Olaria, quase uma cidade, comemora o seu dia

Conheça peculiaridades do bairro mais populoso de Friburgo
quarta-feira, 20 de abril de 2022
por Christiane Coelho, especial para A VOZ DA SERRA
Um dos marcos do bairro, a Igreja de N.S.das Graças (Fotos: Henrique Pinheiro)
Um dos marcos do bairro, a Igreja de N.S.das Graças (Fotos: Henrique Pinheiro)

Nesta quinta-feira, 21 de abril, é celebrado o Dia de Olaria, data criada por lei municipal em 2009, para comemorar com os moradores o orgulho de pertencer ao bairro mais populoso de Nova Friburgo, com cerca de 70 mil moradores. O dia 21 de abril foi escolhido por ter sido o dia de fundação do Serrano Futebol Clube, em 21 de abril de 1934. O Serrano, time de futebol de Olaria, era um grande representante da cidade no futebol amador, que era uma modalidade esportiva muito forte à época.

Durante muitos anos, a data foi marcada por festividades, serviços oferecidos para a comunidade, shows e brincadeiras para as crianças. Evento que não acontece desde 2019, um ano antes do início da pandemia. Mas, a Lei Orgânica, que torna o 21 de abril o Dia Oficial do bairro Olaria, em seu artigo segundo diz que o “Poder Executivo cuidará para que a data seja comemorada todos anos, apoiando as entidades locais na realização de eventos previamente planejados.” 

A prefeitura informou, por nota, que nenhum pedido de evento em comemoração ao Dia de Olaria, organizado pela comunidade ou iniciativa privada, foi protocolado neste ano e também não há nada programado para esta quinta-feira. 

De acordo com o jornalista Girlan Guilland (foto), um dos moradores do bairro e muito ativo nas ações realizadas pela comunidade, a comemoração da data era sempre promovida e produzida pela própria comunidade, através de suas entidades representativas. “Tínhamos dificuldades para organizar o evento. Primeiro pela data: pelo menos duas pessoas que geralmente "puxavam" a organização eram na época ligadas à escola de samba Imperatriz de Olaria. Então, esperava-se o término do carnaval para tomar as providências. Só que sobrava pouco tempo para tanta burocracia, pois embora a lei estipule que o Governo Municipal celebre a data, se não providenciássemos toda documentação, nada acontecia. E todo ano havia muita correria. Sempre defendi que se começasse a pensar a comemoração de Olaria bem antes, mas nunca conseguimos. Depois, veio a pandemia, não teve nada em 2020 e também já não foi possível realizar em 2021.”, explicou ele.

A “Cidade de Olaria”

O bairro Olaria tem cerca de 70 mil moradores. De acordo com levantamento feito pelo jornalista Girlan Guilland, dos 92 municípios fluminenses, apenas 34 têm mais de 70 mil moradores. “Os demais 58 municípios fluminenses têm população menor que o bairro Olaria. São dados que reforçam a importância do bairro mais populoso de Nova Friburgo”, ressalta Girlan.

Além disso, Olaria abriga muitas confecções, principalmente de moda íntima, e tem comércio diversificado, vários serviços, clínicas, academias e escolas. Quem mora em Olaria quase não precisa sair do bairro para as atividades cotidianas. Mas nem sempre foi assim. O bairro recebeu esse nome por ter abrigado uma olaria, onde eram fabricados tijolos e telhas. Depois passou a ser um bairro de moradia, principalmente de operários das fábricas, que emergiam na cidade, como a Rendas Arp, que inclusive criou uma Vila Operária, onde alguns funcionários moravam.

Até os anos 1980, Olaria era um bairro residencial, com comércio local, vendendo apenas itens essenciais e pouca oferta de serviços. Foi quando começaram a surgir as primeiras confecções no bairro, que deram origem ao Polo de Moda Íntima. Hoje, de acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias do Vestuário de Nova Friburgo, Marcelo Porto, o setor de confecções, que envolve produção e comercialização,  gera 12 mil empregos diretos no bairro, que é responsável por 40% da produção do município.

E, a partir daí, Olaria cresceu em tudo: comércio, indústria, serviço e moradias. Casas deram lugar a prédios, que passaram a ser construídos não só nas suas vias principais, a Avenida Júlio Antônio Thurler e Rua Presidente Vargas, mas também nas suas transversais, como Raul Veiga, São Roque, Vicente Sobrinho, Manoel Lourenço Sobrinho, Gustavo Lira e demais vias. São prédios, que em sua maioria, abrigam lojas no térreo e casas ou confecções nos andares superiores. Além disso, a Via Expressa foi construída para desafogar o trânsito nas ruas principais do bairro, entre outras mudanças.

Bairro tem dois vereadores

Nas últimas eleições municipais, em 2020, o bairro elegeu dois vereadores: Priscilla Pitta e Professor André (fotos). A VOZ DA SERRA procurou os dois para conhecer seus projetos para o bairro. De acordo com Professor André, uma das suas lutas é pela construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Olaria. “Estamos trazendo emenda junto ao Governo Federal, para que isso seja concretizado. Além disso, cobramos a manutenção de ruas, com capina, limpeza, asfaltamento e tapa buracos. E também troca de lâmpadas queimadas para  garantir a iluminação pública”, disse ele. O vereador, que profissional de Educação Física citou ainda a contratação de professor da área para atuar nas academias ao ar livre, na Praça Primeiro de Maio e na Via Expressa. Ele também mantém projetos sociais, voltados à prática de atividades físicas, no bairro.

 A vereadora Priscilla Pitta informou que uma das demandas da comunidade de Olaria pela qual ela trabalha também é a implantação de atendimento de saúde 24 horas no bairro. “Com a maior população da cidade, Olaria precisa dessa estrutura. Não tem como cruzar a cidade inteira para ter atendimento de urgência”, disse a vereadora. Priscilla também falou de necessidades pontuais, como manutenção de ruas, com capinas, limpeza, asfaltamento e tapa buracos, que são levadas ao Executivo. 

“As obras de drenagem pluvial e pavimentação nas ruas, Minas Gerais, parte da Avenida Conselheiro Julius Arp e Alameda José Walter Vogt, que foram licitadas recentemente pelo Governo do Estado também eram uma luta nossa”, disse ela. A vereadora informou ainda que tem levado à Prefeitura de Nova Friburgo o pedido para instalação de academias ao ar livre para outras áreas do bairro, não só a central, como Bela Vista e Barroso.

Projetos da prefeitura

De acordo com a prefeitura, entre as melhorias previstas a cargo da Subprefeitura de Olaria, Cônego e Cascatinha está a desapropriação do antigo Colégio Nossa Senhora das Graças, que hoje abriga seis escolas do bairro e foi denominado Complexo Educacional Nossa Senhora das Graças. Em nota a prefeitura informou que “essas escolas não tinham condições de iniciar o ano letivo de 2022. Agora serão reformadas e, quando voltarem pros seus prédios de origem, novas vagas serão ofertadas na rede municipal de ensino.”

Na área de saúde a prefeitura informou que, ao receber autorização da Câmara Municipal para desapropriar o prédio do antigo Sase, será implantada no local, uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), com funcionamento 24 horas. A nota informou ainda que “com a desapropriação, vários problemas além da demanda da saúde, serão resolvidos, como a invasão do local, que gera insegurança e a pendência judicial entre município e o proprietário do imóvel.”

De acordo com a prefeitura ainda, a Secretaria de Esportes oferece várias atividades no bairro, como o Projeto Futsal na quadra das casas populares, o Projeto Maturidade na quadra do Complexo Educacional Nossa Senhora das Graças, as orientações com profissional de educação física nas academias ao ar livre e a volta do Domingo de Lazer , na Via Expressa, todo último domingo do mês. 

A nota também informou que há a “utilização do Ginásio Adhemar Combat por cerca de 500 pessoas, que praticam diversas modalidades, como vôlei, futsal, handball e corrida. Além do apoio a projetos parceiros oferecidos no bairro, entre eles, o Solução, IDE, Projet o Freefut, Tênis Legal, Futsal do Nossa Senhora das Graças e Pegada Verde (corrida)”. 

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: