Rede estadual sem aulas: para prefeitura, saúde sobrepõe prejuízos pedagógicos

Retomada continua proibida até o fim do mês. Novo decreto será publicado até o fim da próxima semana
segunda-feira, 19 de outubro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Rede estadual sem aulas: para prefeitura, saúde sobrepõe prejuízos pedagógicos

Conforme já anunciado por A VOZ DA SERRA, o prefeito Renato Bravo proibiu, por decreto, a retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino a partir desta segunda-feira, 19, conforme cronograma estabelecido pelo Governo do Estado do Rio, no que previa o retorno apenas alunos da 3ª série do ensino médio e do programa Educação de Jovens e Adultos (EJA). A proibição em Nova Friburgo vale até o próximo domingo, 31, quando também se encerra a validade do decreto que suspendeu as aulas presenciais nas escolas municipais, bem como nas creches, escolas e universidades particulares do município.

Questionada pelo jornal se pretende estender a suspensão das aulas presenciais nas escolas de Nova Friburgo até o final deste ano, a prefeitura informou em nota que “levantamentos e análises estão sendo realizados, os quais subsidiarão a elaboração do novo decreto municipal relativo ao tema, que será publicado até o final da próxima semana”.

Cerca de 1.100 estudantes estão matriculados na 3ª série do ensino médio e na EJA na rede estadual em Nova Friburgo, e alguns deles estão inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado em janeiro do ano que vem. Sem as aulas presenciais, o Governo do Estado do Rio teme que esses alunos tenham um prejuízo pedagógico em relação aos demais que estão retornando às escolas.

“A maior preocupação dos alunos da 3ª série do ensino médio é a prova do Enem em janeiro, e eles vão disputar vagas nas nossas universidades com alunos de outros estados que não tiveram um apagão educacional como o do Estado do Rio. Apresentar uma alternativa presencial apenas para os alunos da terminalidade do ensino médio é uma obrigação nossa como educadores. Preparamos as escolas no ponto de vista sanitário, editamos uma resolução cuidando da saúde do professor, que farão autodeclaração se tiverem mais de 60 anos ou comorbidade. O compromisso desses educadores não é com o governo, é com os seus educandos, que têm uma prova de Enem em janeiro", explicou o secretário estadual de Educação, Comte Bittencourt.

A Prefeitura de Nova Friburgo também comentou sobre esse possível prejuízo pedagógico ao qual o Governo do Estado se refere: “Além de Nova Friburgo, outros 75 municípios dos 92 que compõem o Estado do Rio optaram pelo não retorno presencial neste momento, todos baseados em orientações das autoridades sanitárias, as quais se sobrepõem aos prejuízos pedagógicos”.

A retomada em outros municípios

As aulas presenciais na rede estadual de ensino foram retomadas nesta segunda-feira, 19, em pelo menos 16 municípios, incluindo a capital e Niterói. No restante do estado, inclusive em Nova Friburgo, as atividades pedagógicas serão exclusivamente remotas. Mesmo sem aulas presenciais, todas as escolas da rede ficarão abertas para que os estudantes retirem o material didático, além do kit alimentação.

O retorno ocorreu em 416 escolas estaduais. Juntas, essas unidades somam 63 mil alunos que puderam optar pelo retorno às aulas presenciais ou a continuidade no ensino remoto. Os municípios que aderiram à flexibilização proposta pelo Governo do Estado são: Carapebus; Casimiro de Abreu; Duque de Caxias; Italva; Itatiaia; Macaé; Mesquita; Miracema; Natividade; Nilópolis; Niterói; Piraí; Rio de Janeiro; São Francisco de Itabapoana; São Pedro da Aldeia e Seropédica. Nos municípios que retomaram as aulas, 24 escolas não iniciaram suas atividades presenciais como as demais, uma vez que suas equipes de direção declararam fazer parte do grupo de risco da Covid-19. 

 

LEIA MAIS

Expectativa é da Fecomércio. Campanha coletiva de descontos é nesta sexta

Estudantes foram inscritos em outra disputa, o Concurso Canguru de Matemática, a maior competição de Matemática do mundo

São oferecidas 3.399 vagas, distribuídas em 17 cursos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra