Campesina Friburguense, motivado do pela recente visita da orquestra de Nova Friburgo à sede da banda portuguesa Filarmônica Boa Vontade Lorvanense, e também esteve presente nas comemorações do bicentenário da cidade.

Na avaliação de Alexandre, o encontro ajudou a estreitar ainda mais os laços entre Nova Friburgo e Portugal.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.