Prefeitura vai investir quase R$ 1,3 milhão para refazer rede elétrica do Raul Sertã

Prestes a completar 100 anos, o maior hospital público da região carece de melhorias como a modernização da estrutura
quarta-feira, 01 de julho de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O Hospital Municipal Raul Sertã (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
O Hospital Municipal Raul Sertã (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

A Prefeitura de Nova Friburgo publicou no Diário Oficial eletrônico do município desta terça-feira, 30 de junho, o aviso de tomada de preço 016/2020 cujo objeto é a contratação de uma empresa para realização de obras de construção e padronização da subestação do Hospital Municipal Raul Sertã. A licitação está marcada para o próximo dia 21 e a estimativa é de R$ 1.292.736,71.

As subestações formam um sistema de proteção, controle, transmissão e distribuição de energia de alta potência da fonte geradora até a unidade consumidora. Além disso, podem transformar e armazenar a tensão gerada, fazendo o papel de pontos de entrega para atender às demandas. Além das grandes subestações fixas, existe a possibilidade de instalar essas unidades em outros espaços públicos ou privados. Por regularem a distribuição de energia, são, em geral, utilizadas em obras importantes e de grande porte, como indústrias, universidades, locais de eventos e até na manutenção de energia elétrica da concessionária local, evitando prejuízos. Em hospitais, por exemplo, uma subestação pode salvar vidas.

E é justamente visando salvar vidas que a Prefeitura de Nova Friburgo irá promover a intervenção. Prestes a completar 100 anos de funcionamento, o Hospital Municipal Raul Sertã carece de diversas melhorias em sua estrutura física, entre elas a substituição e modernização de toda a sua rede elétrica, considerada antiga e obsoleta, causadora de diversos problemas na unidade hospitalar, o que representa um risco à servidores, pacientes e acompanhantes.

Conforme noticiado por A VOZ DA SERRA em 19 de agosto do ano passado, na ocasião, um apagão causado por um curto-circuito deixou cerca de 80% do Hospital Municipal Raul Sertã sem luz por mais de 12 horas. O problema teria ocorrido por volta das 4h da madrugada e só foi resolvido às 17h. TVs, chuveiros e centenas de lâmpadas teriam sido queimados por conta dos picos de energia elétrica.

Os setores mais afetados pelo apagão foram lavanderia, farmácia e o laboratório da unidade. Exames laboratoriais só puderam ser realizados no Hospital Maternidade Mário Dutra de Castro. Somente o centro cirúrgico, a Central de Tratamento de Urgência (CTU) e o Centro de Tratamento e Terapia Intensiva (CTI) não foram afetados pela queda de energia.

À época, segundo apurado por A VOZ DA SERRA, o Raul Sertã possuíai gerador de energia, no entanto, o equipamento só é acionado caso haja algum problema no abastecimento de energia elétrica, o que não foi o caso, já que dessa vez a pane foi na rede interna da unidade.

Na ocasião, por meio de nota, a Prefeitura de Nova Friburgo reconheceu o problema e esclareceu que “o apagão foi provocado por um curto na rede embutida da unidade, que é antiga. A estimativa é que 80% do Hospital tenha sido atingido, sendo que a maior parte com a queima de lâmpadas. A equipe técnica da unidade e a concessionária responsável pela distribuição da energia elétrica na cidade vistoriaram a rede interna da unidade”. Ainda segundo a nota, “as lâmpadas queimadas foram substituídas e nenhum aparelho de suma importância foi danificado. Apenas os exames laboratoriais tiveram que ser realizados no Hospital Maternidade Mário Dutra de Castro”.

 

LEIA MAIS

Mudança de trato nos relacionamentos pessoais e profissionais pode impactar vida de recuperados no período pós-pandemia, dizem psicólogas

Restrições ficam ainda mais brandas, possibilitando o funcionamento de diversos setores em horário estendido

Prefeitura não divulga dados que embasaram a aferição da bandeira da próxima semana

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: saúde