Itaú já teve 4 agências fechadas em Friburgo por causa de Covid

Cada espaço que suspende as atividades para frear contágio faz com que aumente o risco aos demais, até de outros bancos
sexta-feira, 18 de setembro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Movimento nas ruas de Friburgo em plena pandemia (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)
Movimento nas ruas de Friburgo em plena pandemia (Arquivo AVS/ Henrique Pinheiro)

Sabia-se, desde o início, que bancos seriam um local central para a cadeia de contágio do novo coronavírus, comenta a coluna do Massimo. Muita gente, ambiente fechado, dinheiro e máquinas sendo tocados por várias mãos… Enfim, era previsível.

Ainda assim, impossível não registrar a quantidade de agências que estão fechadas - ou estiveram, até pouco tempo - em razão da contaminação de ao menos um funcionário.

Apenas do Itaú, salvo algum equívoco na apuração, foram quatro agências: a 222, a 9204, a de Conselheiro e também a da Ceasa, em Conquista.

Bola de neve

A situação é delicada, porque naturalmente cada agência que fecha - e é preciso fechar mesmo, ninguém aqui está questionando os protocolos - faz com que aumente o risco a que são expostas as demais agências, pois aumentam as filas, o número de pessoas e o tempo de exposição.

O momento parece oportuno para que a população se esforce por se estruturar e familiarizar com aplicativos e alternativas de atendimento, dentro das possibilidades de cada um.

LEIA MAIS

País é o segundo no mundo com mais mortes pela doença, atrás apenas dos EUA, que já tiveram mais de 218 mil vidas perdidas

Setor de estética foi um dos mais impactados com o isolamento social imposto pela pandemia de coronavírus

As quatro escolas de samba já teriam entrado em consenso para não ter desfile na Alberto Braune

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra