Com UTI do Raul Sertã lotada, pacientes novos serão transferidos para outras cidades

Prefeitura tenta ampliação de leitos e não pode alugar particulares porque unidades privadas também estão saturadas
quinta-feira, 21 de janeiro de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
A fachada do Hospital Municipal Raul Sertã (Foto: Henrique Pinheiro)
A fachada do Hospital Municipal Raul Sertã (Foto: Henrique Pinheiro)

Desde o início da semana, o Hospital Municipal Raul Sertã está com 100% de ocupação de leitos de UTI ou oscilado acima de 80%, assim como nos leitos de enfermaria exclusivos para pacientes com Covid-19. Perto do colapso, a Secretaria Municipal de Saúde informou que os novos infectados que chegam ao Raul Sertã precisando de internação nos setores de Covid ou aqueles que já estão na enfermaria, mas precisam de uma vaga na UTI, são regulados pelo Governo do Estado e poderão ser transferidos para unidades de outros municípios, como por exemplo o Hospital Antônio Castro, em Cordeiro, a cerca de 35 quilômetros de Friburgo.

A Prefeitura de Nova Friburgo informou que não vai alugar leitos na rede particular pelo fato de que também não há vagas disponíveis nas UTIs dos hospitais privados. Ainda não há previsão da ampliação de novos leitos no município. Esta semana, por conta da lotação das unidades hospitalares, o prefeito Johnny Maycon editou um novo decreto que ampliou as medidas de restrição atingindo principalmente o comércio, bares e restaurantes.

Pedidos ao governador

Em dezembro do ano passado, ainda no período de transição, o prefeito Johnny Maycon foi até a capital para se reunir com o governador em exercício Cláudio Castro e iniciar articulações para tentar viabilizar recursos para o município, entre eles, a ampliação dos leitos do Hospital Municipal Raul Sertã.

 Ao todo, Johnny Maycon levou oito pleitos ao governador em exercício. No principal deles, reiterou o requerimento do ofício 479/2020 da Secretaria Municipal de Saúde a pedido da Comissão de Transição solicitando a habilitação de 50 leitos de UTI Covid adulto e outros dez leitos de UTI pediátrico para auxiliarem o município no enfrentamento à pandemia, ainda mais devido ao aumento constante do número de casos no município nas últimas semanas.

Outro pedido do prefeito ao governador foi o recebimento dos repasses atrasados referente ao período de 2010 a 2017 das contrapartidas do Governo do Estado do Rio de Janeiro relativas à manutenção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Friburgo, cujo valor atualmente é de R$ 16.550.000, e R$ 2.260.977,37, os quais somados totalizam R$ 18.810.977,37.

Questionamentos ao município

A VOZ DA SERRA encaminhou nesta quinta, 21, à Secretaria Municipal de Saúde uma série de questionamentos. A reportagem perguntou se o Hospital Raul Sertã há espaço para aumentar a capacidade de leitos UTI. A pasta respondeu que há espaço e tem viabilizado, via Governo do Estado, a aquisição de insumos para a utilização de respiradores. A pasta informou ainda que os respiradores novos, adquiridos no início deste mês não estão sendo utilizados, mas que eles já foram montados e estão aguardando outros equipamentos necessários ao funcionamento da UTI.

 

LEIA MAIS

Aplicação da 2ª dose da Astrazeneca está sujeita a alterações também na próxima semana em Friburgo

Taxa média de ocupação dos leitos de UTI exclusivos nos hospitais locais baixa ainda mais, para 19,60%, a menor desde o início da pandemia

Coordenação de Atenção Psicossocial do estado sugere encaminhar 52 para Residências Terapêuticas, dar alta a 31 e mandar 6 de volta para casa, em seus municípios de origem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra