Não vai ter carnaval em 2021, mas o Caderno Z canta e samba!

Versos de clássicos do samba e letra completa de dois deles
sábado, 05 de dezembro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
(Foto: Reprodução Internet)
(Foto: Reprodução Internet)

Seguem versos de composições clássicas de sambas para o leitor relembrar de algumas obras primas do nosso repertório, e as letras completas de dois deles: 

Liberdade, liberdade!
Abra as asas sobre nós 
E que a voz da igualdade
Seja sempre a nossa voz!
(Liberdade, liberdade! Abre As Asas Sobre Nós, samba composto por Niltinho Tristeza, Preto Jóia, Vicentinho e Jurandir para o carnaval de 1989 da Imperatirz Leopoldinense).

“A sorrir eu pretendo levar a vida, pois chorando eu vi a mocidade, perdida…” (Cartola / Elton Medeiros)

“Levanta, sacode a poeira, dá a volta por cima!” (Paulo Vanzolini)

“As rosas não falam, simplesmente as rosas exalam o perfume que roubam de ti…” (Cartola)

"Se alguém perguntar por mim, diz que fui por aí, levando um violão, debaixo do braço…” (Zé Kéti)

"Canta canta, minha gente, deixa a tristeza pra lá, canta forte, canta alto, que a vida vai melhorar…” (Martinho da Vila)

“Quem não gosta se samba, bom sujeito não é, ou é ruim da cabeça ou doente do pé” (Dorival Caymmi)

 

Quem te viu, quem te vê
Chico Buarque

Você era a mais bonita das cabrochas dessa ala
Você era a favorita onde eu era o mestre-sala
Hoje a gente nem se fala, mas a festa continua
Suas noites são de gala, nosso samba ainda é na rua

Quando o samba começava você era a mais brilhante
E se a gente se cansava você só seguia a diante
Hoje a gente anda distante do calor do seu gingado
Você só dá chá dançante onde eu não sou convidado

Hoje o samba saiu, procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece não pode reconhecer

O meu samba assim marcava na cadência dos seus passos
O meu sonho se embalava no carinho dos seus braços
Hoje de teimoso eu passo bem em frente ao seu portão
Pra lembrar que sobra espaço no barraco e no cordão

Hoje o samba saiu, procurando você...


Todo ano eu lhe fazia uma cabrocha de alta classe
De dourado eu lhe vestia pra que o povo admirasse
Eu não sei bem com certeza porque foi que um belo dia
Quem brincava de princesa acostumou na fantasia

Hoje o samba saiu, procurando você...

Hoje eu vou sambar na pista, você vai de galeria
Quero que você me assista na mais fina companhia
Se você sentir saudade por favor não dê na vista
Bate palma com vontade, faz de conta que é turista

Hoje o samba saiu, lá, lalaiá procurando você
Quem te viu, quem te vê
Quem não a conhece não pode mais ver pra crer
Quem jamais a esquece não pode reconhecer!

 

Foi um rio que passou em minha vida
Paulinho da Viola

Se um dia
Meu coração for consultado
Para saber se andou errado
Será difícil negar

Meu coração
Tem mania de amor
Amor não é fácil de achar
A marca dos meus desenganos ficou, ficou
Só um amor pode apagar
A marca dos meus desenganos ficou, ficou
Só um amor pode apagar

Porém! Ai porém!
Há um caso diferente
Que marcou num breve tempo
Meu coração para sempre
Era dia de Carnaval

Carregava uma tristeza
Não pensava em novo amor
Quando alguém que não me lembro anunciouPortela, Portela
O samba trazendo alvorada
Meu coração conquistou

 

Ah! Minha Portela!
Quando vi você passar
Senti meu coração apressado
Todo o meu corpo tomado
Minha alegria voltar

Não posso definir aquele azul
Não era do céu nem era do mar
Foi um rio que passou em minha vida
E meu coração se deixou levar (bis)

 

LEIA MAIS

Confira a entrevista com o técnico de informática Andelvan Passos, pai de Haniel e de João, sobre como a paternidade mudou a sua vida

Presença sempre ativa e constante do pai nessa relação pode ajudar as crianças a se sentirem seguras

Entre os que comemoram a data, o presente mais escolhido são as roupas, com 44% das respostas, seguido por perfumes, 41%

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra