Onda de atestados: aumenta o número de funcionários afastados também em Friburgo

Com a explosão de casos, empresas e serviços públicos precisam de adequar para suprir a falta de funcionários que testaram positivo
sexta-feira, 21 de janeiro de 2022
por Christiane Coelho, especial para A VOZ DA SERRA
Onda de atestados: aumenta o número de funcionários afastados também em Friburgo

Além da preocupação com a saúde e o bem estar dos funcionários, empresas e repartições públicas de Nova Friburgo têm agora que se adequar para suprir a ausência temporária dos funcionários infectados pela Covid-19. A Câmara Municipal, por exemplo, teve que fechar as portas por um dia na última semana para desinfecção de sua sede, depois da confirmação de que seis funcionários testaram positivo. E pelo menos seis órgãos da Prefeitura de Nova Friburgo também suspenderam atividades por um dia devido à contaminação dos funcionários pelo coronavírus. Tudo isso, além de três postos de saúde terem ficado sem atendimento médico, devido a positividade dos médicos no teste da Covid-19.

De acordo com o  presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) de Nova Friburgo, Braulio Rezende, 60% dos estabelecimentos comerciais da cidade já registraram o afastamento de funcionários devido à Covid-19. Segundo ele, no início deste mês já era percebido o  aumento no número de comerciários contaminados, e o crescimento de casos gerados pela variante Ômicron se acelerou nas duas últimas semanas. Braulio destaca que algumas empresas têm, no momento, 30% do seu quadro de pessoal longe do serviço em decorrência da doença. 

“A situação se agravou bastante. A falta de funcionários prejudica seriamente o atendimento e toda a rotina das empresas. As pequenas lojas sequer dispõem de empregados para cobrir o trabalho desempenhado pelos que precisam se distanciar. Embora estejamos num período bem complicado, esperamos superar logo esse surto para voltarmos à quase normalidade que experimentamos no fim do ano passado”, observa Braulio.

Um comerciante, que não quis se identificar, começou 2022 infectado pela Covid-19. Além dele, mais uma funcionária também positivou no mesmo dia.  “A sorte é que a loja tem outros vendedores. Mas vejo lojas menores, com um funcionário apenas e o proprietário trabalhando e todos infectados, não tendo como funcionar”, disse ele.

A prefeitura informou que fez mais de 18 mil testes  esse ano. E que a taxa de positividade ultrapassa os 50%. Nas últimas quarta e quinta feiras, 19 e 20, foram confirmados mais 601 casos de Covid-19 somente nos testes feitos no Centro de Triagem, na UPA e no Posto de Saúde de Lumiar, sem contar os dos laboratórios e hospitais particulares e das farmácias (veja detalhes em reportagem na página 5 desta edição). Em vídeo publicado nas redes sociais da prefeitura, a secretária de Saúde de Nova Friburgo, Nicole Cipriano informou que a procura por atendimento médico e pelo atestado para afastamento do trabalho por estar contaminado pelo coronavírus é enorme. 

“Os atendimentos irão acontecer. Mas serão demorados, porque temos muitos profissionais de enfermagem e médicos também positivados. Peço a população que tenha paciência e respeito. Além dos testes feitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), as pessoas que estão fazendo os testes em farmácias e positivando, estão buscando atestado. O número de pessoas na porta do Hospital Raul Sertã e da UPA tem sido muito elevado”, disse ela.

Impacto da Ômicron no estado

O Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio) produziu uma nova sondagem sobre o impacto da variante Ômicron no setor. No estudo, finalizado na última segunda-feira, 17, foi constatado que 58,7% dos empresários entrevistados registraram funcionários afastados por conta do vírus na última semana, representando um aumento de quase 20 pontos percentuais em relação ao estudo anterior.

"Ainda assim, podemos afirmar que não existe chances de paralisação do setor de forma geral, tendo em vista que no comércio de bens, serviços e turismo mesmo com um percentual elevado de empresas impactadas, o número de funcionários afastados para quase 70% destes estabelecimentos ficou em no máximo três trabalhadores, lembrando que o menor porte de empresas pode chegar a um número de até nove vínculos empregatícios. Esperamos que, com o avanço contínuo da vacinação, o Estado do Rio siga o movimento que vem acontecendo mundialmente com o arrefecimento do impacto da nova variante nas próximas semanas tendo como base o início da escalada dos números no início deste mês", afirma João Gomes, diretor do IFec RJ.

A pesquisa também avaliou o impacto da nova onda da Covid-19 para o comércio de bens, serviços e turismo do Estado do Rio de Janeiro: 60,5% registraram algum tipo de prejuízo, seguidos por 23,1% que não tiveram nenhum prejuízo e 16,4% que registraram pouco impacto. Vale ressaltar que 68,3% dos empresários estão com até três funcionários, em média, afastados por conta da variante.

 

LEIA MAIS

Perspectivas para retomada consistente da economia em 2022 permanecem otimistas e promissoras

Indicador de número de empregados também subiu e ficou com o maior nível do ano

Empresas precisam assinar termo de adesão a convenção coletiva

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: negócios