Chegam a Friburgo mais 2.500 doses da Coronavac

Maior parte será destinada para segunda dose; cronograma não será alterado
segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Chegam a Friburgo mais 2.500 doses da Coronavac

Chegou nesta terça-feira, 23, a Nova Friburgo,  com um dia de atraso por causa do mau tempo, mais 2.560 doses da vacina Coronavac contra a Covid-19. Segundo a Secretaria municipal de Saúde, dessa nova remessa do governo do estado, apenas 250 doses são destinadas à imunização de novas pessoas: o restante será aplicado como segunda dose de quem já tomou a primeira.

A Subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Braz Penna, informa que, pelo fato de chegarem poucas doses, o calendário de imunização não será alterado, continuando a serem imunizados os idosos acima dos 90 anos. Segundo a subsecretária, “as doses previstas para chegarem hoje são insuficientes para o município avançar no cronograma com a imunização de um novo público-alvo”, explica.

A Secretaria Municipal de Saúde destaca que o município segue rigorosamente o Plano Nacional de Imunização, determinado pelo Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, e que é totalmente dependente das esferas Federal e Estadual para dar prosseguimento na imunização da população friburguense.

Distribuição começou na sexta

A Secretaria estadual de Saúde (SES) iniciou na última sexta-feira, 19, a distribuição de uma nova remessa de 173.500  doses da CoronaVac contra a Covid-19 para os 92 municípios fluminenses. Também estão sendo entregues às prefeituras outras 20 mil doses, sendo dez mil para primeira aplicação e dez mil para segunda, que estavam armazenadas na Coordenadoria Geral de Armazenamento (CGA), em Niterói, como reserva técnica para casos de reposição.

As prefeituras do Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo e Maricá foram os primeiros a retirar as novas remessas de doses na CGA. Para os demais 88 municípios do estado, inclusive Nova Friburgo, a entrega será realizada, a partir desta segunda-feira, 22, por quatro aeronaves. A ação contará com helicópteros do Corpo de Bombeiros e do Governo do Estado e apoio da Polícia Civil. “Conforme programamos, distribuímos a primeira dose e armazenamos a segunda. Desta forma, garantimos que os municípios cumpram o esquema vacinal”, afirmou o secretário estadual de Saúde, Carlos Alberto Chaves.

A Subsecretaria de Vigilância em Saúde (SVS) atualizou o ofício enviado aos 92 municípios, reforçando a importância de os responsáveis técnicos e gestores municipais organizarem suas ações de vacinação priorizando os grupos elencados no Programa Nacional de Imunização (PNI). A SVS ressalta ainda que a programação deve ser organizada de acordo com o número de doses que serão aplicadas no dia, para que o frasco multidoses seja totalmente utilizado. A SES esclarece também que a definição dos grupos prioritários para a primeira fase da vacinação contra a Covid-19 foi estabelecida pelo Programa Nacional de Imunização (PNI). O Estado segue a recomendação do Ministério da Saúde, repassando as orientações aos municípios. Neste primeiro momento, foi definido um grupo prioritário composto por: profissionais da saúde que atuam na linha de frente no combate à Covid-19 e na vacinação; pessoas com 60 anos ou mais vivendo em abrigos ou asilos; pessoas maiores de 18 anos com deficiência institucionalizadas; trabalhadores dessas instituições; povos indígenas vivendo em terras indígenas eidosos com mais de 90 anos.

MP recomenda prioridade aos idosos

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva do Núcleo Nova Friburgo, expediu, na última quinta-feira, 18, recomendação ao prefeito de Nova Friburgo para que, na operacionalização da vacinação contra a Covid-19 no âmbito municipal, seja priorizada a imunização dos idosos com as novas remessas da vacina, observados os critérios previstos no Programa Nacional de Imunização (PNI).

Entre outros pontos, destaca o MPRJ que “o número de doses disponíveis ainda é insuficiente para a imunização de todos os integrantes de grupos prioritários, fazendo- se necessário que os gestores adotem estratégias para a vacinação do público mais vulnerável à Covid-19 e que, neste contexto de escassez, faz-se necessário seguir parâmetros objetivos, racionais e impessoais, assegurando-se que as pessoas priorizadas na campanha sejam aquelas mais vulneráveis à contaminação, em consonância com o planejamento nacional e com as diretrizes técnicas da Organização Mundial da Saúde”.

Além disso, o MPRJ ressalta “a referência da nota técnica SES-RJ/COSEMS-RJ Nº 01/2021, que aponta a prerrogativa dos municípios na identificação de seus grupos prioritários, aludindo, contudo, ao ofício circular nº 033/2021/SVS/MS, de 08/02/21, quanto à urgência de iniciar a vacinação de idosos acima de 90 anos, explicitando os riscos epidemiológicos para essa faixa etária; já tendo sido entregue número suficiente de doses para a cobertura dessa parcela da população”.

Doses recebidas e entregues

A Secretaria já recebeu do Ministério da Saúde 1.040.320 doses de vacina contra a Covid-19, sendo 855.320 da CoronaVac e 185 mil da Oxford/AstraZeneca. Até o último dia 11, haviam sido entregues 842.890 doses aos 92 municípios. Dessas, 242.060 eram destinadas à segunda dose da CoronaVac, para atender à população que recebeu o imunizante enviado no primeiro lote, do dia 20 de janeiro.

 

LEIA MAIS

Noroeste Fluminense evolui para vermelha, assim como Friburgo; Centro-Sul segue em laranja

Por novo decreto, restaurantes fecham mais cedo, às 20h, e bares só poderão funcionar com delivery

Imunização com doses da Oxford/Astrazeneca será na segunda e terça próximas em vários pontos do município

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra