EPIs produzidos em Friburgo chegam a locais distantes do Brasil

Projeto deve alcançar 100 mil unidades doadas a profissionais de saúde de diversos municípios. Transporte terá o apoio da FAB
sexta-feira, 31 de julho de 2020
por Jornal A Voz da Serra
EPIs produzidos em Friburgo chegam a locais distantes do Brasil

Os protetores faciais de acrílico, conhecidos como face shields, criados pelo projeto Face Shield Nova Friburgo, chegarão aos estados mais distantes do país. A nova meta é alcançar a produção de 100 mil unidades que serão doadas a profissionais de saúde. Parte delas chegará a vários municípios brasileiros através da Força Aérea Brasileira, nova integrante da rede colaborativa. Mais de dez mil acessórios de proteção para evitar o contágio do coronavírus já foram enviados para Brasília, Manaus e Recife e outras entregas deverão acontecer nas próximas semanas.

 Mais de 50 mil protetores faciais já foram doados para os estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Mato Grosso e Alagoas. As novas remessas chegarão a médicos, técnicos e enfermeiros, além de outros profissionais e instituições de saúde, através de instituições e grupos makers que trabalham com inovação aberta, o que dá novo alcance a iniciativa.

Segundo o coordenador do projeto Face Shield Nova Friburgo, Lucas Lima, com novos parceiros e apoiadores será possível ampliar uma iniciativa que entrega algo tão positivo para a sociedade em um momento tão difícil para todos. “A meta inicial era produzir três mil máscaras para os profissionais de saúde da cidade. Hoje vemos a possibilidade real de chegar a 100 mil, uma marca muito acima do esperado, e levar essa iniciativa para os estados mais distantes do país. Estou muito feliz em coordenar um projeto que faz grande diferença para os profissionais que salvam vidas e atuam no combate ao coronavírus”, afirma.

O gerente de sustentabilidade da Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), Jorge Peron, destaca o senso de colaboração e a soma de esforços como fatores de sucesso para o atendimento das demandas da sociedade e da rede pública de saúde nesse momento tão delicado. “Essa ação só foi possível a partir do envolvimento coletivo e da vontade de fazer diferente. O resultado dessa ação reforça um dos objetivos do programa Resiliência Produtiva: promover a conexão entre a esfera produtiva, institutos de pesquisa e universidades, buscando respostas ao atendimento à saúde da sociedade”, garante.

Os protetores faciais são compostos por três partes: viseira (arco), visor (lente) e uma faixa de fixação. Ela cobre uma extensão maior do rosto, protegendo do contato com gotículas expelidas pelo paciente por tosse ou espirro e, por isso, se tornou item essencial no dia a dia dos profissionais de saúde. 

Os primeiros protótipos foram feitos em impressoras 3D, onde os arcos demoraram cerca de uma hora e meia para ficarem prontas. Os elásticos, que auxiliam no conforto e estabilidade do equipamento, foram doados pelo setor têxtil e as lentes são cortadas a laser nos laboratórios FabLab do Senai. Doações e solicitações podem ser feitas pelo email: faceshield.novafriburgo@gmail.com.

 

LEIA MAIS

Novos leitos no Raul Sertã ajudam, mas taxa de ocupação tem ligeiro aumento

Há vários anos data vem sendo antecipada em Friburgo de outubro para a terceira segunda-feira de agosto

Funcionamento no último sábado foi excepcional devido ao Dia dos Pais

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra