Frizão empresta jogadores e aguarda retornos

Magrão e Raniel defendem o Pinheiros durante a disputa do Campeonato Maranhense
sexta-feira, 06 de março de 2020
por Vinicius Gastin
A equipe do Pinheiros maranhense
A equipe do Pinheiros maranhense

Os anos passam e a grande maioria dos clubes de menor investimento do Brasil convive com uma realidade desafiadora. No Estado, por exemplo, quem não consegue ganhar uma Copa Rio, ser vice ou o melhor numa Série A Estadual, fica sem calendário. 

O Friburguense está inserido nesse contexto, e com apenas a Copa Rio para ser disputada no meio do ano, emprestou boa parte de seu elenco e perdeu outra parte.

“Foi uma coisa que passou em branco, e até hoje eu não entendo a mudança de calendário pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Temos dois meses de campeonato numa primeira divisão ou seletiva. Se é feito contrato de um ano, paga-se dez meses sem jogar. E surgem oportunidades no meio do caminho. A partir do momento em que fomos bem no Grupo X, o mercado vem em cima, como foi o caso da maioria dos nossos jogadores”, explica o gerente de futebol José Siqueira, o Siqueirinha.

Há casos em que o clube consegue negociar uma renovação de contrato antes de acertar os empréstimos. Desta forma, há a expectativa por um possível retorno ao final do vínculo, no mês de maio, às vésperas da Copa Rio.

Raniel e Magrão, por exemplo, foram emprestados ao Pinheiros Atlético Clube, do Maranhão, enquanto Jeffinho e Jorge Luiz vão defender o Anapolina no Campeonato Goiano. Casos semelhantes são os dos goleiros Afonso (que permanece em Nova Friburgo, para cuidar do filho recém-nascido), Luiz Felipe (com propostas, mas há chances de permanecer), Lucas, Júlio César, Bruno Leal, Ricardo e Jhonatan. 

A ideia no Friburguense é contar novamente com a maioria desses jogadores, mas há o temor pela chegada de propostas mais vantajosas, caso eles se destaquem nesse período. Ainda assim, a direção tricolor planeja montar um time competitivo para buscar a classificação para uma competição nacional já nesta temporada.

“Em um ano de trabalho, aproveitando bem os campeonatos, torna-se possível uma reviravolta. Uma pena que o lado financeiro faça tanta diferença. Tem a questão de projetar o retorno de alguns atletas, criar um grupo e correr o risco de perdê-los por propostas melhores. Mas se a gente puder adiantar um caminho e voltar ao cenário nacional já através da Copa Rio deste ano, é uma vontade do Friburguense”, reforça Siqueira.

LEIA MAIS

Império Serrano também terá seu próprio time de futebol

Friburgo voltou a ter a modalidade regularmente, com treinos e participações em jogos e eventos

Derrota para Cabofriense, fora de casa, foi uma das poucas partidas sem ao menos uma polêmica envolvendo arbitragem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol