Compositor friburguense integra time que disputa escolha do samba da Viradouro

Devid Gonçalves é um dos que assinam composição em formato inédito, com inspiração em Noel Rosa
quinta-feira, 11 de março de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Os parceiros  Felipe Filósofo e o friburguense Devid Gonçalves (de camisa amarela)
Os parceiros Felipe Filósofo e o friburguense Devid Gonçalves (de camisa amarela)

Romper paradigmas e fugir dos clichês. É com este viés que a parceria do friburguense Devid Gonçalves, com mais seis sambistas, pretende levar ao próximo  carnaval carioca uma composição inovadora. Ele vai participar da disputa com outros parceiros concorrentes pela escolha do samba da Unidos do Viradouro, de Niterói, a grande campeã do carnaval do Rio de Janeiro em 2020. A escola quer o bicampeonato e pretende sacudir a Marquês de Sapucaí na festa tão aguardada pelos foliões para o próximo ano.

Devid é pé quente e fez parte da parceria campeã na escola de samba friburguense Imperatriz de Olaria em 2019 e no ano seguinte, integrou a equipe que criou o samba vitorioso na Unidos da Saudade. Outro nome de peso que integra a parceria é Felipe Filósofo, vencedor do troféu Estandarte de Ouro, oferecido pelo jornal O Globo à Unidos do Viradouro em 2017.

Inspirados no renomado cantor e compositor brasileiro Noel Rosa, que na década de 1930 compôs, em formato de carta, a música “Cordiais Saudações”, os parceiros trouxeram a ideia para os tempos atuais com o relato do Pierrot apaixonado pela Colombina.

(Na foto de Natália Amorim: Devid Gonçalves, Felipe Filósofo, Fábio Borges, Porkinho, Ademir Ribeiro, João Victor Menino)

Personagem da Commedia Dellarte, Pierrot tinha como característica escrever cartas de amor para Colombina e guardá-las. Na composição, também feita em forma de carta, ele nada mais é do que o narrador (representando a sociedade) que se reporta ao o seu grande amor: a Colombina (representando o carnaval). O samba enredo com este formato, além de ousado, é inédito na história do samba.

A letra foi integralmente construída com elementos que marcam esta forma e também aquele período, como a finalização da composição, por exemplo, que é uma data e que foi a quarta-feira de cinzas daquele ano. Inclusive, vale a pena frisar, foi quando o Rio teve o maior carnaval de todos os tempos, pós-gripe espanhola - uma fiel alusão ao que vivemos nos dias de hoje com a pandemia da Covid-19 e que é apresentado pela sinopse da escola de Niterói.

A melodia do samba traz toda a nostalgia da época, rompendo, desta maneira, com o modelo dos desenhos melódicos e fazendo, assim, o som trazer uma imagem e um sentimento. Além disso, o samba possui a singularidade de ser composto por uma estrutura com 100% de rimas ricas, ou seja, com classes gramaticais diferentes nos finais dos versos. Também, vale destacar a quebra do modelo de posição das rimas que o samba traz para dar mais dinâmica ao encadeamento da melodia.

Fugindo dos padrões 

Segundo Devid, a inspiração para fugir dos padrões na construção dos sambas-enredos vem de grandes nomes, como Martinho da Vila, por exemplo, que em entrevista ao site Carnavalesco disse: “O samba-enredo, principalmente, ele tem que emocionar. (...) Quando alguém tem coragem de fugir da fórmula, ele se dá bem”.

O samba ainda possui termos que foram cirurgicamente escolhidos pela parceria para retratar este momento único e o lirismo do maior carnaval da história. A letra da composição já está disponível na plataforma da agremiação.

Inovações estéticas

Felipe Filósofo, vencedor de estandarte de ouro na Viradouro pelo Samba Alabê de Jerusalém, em 2016, é um dos membros da parceria e conhecido por inovações estéticas em sambas-enredos. É conhecido ainda pela construção de um samba todo sem rima, no mesmo ano, pela Acadêmicos do Sossego, resgatando um recurso utilizado por Martinho da Vila no enredo “Raízes”, no ano de 1987, em Vila Isabel. Também pela Acadêmicos do Sossego, em 2017, fez o primeiro samba na história do carnaval em forma de diálogo e no ano seguinte, em 2018, o primeiro samba-enredo sem verbos. Em 2019, juntou as três inovações, em um samba só.  

 

LEIA MAIS

Além de tempo mais frio, carnaval em maio deve afastar turistas e restringir a folia aos moradores locais

Apresentação especial dos músicos festejou anivesário

Proposta de adiamento da festa diante do cenário epidemiológico partiu das próprias agremiações

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Música | carnaval