Governador, em Friburgo, enfim dá ordem de início das obras do Hospital do Câncer

"Um dia histórico para a cidade", define o prefeito Johnny Maycon. Cláudio Castro revela que perdeu a mãe, ainda jovem, para a doença
terça-feira, 14 de junho de 2022
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A cerimônia que oficializou o início das obras (Fotos: Henrique Pinheiro)
A cerimônia que oficializou o início das obras (Fotos: Henrique Pinheiro)

"Um dia histórico para Nova Friburgo". Assim o prefeito Johnny Maycon definiu a visita do governador Cláudio Castro à cidade nesta terça-feira, 14, para dar pessoalmente a ordem de início da retomada das obras do Hospital Regional de Oncologia Francisco Faria. Minutos após o discurso de Castro, as primeiras máquinas entraram em ação (abaixo) no terreno de aproximadamente 82.300 metros quadrados na Ponte da Saudade  onde, por muitos anos, funcionou o antigo Centro Adventista de Vida Saudável (Cavs), especializado na reabilitação de dependentes químicos. 

“Quem conhece algum paciente que já teve que realizar o tratamento oncológico em outras cidades sabe o quanto a luta é complicada. Através do tão aguardado Hospital do Câncer, porém, esperamos amenizar esse sofrimento na luta para vencer essa doença”, afirmou Johnny. 

Emotivo, Cláudio Castro revelou uma razão pessoal para priorizar esta obra, aguardada há tantos anos pelos friburguenses. "Poucos sabem, mas perdi minha mãe para o câncer ainda muito jovem. Ela com 28 anos de idade e eu uma criança com apenas 5. Por isso, poder retomar as obras do Hospital do Câncer tem um significado especial pra mim e ver a emoção nos olhos das pessoas ontem, em Nova Friburgo, foi uma bênção. Acredito que Deus me deu a oportunidade de pegar a minha história de vida e usar como combustível pra ajudar os outros na luta contra a doença que mais mata no mundo", postou o governador em redes sociais.

Tratamento em outras cidades

Segundo a prefeitura, em Nova Friburgo há atualmente 156 pacientes cadastrados no Tratamento Fora Domicílio (TFD) da Secretaria Municipal de Saúde. Essas pessoas estão em tratamento e, periodicamente, precisam se deslocar até Teresópolis, Petrópolis e a capital para fazer radioterapia e outros procedimentos.

Diariamente, como já mostraram diversas reportagens de A  VOZ DA SERRA, vans com pacientes e acompanhantes saem de Friburgo para “uma viagem cansativa em busca da cura”, como definiu Johnny Maycon. “Agora, com a unidade localizada na Ponte da Saudade, esse transtorno será evitado com um atendimento de qualidade para a população”, afirmou o prefeito.

Caráter regional

O Hospital do Câncer será regional, beneficiando não só moradores de Nova Friburgo como também de outros municípios. A expectativa é que a obra, orçada em R$ 51 milhões, seja finalizada em até 12 meses. O espaço terá 58 leitos, sendo dez de Terapia Intensiva, e 48 de enfermaria, além de consultórios médicos, laboratórios, centro cirúrgico, estacionamento e espaço para lazer.

“Gostaríamos de agradecer o governador Cláudio Castro, que, através de uma gestão séria, comprometida e transparente, tem colocado o Rio de Janeiro no caminho do desenvolvimento e resgatado a sua credibilidade”, disse Johnny Maycon.

O prefeito agradeceu também ao deputado estadual Max Lemos, presidente da Comissão de Obras da Alerj e ex-secretário da Secretaria estadual de Infraestrutura,  que lutou de forma incansável para que esse sonho pudesse se tornar realidade; ao secretário de Infraestrutura e Obras, Rogério Brandi; ao secretário de Saúde, Alexandre Chieppe; e aos demais envolvidos, entre eles o vereador friburgunse José Roberto Folly (acima, em prantos).

Folly liderou o maior movimento, com milhares de assinaturas, pela retomada das obras do hospital, que levará o nome do pai do empresário friburguense Rogério Faria (acima).

Relembre a novela da obra

O hospital já deveria estar funcionando desde 2016. Somente em maio  passado, no entanto,  foi anunciada a empresa que venceu a licitação para concluir as obras inacabadas: a MPE Engenharia e Serviços S/A, com sede no Rio de Janeiro. A licitação foi realizada dez anos depois do primeiro anúncio da construção do Hospital do Câncer em Nova Friburgo.

Em 2016, o Hospital Estadual de Oncologia de Nova Friburgo, previsto para atender cerca de 500 mil pessoas de toda a Região Serrana, deveria ter sido inaugurado, segundo anúncio do então governador Luiz Fernando Pezão. Esta foi a segunda data de inauguração. O ex-governador Sérgio Cabral havia prometido entregar o hospital em 2014.

Em 2012, o então governador do Estado do Rio, Sérgio Cabral, assumiu o compromisso de entregar ao município de Nova Friburgo uma unidade oncológica com 120 leitos, 10 UTIs, 30 leitos para tratamento infantil, além de três salas cirúrgicas e um Centro de Imagens. O  prédio do antigo Cavs foi desapropriado pelo Governo do Estado. A Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) começou as obras de adaptação ainda em 2012, mas por pouco tempo. O governador pretendia inaugurar a unidade dois anos depois, ou seja, em 2014. Não foi inaugurada naquele ano nem nas gestões seguintes.

Após a cerimônia, Castro reuniu-se om empresários friburguenses em um almoço restrito a convidados no Nova Friburgo Country Cube (abaixo).

Segundo o governo do estado, após a retomada das obras do hospital e o almoço, Castro ainda tinha na agenda vistorias nas obras de contenção do Jardim Califórnia e da RJ-130, em Campo do Coelho.  Durante a visita a Friburgo  o governador prestou contas das ações do estado  e anunciou mais investimentos na cidade.

"Essa obra vai permitir que as pessoas possam fazer tratamento e acompanhamento perto de suas casas. E ela só está acontecendo pela retomada da capacidade de investimento do Estado, que conseguimos através de parceria entre todas as esferas", disse Castro.

Em sua visita ao hospital no início de maio, o secretário Rogério Brandi disse que há muito trabalho a fazer, até pelo tempo que a obra está paralisada. O resultado, adiantou, será um hospital de última geração. "A obra começa agora e faremos tudo  para que seja concluída o mais breve possível, para que as famílias daqui de Nova Friburgo e dos municípios do entorno tenham mais tranquilidade no tratamento. Este será um hospital muito importante para a população e estamos dando a importância necessária à obra’, afirmou.

Verbas para a saúde

Nesta segunda-feira, 13, Castro lançou o  Programa Cuidar + Saúde para Todos, novo projeto do estado que irá destinar R$ 800 milhões em créditos extraordinários a projetos da área da saúde para os municípios. Todas as cidades fluminenses são elegíveis a receberem os recursos. Para isso, devem apresentar projetos, que serão analisados pela Secretaria de Estado de Saúde, encarregada de autorizar o repasse.

Os municípios deverão utilizar a verba destinada de forma específica: 30% do valor deverá ser investido na reforma das unidades básicas de saúde e os outros 70%, para custeio de linhas de cuidados que poderão ser elencadas pelos municípios, como cuidado cardiovascular, saúde da mulher, oncologia, de acordo o que consideram mais relevante.

O secretário estadual de Saúde, Alexandre Chieppe, falou sobre o trabalho da pasta na avaliação dos projetos."Vamos receber esses projetos, avaliar e autorizar os repasses, é um primeiro momento minucioso. As prefeituras poderão injetar os recursos referentes a custeio nas unidades básicas de saúde até o tratamento de alto padrão".

LEIA MAIS

Primeiro suplente pelo PSC de Cláudio Castro, ele passa a ocupar vaga aberta pelo deputado Márcio Pacheco, eleito novo conselheiro do TCE

Prefeitura reconhece falha em legislação antiga, tem prazo para se adaptar negado e promete recorrer

Com recursos provenientes de royalties federais, prefeitura fará melhorias em 8 espaços públicos de Friburgo

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra | saúde | Governo