Justiça nega pedido de volta às aulas em escolas particulares de Friburgo

Aumento do número de casos de Covid, falta de vacina e desconhecimento sobre a doença foram algumas das justificativas
sábado, 28 de novembro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Sala de aula vazia em Friburgo (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Sala de aula vazia em Friburgo (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

A juíza Fernanda Sepulveda Terra Cardoso Barbosa Telles, titular da 2ª Vara Cível de Nova Friburgo, indeferiu o pedido do Sindicato das Escolas Particulares para a volta às aulas presenciais.

Em suas justificativas, a juíza afirma que o coronavírus ainda é desconhecido para a medicina mundial, não  há cura, tampouco vacina aprovada, "tendo a OMS, neste cenário, recomendado aos líderes mundiais o isolamento social até a melhora dos índices epidemiológicos. Nessa esteira, não há consenso entre especialistas das áreas de saúde e educação quanto à reabertura das escolas para as aulas presenciais”, sustentou.

Ainda de acordo com a decisão da juíza, debatem-se, no Brasil e no mundo, a todo tempo, as mais eficientes maneiras de se conciliar medidas restritivas de combate à pandemia com a necessidade do retorno dos estudantes ao ambiente escolar. “Não se ignoram, nesse ponto, o crescimento exponencial de distúrbios comportamentais e de doenças de fundo psiquiátrico entre crianças e adolescentes; o retrocesso cognitivo; a questão da "exclusão digital"; o aumento dos casos de violência doméstica”, continuou em sua justificativa.

Segundo a juíza, o retorno às atividades educacionais presenciais das escolas públicas e particulares em Nova Friburgo deve observar a adoção dos protocolos sanitários necessários à segurança dos alunos, bem como contexto epidemiológico autorizativo de tal medida.

“E assim, por óbvio, deve ser, sendo irrelevante que o comparecimento presencial às aulas seja facultativo (isto é, dependa da decisão das famílias dos alunos), porquanto se esteja aqui cuidando do acesso à educação com garantia da saúde e vida das crianças e adolescentes da nossa comunidade. De igual modo, certo é que o retorno às aulas presenciais demanda prévio planejamento também por parte do setor de saúde do Município, eis que poderá haver aumento significativo dos casos de Covid-19 como corolário desse retorno, a acarretar o aumento da procura por atendimento médico e o aumento da ocupação de leitos hospitalares".

Pesou em sua decisão uma reportagem de A VOZ DA SERRA em que o jornal relatou ter recebido com frequência denúncias de pessoas e estabelecimentos que estariam desrespeitando as normas sanitárias impostas pelo governo municipal.  “São ruas e bares lotados, com aglomeração e clientes sem usar máscaras, casas de show que não estariam respeitando o limite de lotação, nem mesmo o horário de encerramento das atividades, entre outras irregularidades frequentes e que podem ser facilmente flagradas pela cidade. A fiscalização do cumprimento do decreto é outro ponto alvo de críticas por parte da população, que acredita que o governo municipal estaria fazendo vista grossa para determinadas infrações", escreveu ela, baseada na reportagem

 

LEIA MAIS

Megaoperação vai levar 5,5 milhões de unidades aos 92 municípios fluminenses em quatro dias

Administração pública coloca como prioritária o plano de retomada segura e gradual das aulas presenciais

Pelo quarto dia seguido, novos casos em 24h ficam acima de cem. Ocupação de leitos sobe para mais de 70%

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra