Os primeiros passos para investir

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

sexta-feira, 08 de janeiro de 2021

Todos os investidores precisam passar pela mesma etapa antes de executar suas estratégias de investimentos: abrir a conta em algum banco de investimento ou corretora de valores. É um processo simples, prático e totalmente seguro; contudo há alguns pontos para se atentar. O processo de abertura de conta contempla etapas importantes para que a experiência do investidor torne-se positiva e condizente com o seu planejamento. Bom, é hora de começarmos a destacar as características específicas que diferenciam as possibilidades em cada instituição possível para custodiar seus ativos.

O primeiro ponto é definir se quer investir por conta própria ou contar com o auxílio de assessorias especializadas. A Assessoria de Investimentos é um serviço oferecido pelas grandes instituições e costumam ter custos adicionais pouco ou nada relevantes dentro da corretora. Acredite, investir com auxílio profissional pode ser o seu grande diferencial de desempenho.

O segundo ponto a refletir é sobre o que você espera da sua corretora: garantia do FGC, grande diversificação de produtos; assessoria de investimentos; serviços de banco; taxas de corretagem baratas; plataformas ágeis; qualidade de atendimento; acesso à crédito e seguros; enfim, o que julgar necessário para o sucesso da sua estratégia. O legal é ver a internet possibilitando muito conteúdo de qualidade para te ajudar a pensar nisso; uma dica é conferir o canal “Me poupe”, de Nathalia Arcuri, nas mídias sociais (principalmente YouTube), será uma grande ajuda para os seus primeiros passos.

Definida a corretora para os seus investimentos (pode ser mais de uma, caso considere necessário), é hora de abrir a sua conta. Os processos costumam ser simples; bastante padrão, como qualquer outra abertura de conta em instituições financeiras. Fornecidos os dados solicitados, geralmente em 24 horas o procedimento de aprovação e efetuado e você pode começar a pôr em prática toda a estratégia planejada ao longo deste progresso. Agora, é hora de fazer suas primeiras transferências.

Fique tranquilo, se você chegou até aqui mantendo as precauções e seguindo todas as dicas, o resultado é seguro! Ao transferir dinheiro para a sua conta na corretora, certifique-se de que a transferência é para a sua própria titularidade. Todo recurso destinado aos seus investimentos deve estar em alguma conta cadastrada no seu próprio CPF; caso contrário, é fraude. A propósito, nunca deixe o dinheiro na conta de terceiros (mascarados de assessores ou consultores) para fazer investimentos em produtos do mercado financeiro; eles estão cometendo crimes!

Não quero te assustar; muito pelo contrário, quero te tranquilizar e dizer que o seu investimento vai ser muito seguro caso não caia nas conversas de criminosos. Portanto, basta bom senso e um pouco de conhecimento básico para tomar a decisão correta. Finalizando esta primeira caminhada aos investimentos, após a transferência de capital para a sua conta na corretora, é hora de definir as alocações da sua carteira e manter o planejamento em dia para obter os melhores resultados.

Publicidade
TAGS:

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.