O papai tá “on”

Confira a entrevista com o técnico de informática Andelvan Passos, pai de Haniel e de João, sobre como a paternidade mudou a sua vida
sábado, 07 de agosto de 2021
por Thiago Lima (thiago@avozdaserra.com.br)
Andelvan e família (Fotos: acervo pessoal)
Andelvan e família (Fotos: acervo pessoal)

O Caderno Z entrevistou o nosso técnico de informática, o friburguense Andelvan Passos, de 44 anos, pai de Haniel Ribeiro Passos, de 18 anos, e de João Ricardo Ribeiro Passos, de 4 anos. Andelvan nos conta como é ser pai nos dias de hoje, tendo que conciliar os compromissos profissionais sem deixar de acompanhar o cotidiano dos filhos e o que a paternidade mudou em sua vida. Confira.   

Caderno Z: Me conte um pouco sobre o seu dia-a-dia…

Andelvan: Sou TI e atendo diversas empresas durante a semana de forma presencial e remota. Parte do meu trabalho pode ser feito em casa, tornando a convivência familiar mais intensa. O dia começa bem cedo por aqui: Às 6h o dia começa, nosso pequeno, o ‘02’, João Ricardo pula bem cedo e já inicia o dia querendo fazer o que um menino de 4 anos mais gosta, brincar! Desde já ele sabe que o papai tem horário certo para acompanhá-lo nas brincadeiras. Dividimos as tarefas domésticas, eu e a mamãe Cristina, o meu ‘Porto Alegre’. A multitarefa para as mulheres é algo natural, faz parte do ser mulher e mãe. Tive que aprender a agir dessa forma também graças a minha profissão. Um TI faz quase tudo e ao mesmo tempo! O nosso ‘01’, Haniel, é o guardião da casa. Como passa grande parte do dia em casa às voltas com os estudos, está sempre atento e pronto para nos ajudar no que for preciso. Um grande coração tem esse cara!

O que você aprendeu com seu pai?

Respeito e honestidade foram as marcas deixadas pelo velho pai. Sempre foi uma pessoa presente apesar de ter partido quando eu tinha 13 anos. A partir desse momento a figura do padrinho ficou ainda mais presente na minha formação como homem. O Lengão, padrinho querido, é o meu paizão do coração que tenho, até hoje, o prazer de conviver, aprender, escutar suas histórias, piadas e rir muito.

Qual o principal ensinamento que você quer deixar para os seus filhos?

Os melhores ensinamentos vêm através dos exemplos. Através de atividades cotidianas podemos e devemos ensinar os principais valores éticos para nossos filhos. Só podemos ensinar o que sabemos, por isso a manutenção da estrutura familiar é importante na vida dos filhos. O que eu posso ensinar hoje aprendi com o passado e nossos filhos terão a oportunidade de passar os ensinamentos que aprenderam conosco adiante, esse é o caminho.

Qual mensagem deixaria para o seu pai, se pudesse?

Obrigado por encontrar a mamãe nesta vida, caso contrário eu não estaria aqui!

O que a paternidade mudou em você?

Nossas vidas são pequenas embarcações, a paternidade altera as coordenadas da embarcação, trazem experiências que marcam nossas jornadas. A paternidade muda a nossa proposta de vida. Enquanto os filhos não chegam vivemos para nós mesmos, parece algo egoísta e de certa forma, realmente é. Quando eles chegam, tudo muda.  A importância maior são eles, fazemos quase tudo pensando neles, queremos que o nosso maior legado siga adiante. Temos dois carinhas com idades bem diferentes com necessidades e anseios distintos aqui. Nosso João Ricardo quer companhia, brincar. Haniel quer conversar, ver um filme, externar suas emoções e buscar algumas respostas.

Qual o maior desafio de ser pai?

Ser pai é o desafio mais importante da vida de um homem. Ser pai é ser um super-herói, indestrutível! Tive com o Haniel e, hoje, tenho com o João Ricardo a oportunidade de participar de todo o processo de desenvolvimento, apesar de todos os obstáculos do dia a dia.

Com a rotina intensa de trabalho, é difícil encontrar tempo para passar com as crianças?

Estamos mais unidos fisicamente por causa da pandemia e os filhos esperam viver com mais intensidade experiências ao nosso lado. E o bem mais valioso do mundo, na minha opinião, é o tempo. Ele é perecível e precisamos aproveitá-lo ao máximo ao lado deles. 

Uso o esporte como combustível de convivência com os meninos. Sou ciclista há 30 anos e utilizo a bike como meio de transporte, treino e lazer com eles. Um simples passeio de bike proporciona diversas experiências. Haniel teve a carreira no muay thai interrompida temporariamente por uma lesão e voltará em breve. Participamos, inclusive, de alguns eventos. João Ricardo é o peixe da casa, pratica natação duas vezes por semana. A cada exercício na água uma vitória! Acredito no esporte como meio de convivência e integração.

  

O que você já aprendeu com os seus filhos?

Os garotos me ensinam até hoje o verdadeiro significado do ‘amor incondicional’.  Amar os filhos incondicionalmente é saber dizer não! Quem ama não tem medo de dizer a verdade e quando eles aprendem isso, por mais duro que seja, sabemos que estamos no caminho certo na formação de pessoas de bem. Nosso legado seguirá adiante.

 

 

LEIA MAIS

Presença sempre ativa e constante do pai nessa relação pode ajudar as crianças a se sentirem seguras

Entre os que comemoram a data, o presente mais escolhido são as roupas, com 44% das respostas, seguido por perfumes, 41%

Milhões de estudantes brasileiros não têm o nome do pai

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra