Denúncia surte efeito: obras no posto do Cordoeira serão retomadas terça

Exatamente uma semana após reportagem de A VOZ DA SERRA, prefeito Renato Bravo afirma que intervenções deverão ser concluídas em até 40 dias
sexta-feira, 13 de março de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Goteiras e infiltrações no posto do Cordoeira (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Goteiras e infiltrações no posto do Cordoeira (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

A reportagem publicada com exclusividade por A VOZ DA SERRA na edição da última sexta-feira, 5, denunciando que as obras de reforma e ampliação da Unidade Básica de Saúde (UBS) Ariosto Bento de Mello, no bairro Cordoeira, estavam paralisadas desde julho do ano passado, e diversos equipamentos, materiais e insumos estavam abandonados no interior do imóvel, tomado por goteiras e infiltrações, surtiu efeito. As obras serão retomadas na próxima terça-feira, 17, e deverão ser concluídas em até 40 dias. 

A informação é do próprio prefeito Renato Bravo, em vídeo publicado nas redes sociais do vereador Christiano Huguenin – atual líder de governo na Câmara e secretário municipal de Saúde entre dezembro de 2017 e setembro de 2018.“Refizemos o contrato e no dia 17 as obras serão retomadas, conforme acordo feito com a empreiteira. É uma ótima notícia. Resta executar 40% da obra que iremos concluir em um prazo máximo de 40 dias”, afirmou o prefeito no vídeo, sem no entanto revelar qual a fonte de custeio para a intervenção.

A denúncia

A reportagem ganhou grande repercussão e foi replicada por outros veículos, como a InterTV. Na primeira reportagem que publicamos no dia 5 demos voz à reclamação dos moradores do Cordoeira, que denunciaram que a obra estava paralisada há nove meses depois de ter sido iniciada em março de 2019. A intervenção, orçada em R$ 266 mil, contava com verbas do Fundo Nacional de Saúde e da Prefeitura de Nova Friburgo, e estava a cargo da empresa WW Casemirense Incorporações, com previsão de conclusão em novembro de 2019.

RELEMBRE AQUI A REPORTAGEM, COM FOTOS E VÍDEO

No interior do posto de saúde, um lamentável retrato do abandono. Como o antigo telhado foi retirado para a reforma, a laje ficou desprotegida e todos os cômodos estão repletos de infiltrações e goteiras. A água pinga sem parar do teto, que está completamente úmido e mofado. Materiais que compõem a estrutura do posto não foram retirados para o início das obras e, com o abandono dos trabalhos, dezenas de equipamentos, insumos, materiais e itens ficaram completamente abandonados sendo sucateados pela ação do tempo.

Encontramos centenas de fichas e prontuários dos pacientes. Parte desse material foi perdido por conta da umidade. Também havia dezenas de talões para declaração de comparecimento, atestado de saúde e receituário médico ainda embalados, correndo o risco de serem inutilizados. Também flagramos equipamentos abandonados no local, como cadeira odontológica, maca ginecológica, bicicleta ergométrica, compressores, balanças, ventiladores, freezer, geladeira, fogão, microondas, botijões de gás, estetoscópios, bebedouros, mesas, cadeiras, longarinas, armários, estantes e muito mais. Tudo à mercê da umidade, se deteriorando.

A repercussão

No dia seguinte, A VOZ DA SERRA procurou entidades de saúde, como a Comissão Permanente de Saúde da Câmara, através do seu presidente, o vereador Wellington Moreira, o Conselho Municipal de Saúde, além do Ministério da Saúde. Por email, o ministério informou que “como o município não inseriu informações da execução da reforma no Sistema de Monitoramento de Obras e não cumpriu o prazo para início, a obra consta como cancelada”. Já o Conselho Municipal de Saúde revelou que já tinha conhecimento do estado de abandono das obras da UBS, já tendo, inclusive, realizado um relatório de fiscalização no final de janeiro deste ano, que foi encaminhado aos ministérios públicos Estadual e Federal.

No entanto, a atual gestão da Secretaria Municipal de Saúde procurou o jornal para prestar esclarecimentos referentes às medidas tomadas pelo atual secretário, o vice-prefeito Marcelo Braune. O subsecretário de Atenção Hospitalar, Eder Carpi dos Santos, o Ceará, revelou que, assim que tomou conhecimento da situação, Braune abriu um processo administrativo para apurar irregularidades.

Já na edição da última quarta-feira, 11, noticiamos a retirada dos equipamentos da unidade de saúde. Diversos itens tiveram que ser descartados, mas muita coisa foi aproveitada e ganhou destinação imediata. Jogos e brinquedos foram doados à creche do bairro; lençóis em bom estado foram levados à Maternidade; e talões de prontuário médico, receituário e declaração de comparecimento serão redistribuídos às unidades de saúde. Todo o restante foi encaminhado para o galpão da Secretaria de Educação.

No mesmo dia também fomos recebidos pelo secretário de Saúde, Marcelo Braune, que revelou: “A gente vem apagando uma série de incêndios, tanto na parte administrativa, quanto nas unidades de saúde. São tantos assuntos prioritários que só conseguimos enxergar uma situação tão séria quanto essa da UBS Cordoeira em novembro. Imediatamente abrimos um processo administrativo para apurar as responsabilidades. Mas o mais grave não é a paralisação da obra, mas a direção do posto que não tomou os cuidados e precauções necessários para a preservação de tudo que estava lá dentro”, disse.

 

LEIA MAIS

Restrições ficam ainda mais brandas, possibilitando o funcionamento de diversos setores em horário estendido

Prefeitura não divulga dados que embasaram a aferição da bandeira da próxima semana

Quase 200 CNPJs de Friburgo, Teresópolis, Petrópolis e Cabo Frio foram consultados; 69% ainda não enxergam volta à normalidade

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: saúde | Governo | obra