No Dia Internacional da Cerveja, 5 hábitos inusitados de tomar uma gelada

Brindes, ordem para encher os copos e mornas são alguns dos diferentes costumes de apreciar a bebida
sexta-feira, 05 de agosto de 2022
por Jornal A Voz da Serra
No Dia Internacional da Cerveja, 5 hábitos inusitados de tomar uma gelada

O Dia Internacional da Cerveja, comemorado na primeira sexta-feira de agosto, foi criado em 2007 em Santa Cruz, California, EUA, com três propósitos declarados: estar com amigos para saborear a cerveja, celebrar os fabricantes e os que servem a bebida. E com o Dia dos Pais emitindo sinais de que está chegando, bom ir se preparando para brindar a data, também, com um caneco dessa bebida irresistível!

Neste ano, a sexta-feira da comemoração da cerveja caiu no dia 5. Aproveitamos para listar alguns hábitos de consumo em outros países que podem parecer algo inusitados para os brasileiros, como: esperar um brinde que dura em média 20 minutos para dar o primeiro gole, saber a ordem correta de servir um grupo de pessoas e apreciar uma cerveja morna. Conheça essas e outras curiosidades ao redor do mundo sobre a bebida alcoólica mais popular em nosso país:

  • Aqui no Brasil, um dos sinônimos para cerveja é “geladinha”. Isso porque é impensável beber uma cerveja quente por aqui… Acontece que em outros lugares do mundo, beber uma cerveja "trincando" é incomum. Na Alemanha, por exemplo, há uma variedade de cervejas que precisam apenas estarem frias para serem consumidas, diferentemente do Brasil, onde as cervejas do tipo Pilsen, servidas geladas, são mais populares. No inverno alemão, é comum deixarem as cervejas por meia hora na varanda, tempo suficiente para que a bebida fique na temperatura perfeita para consumo. Aliás, a Alemanha tem vários tipos de cervejas para se beber em todas as temperaturas ambientes.

  • Na Coreia do Sul, assim como outros países asiáticos, é conhecida por ter tradições muito rígidas e com as bebidas não é diferente. Em uma reunião de família ou de amigos, é considerado rude servir o seu próprio copo. A tradição manda servir as bebidas em ordem: primeiro os mais velhos, depois os mais jovens.

  • Se um dia você for à Geórgia, tome cuidado na hora do brinde para não ser indelicado. Antes de começarem a beber, deve-se esperar acabar o discurso que antecede o momento do brinde. E esse discurso leva, em média, 20 minutos. Até lá, não ouse molhar o bico.

  • As leis para o consumo de álcool nos Estados Unidos são diferentes das brasileiras. Enquanto aqui é permitido consumir bebidas alcoólicas a partir dos 18 anos, a idade mínima legal para os americanos começarem a beber é 21, podendo variar em alguns estados. Além disso, alguns estados proíbem o consumo de bebidas alcoólicas em público, fora de bares ou restaurantes. Por isso é comum em filmes e séries aparecer pessoas bebendo na rua com a garrafa envolvida em um saco de papel.

  • Apesar de socialmente aceita na maioria dos países, alguns lugares proíbem ou restringem o consumo de bebida alcoólica. É o caso do Irã e da Arábia Saudita, onde produzir, comercializar ou consumir bebidas alcoólicas é crime. As Maldivas, apesar do forte apelo turístico, restringem o consumo de álcool dentro dos resorts e hotéis. Já na Tailândia, há horários específicos nos quais é permitido beber, mas em alguns feriados é proibido o consumo durante todo o dia.

Uma curiosidade: na mesma data, 5 de agosto, é comemorado o Dia Nacional da Saúde. Interessante, não? Mas, importante também esclarecer: No Brasil, beber cerveja ou outras bebidas alcoólicas é permitido a maiores de 18 anos. E não se esqueça: se for dirigir, não beba!

(Fonte: https://www.em.com.br/app/noticia/nacional/)

 

LEIA MAIS

Em um amplo casarão dos anos 40, restaurante oferece cardápio autoral com toque gourmet e carta de vinhos

Prato autoral com crítica social, inspirado em contrastes cariocas como luxo e favela, fez João Vieira se destacar em concurso

Foi em 1616 que chegou o primeiro pé de café à Europa, mais precisamente na Holanda

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Gastronomia