Corpo de Bombeiros já registrou 180 queimadas este ano em Friburgo

Área total atingida é superior a 400 mil metros quadrados. Esta semana, homem foi preso na região ateando fogo em mata
sexta-feira, 14 de agosto de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Fogo em mata é comum nesta época seca do ano (Fotos: Henrique Pinheiro)
Fogo em mata é comum nesta época seca do ano (Fotos: Henrique Pinheiro)

Um homem foi detido na tarde de quarta-feira, 12, após ser flagrado ateando fogo em vegetação na localidade de Novo Horizonte, no município de Cantagalo. A ação foi realizada por agentes do 6º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM) de Nova Friburgo, com apoio do 11ºBPM e da Polícia Civil. O caso foi registrado na 153ª DP, em Cantagalo. Segundo o comandante do 6º GBM, tenente-coronel Thiago Nunes Alecrim, o fato “confirma a ideia de que grande parte das ocorrências de fogo em vegetação - muito comuns nesta época do ano - são oriundas de ações criminosas, causando impactos no meio ambiente e na qualidade de vida das pessoas”. 

O homem preso em Cantagalo foi filmado por testemunhas que o flagraram colocando fogo no mato. As imagens foram encaminhadas ao Corpo de Bombeiros e a PM, que montaram uma operação que resultou na detenção do acusado. Ele foi autuado com base na lei de crimes ambientais e, em caso de condenação, pode pegar uma pena que varia de um a quatro anos de prisão e multa.

Para o comandante do Corpo de Bombeiros, a participação da população através de denúncias é fundamental para que as autoridades possam cumprir o seu papel da melhor maneira possível: “Sempre orientamos que as pessoas procurem a polícia e façam o registro da ocorrência. Contudo, quando as pessoas também compartilham essas informações conosco, principalmente vídeos como este, em que é muito perceptível a ação do indivíduo, bem como é possível identifica-lo, fazemos imediatamente a ponte com as polícias civil e militar, num trabalho conjunto de repressão a esse tipo de conduta”, disse Alecrim.

A situação em Friburgo

Infelizmente, em Nova Friburgo as queimadas também são muito comuns, sobretudo nesta época do ano, quando há maior período de estiagem. Ainda de acordo com informações passadas pelo comandante do 6º GBM, somente neste ano já foram registradas 180 ocorrências de fogo em vegetação, com uma área total atingida superior a 400 mil metros quadrados – o equivalente a aproximadamente 56 campos de futebol.

“Somente hoje (quinta-feira, 13), pela manhã, durante voo de monitoramento realizado pela nossa aeronave, foi possível identificar indivíduos colocando fogo próximo a uma região de matas no distrito de Amparo”, destacou o comandante do 6º GBM.

O tenente-coronel Thiago Nunes Alecrim revelou que, apesar dos números alarmantes, a situação em 2020 ainda é melhor do que a registrada em anos anteriores: “Esse ano estamos com uma estatística menor. A umidade do ar tem ficado elevada quando comparada ao ano passado, o que reduz um pouco a velocidade de expansão dos incêndios florestais”. 

 

LEIA MAIS

Em Friburgo foram emitidos comunicados preventivos, em Amparo e Nova Suíça, além de um auto de constatação por corte de árvores

Frente fria que se aproxima do Estado do Rio carrega ventos impregnados da fuligem das queimadas no Pantanal

Bombeiros levaram três dias para controlar focos em Amparo e na Chácara do Paraíso

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: fogo