A volta do pedal: calendário de 2022 prevê pelo menos 3 provas de ciclismo

Primeiro desafio da modalidade, Montanha Cup está previsto para ser realizado no fim de março
segunda-feira, 03 de janeiro de 2022
por Vinicius Gastin
Provas de ciclismo costumam atrair centenas de atletas, familiares e turistas
Provas de ciclismo costumam atrair centenas de atletas, familiares e turistas

Com a retomada das competições esportivas, os principais organizadores de eventos do setor em Nova Friburgo já começam a projetar as atividades de 2022 na cidade. No caso do ciclismo, pelo menos três provas costumam atrair centenas de atletas, familiares e turistas, movimentando não só o setor de esporte, como também a economia, o turismo e a gastronomia. Todas elas já ganharam datas e estão confirmadas pelo organizador Orlando Miele, através da Montanha Sports.

Como se tornou tradição há mais de uma década, os apaixonados pelas duas rodas e pedais terão como primeiro desafio o Montanha Cup, previsto para ser realizado no dia 27 de março. Ao colocar Nova Friburgo na rota das competições da modalidade, transformou-se ao longo dos anos em uma das principais provas de ciclismo do país. A última edição, em 2018, teve largada, chegada e premiação no distrito de Lumiar, com um percurso total de 44 quilômetros.

O Montanha Cup foi idelizado exatamente por Orlando Miele Júnior. Na primeira edição, apenas com o apoio da prefeitura, contou com 150 atletas, algo inédito no estado. O sucesso motivou a realização de mais edições no mesmo ano, e em 2017, além de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis também contaram com a prova. A estrutura é preparada com antecedência: toda a sinalização é feita na véspera e as orientações direcionam o percurso. O evento é dividido em diversas categorias e contempla participantes dos 15 aos 67 anos. Os atletas de alto nível concluem a prova em no máximo duas horas e 30 minutos, enquanto os amadores podem chegar até seis horas na pista.

Passeio pela história

Responsável pelo recomeço das provas no pós pandemia, o GP das Montanhas foi sucesso em 2021. Dezenas de ciclistas participaram do evento no último dia 28 de novembro, percorrendo alguns quilômetros desde o pórtico de Cachoeiras de Macacu até Theodoro de Oliveira, em Nova Friburgo. O ciclista Antônio Francisco dos Santos Júnior, o Juninho (abaixo), venceu a prova.

Em 2022, o evento está confirmado para o dia 5 de junho. Todos os que completam a prova recebem medalhas, e os cinco primeiros colocados são condecorados com troféus de participação.

Para fechar o calendário do ano, em 21 de agosto, o “Route MTB Fribourg” novamente deverá fazer parte dos eventos comemorativos programados para a Festa Suíça. O objetivo é relembrar e celebrar os pioneiros do ciclismo em Nova Friburgo, geralmente com a largada acontecendo na Queijaria Suíça, na RJ-130 (Nova Friburgo-Teresópolis), altura de Conquista, no distrito de Campo do Coelho.

Nas últimas edições, os competidores puderam optar por quatro categorias de mountain bike Maratona XCM, em um percurso total de 60 quilômetros – com direito a três túneis -, passando por Dona Mariana, em Sumidouro, retornando à Queijaria. Dentre tantos outros, um dos trechos mais bonitos contempla a região da Cascata Conde D'Eu e três túneis, um deles, inclusive, aproveitando a estrutura da formação rochosa, sendo considerado o ponto alto da prova. Na última edição, o Route MTB reuniu 170 atletas para um percurso de 68 quilômetros, com 2.182 metros de altimetria acumulada.

Os campeões da prova foram Leandro Dominick (Lagos Race) e Roberto Pessoa (Lagos Race) de Macaé. Nova Friburgo teve destaque com o terceiro lugar geral de Damiano Militão (Montanha Cup Squadra/DBC) e Isaías Teixeira (Montanha Cup Squadra/Elite Bike Show), campeões em 2016.

A Route MTB Fribourg traz como inspiração os colonizadores suíços, e pode se tornar espelho para incentivar o uso das bicicletas. No país europeu, em regiões como Genebra, por exemplo, o número de ciclistas aumenta, em média, 70% a cada cinco anos. A bicicleta chegou a Nova Friburgo no final do século 19, e era considerada elemento de modernidade.

Com a chegada dos veranistas ao município, geralmente nos fins de ano, já se começava a projetar eventos na cidade. As corridas eram consideradas como um grande momento do verão friburguense. A então Praça 15 de Novembro (atual Getúlio Vargas) era transformada no velódromo friburguense.

Eduardo Salusse, de tradicional família da cidade, criou em 9 de abril de 1899, o Bicyclette Club Friburguense, destinado a competições desse veículo. Havia prêmios como medalhas de ouro, prata, bronze e caixas de champanhe. Quando os ciclistas friburguenses participavam de torneios fora da cidade e retornavam como vitoriosos, eram recebidos na estação com festa, e a população os acompanhava até suas residências com saudações ao longo do trajeto.

LEIA MAIS

Evento este ano vai se concentrar em frente à prefeitura, com largada na manhã deste domingo

Pistas da RJ-116 vão receber as bicicletas dos competidores em mais uma edição do evento

Inscrições estão abertas para prova, que vai marcar o retorno dos eventos de ciclismo na cidade

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: ciclismo