Secretário explica demora de testes de confirmação para Covid-19 em Friburgo

“Cobramos diariamente a Fiocruz pelos resultados”, diz Marcelo Braune. Cidade tem mais de 40 casos suspeitos
sexta-feira, 27 de março de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
O secretário municipal de Saúde,  Marcelo Braune (Arquivo AVS)
O secretário municipal de Saúde, Marcelo Braune (Arquivo AVS)

Os efeitos de uma quarentena e a busca por respostas concretas têm levado muitos friburguenses a questionar nas redes sociais pelos resultados dos exames dos, até agora, 49 casos suspeitos de coronavírus em Nova Friburgo, um deles já testado positivo em teste preliminar, segundo a Unimed. Até o momento, apesar das especulações, não há casos confirmados na cidade.

Apreensivos, o friburguenses cobram por informações mais claras da Secretaria de Saúde e Vigilância em Saúde. Os exames realizados para detectar a presença do vírus nos casos suspeitos são coletados na cidade e enviados para a Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro. Lá, as amostras são analisadas e o resultado é enviado para a prefeitura. Todo esse processo é demorado e nós vamos explicar o porquê.

Até o momento, o teste PCR (Proteína C Reativa) é o mais eficaz – e por isso o mais demorado –  para identificar se a pessoa tem ou não o vírus. Outros modelos de teste podem apresentar um resultado cruzado: mostrar um falso positivo, detectando uma resposta do corpo a outra doença. No caso do PCR, é uma detecção específica do vírus da Covid-19, o que diminui o risco.

"Eles pegam o genoma do vírus, sequenciam, tiram um pedacinho da sequência e, quando se coloca novamente na presença do vírus, ele sinaliza", explicou a infectologista Tânia Vergara, da Sociedade de Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro.

O PCR precisa de uma estrutura laboratorial e a resposta demora alguns dias. O teste é a resposta final e precisa sobre a presença do vírus na amostra analisada. Foi por meio dele que, no dia 24 de fevereiro, confirmou-se primeiro caso da Covid-19 no país.

Os resultados do PCR costumam sair em até uma semana, mas, em função da distância,  o prazo para entrega em Nova Friburgo, inicialmente, era de até dez dias. O tempo de espera aumentou por conta do aumento exponencial do número de casos no estado e do número de testes realizados diariamente e analisados pela Fiocruz. Por conta disso, existe a demora em se divulgar os resultados de casos suspeitos na cidade, mesmo em testes realizados há mais de uma semana.

“A Fiocruz é o único laboratório que tem feito a análise desses exames de todo o estado e também de outros estados brasileiros, por isso a demora. Existe o acúmulo dos exames, assim como o aumento da demanda. A Vigilância em Saúde segue no aguardo desses resultados que tem saído paulatinamente”, informou a subsecretária de Vigilância em Saúde, Fabíola Penna, que esclareceu os boatos que circulam em rede social sobre a falta de informação da prefeitura.

“Não há intenção do município em esconder qualquer informação, muito pelo contrário. Seguimos aguardando ansiosamente para poder publicar. Por enquanto, todos os resultados deram negativos, conforme atualização dos nossos boletins”, disse ela.

“Cobramos diariamente a Fiocruz pelos resultados. Acho que já deviam ter chegado mais resultados, além dos que vieram. Seguimos atentos”, completou o secretário municipal de saúde e vice-prefeito, Marcelo Braune.

LEIA MAIS

No atual contexto do crescimento de infecções pelo novo coronavírus, o restabelecimento de pacientes e a melhora da qualidade de vida

Entidade também solicita que atividade seja considerada serviço essencial, para hospedagem de médicos, enfermeiros e idosos que necessitam de isolamento

Documento a ser entregue a Renato Bravo pretende servir de diálogo para a retomada econômica respeitando a saúde pública

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra