Hamilton Werneck

Hamilton Werneck

Eis um homem que representa com exatidão o significado da palavra “mestre”. Pedagogo, palestrante e educador, Hamilton Werneck compartilha com os leitores de A VOZ DA SERRA, todas as quartas, sua vasta experiência com a Educação no Brasil.

16/11/2016

A educação é uma questão de condomínio. Por si, as escolas públicas deveriam ser tão boas que não haveria necessidade de escola particular. Ou poderíamos ter um sistema alemão, holandês, chileno, por exemplo, onde os professores são funcionários públicos e por eles pagos, enquanto a gestão pode ser variada. Poderíamos ter associações gestoras de escolas, como organizações particulares estabelecendo convênios com o poder público.

Leia mais
10/11/2016

Muito se tem discutido a respeito da destinação das verbas do pré-sal para a educação, sem que se saiba ao certo quando este dinheiro virá ou até mesmo se um dia virá. No entanto, não podemos ainda precisar, exatamente, quanto será o valor do petróleo extraído do pré-sal. Tudo dependerá de oferta e procura. Dentro dos parâmetros esperados, em 2020 mais que dobraremos nossa produção e seremos um dos cinco maiores produtores de petróleo do mundo.

Leia mais
02/11/2016

Todos são unânimes em afirmar que um país só atinge sua real capacidade de desenvolvimento através da educação. De que forma, então, podemos fazer isso? Jamais com a pergunta que ouvi numa cidade da Amazônia: “Professor, se todos aprenderem, quem trabalhará para a gente?” Trata-se de mentalidade anterior à abolição da escravatura. Temos de insistir para que, ao lado do pesado e barato (exploração de minérios) incrementemos a produção do leve e caro (um chip, por exemplo).

Leia mais
27/10/2016

Um bate-papo com o professor Hamilton Werneck – Parte 1

Hoje e nas próximas duas quintas-feiras publicamos uma entrevista com o professor, colunista e palestrante Hamilton Werneck que destaca variados aspectos sobre o processo educacional brasileiro.

Infelizmente pesquisas demonstram que a educação brasileira não está relacionada entre os melhores resultados, em comparação com outros países. Gostaríamos de um diagnóstico com sua análise sobre a verdadeira situação do ensino no Brasil.

Leia mais
20/10/2016

No século 18 as crianças conviviam diretamente com os adultos e eram tratadas como agradáveis “animais de companhia”, segundo expressão da época. Em relação à educação das crianças pouco foi estudado antes do século 19. 

A pediatria trouxe grande contribuição, embora a sociedade europeia e ocidental considerasse a educação infantil a partir dos sete anos de idade. Uma concepção de educação infantil como a que concebemos hoje é fruto da revolução industrial que forçou a criação de creches e o surgimento de cuidadores para que, sobretudo as mães, pudessem trabalhar. 

Leia mais
14/10/2016

A escolha de uma carreira exige este cuidado: escolher o que existirá no futuro porque você pode fazer um vestibular, escolher a carreira e ficar desempregado por causa do desaparecimento de muitas profissões.

É verdade também que as carreiras tradicionais permanecem, o que com elas ocorre é uma constante adaptação e ajustes às especialidades novas.

Um universitário iniciando um curso em 2016 certamente terá oportunidades muito variadas nas especialidades que surgirão nos próximos quatro ou cinco anos.

Leia mais
06/10/2016

Os gregos consideravam idiotas aqueles que pensavam somente em si, acreditavam no ditado “cada um para si e Deus por todos” e não participavam da vida comunitária. Oposto a este comportamento, estavam os políticos porque cuidavam do bem comum, participavam da vida das cidades, inclusive com o voto, na democracia grega e eram pessoas dispostas a servir.

Como estamos vivendo uma grande inversão deste valor da época da democracia ateniense, provavelmente ele seja a causa de tantos votos em branco, nulos e abstenções. Nunca atingimos percentuais tão elevados.

Leia mais
29/09/2016

A vida humana gira em torno dessas duas vertentes e exige de todos a capacidade de movimento entre uma coisa e outra através da administração dos dois comportamentos. O medo acaba por levar ao cuidado com o exercício da profissão. O profissional é cobrado pelos seus atos e, por vezes, não tem como se eximir de culpa, apesar das justificativas. Se um médico alegou ter esquecido uma pinça dentro do abdômen do paciente porque seu salário não é compatível com seus desejos, ninguém aceita. Não adianta dizer que, se ganhasse melhor, não esqueceria a pinça lá dentro.

Leia mais
23/09/2016

Se não tomarmos cuidado com o que se apresenta como politicamente correto ou incorreto seremos destinados ao mutismo.  Não foi parâmetro de educação alguma, defender uma acirrada crítica ao modo de falar do homem simples, geralmente de regiões afastadas dos centros urbanos, aonde não chegou um ensino regular de qualidade. O mesmo se diga em relação às populações pobres e periféricas das grandes cidades.

Leia mais
15/09/2016

Considero a disciplina nas escolas e no trabalho intelectual como uma questão de convivência. Pode ser a convivência com os outros, pode ser a convivência consigo mesmo.

A convivência está intimamente ligada à identidade da pessoa. Em geral quando uma escola está com um acúmulo de problemas no relacionamento com os alunos ou com os responsáveis pelos alunos ou com o corpo docente, ela precisa rever duas coisas ao mesmo tempo: as suas normas em relação ao paradigma educacional da instituição e a evolução do conceito de identidade através do tempo.

Leia mais