Saiba como descartar corretamente pilhas e baterias

Coletores são instalados no Centro e no distrito de Lumiar
sexta-feira, 16 de outubro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Coletor no Centro de Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
Coletor no Centro de Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

A desatenção no descarte de pilhas e baterias pode resultar em diversas complicações, desde a contaminação do solo e da água até doenças que podem afetar quem entrar em contato com um local onde esses materiais foram descartados incorretamente. A PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), sancionada em 2010, estabelece o incentivo à chamada logística reversa, que constitui em incentivos para que as empresas, governos e consumidores estejam comprometidos em viabilizar a coleta e restituição dos resíduos sólidos à empresas fabricantes, além da participação de cooperativas ou outras formas de associação de catadores de materiais recicláveis.

O perigo no descarte das pilhas e baterias está no fato de que, se descartadas incorretamente, elas podem ser amassadas, ou estourarem, deixando vazar o líquido tóxico de seus interiores. Essa substância se acumula na natureza e, por não ser biodegradável, - o que significa que ela não se decompõe - pode contaminar o solo.

Algumas práticas podem ajudar a aumentar a vida útil das pilhas. Uma delas é nunca guardá-las em locais expostos ao calor e à umidade. Isso evita o vazamento de seu conteúdo. Além disso, é preferível a utilização de pilhas e baterias recarregáveis, pois esses modelos têm maior durabilidade. É importante também retirar as pilhas do equipamento se ele for permanecer muito tempo sem uso.

Em Nova Friburgo, quem quiser descartar este tipo de material encontra um coletor na Rua Prefeito José Eugênio Müller, perto da esquina com a Rua Portugal, no Centro. Já no distrito de Lumiar, os proprietários da cervejaria Lumiarina, Luiz Enne e Ana instalaram um coletor na porta da fábrica com o intuito de incentivar a população local a descartar o material de forma correta e não prejudicar o meio ambiente.

“Temos um plano de reinvestimento em iniciativas ligadas ao tema. Neste momento temos um ponto de coleta do projeto Reciclotron na fábrica (Rua Jorge José Pedro, 151 – Lumiar) e apoiamos também a iniciativa “Uma composteira por casa” para distribuir composteiras aos moradores do distrito. Também temos em vista o projeto “RPPN Viva” de reflorestamento na região de Rio Bonito de Cima”, contou Luiz. A Secretaria Municipal de Meio Ambiente também faz o recolhimento de pilhas e baterias na sede da prefeitura e entrega em uma loja cadastrada que faz o processo de logística reversa.

 

LEIA MAIS

Evento este ano, desta quinta até 1º de novembro, será online e terá transmissão ao vivo

Sediada em Cachoeiras, ONG SOS Vida Silvestre fornece assistência à fauna silvestre da Mata Atlântica

Proprietário do terreno disse que não possuía licenças para o serviço

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra