Friburguense bate o Americano e se mantém na Seletiva para 2021

Vitória elimina a possibilidade de uma nova e dispendiosa participação na segundona estadual
sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020
por Vinicius Gastin
Friburguense bate o Americano e se mantém na Seletiva para 2021

O Friburguense está garantido na Seletiva do Campeonato Carioca de 2021. Uma vitória com o coração, entrega e o toque de dois jogadores fundamentais desde a campanha do título da Série B1. Autores dos gols, Jorge Luiz e Toshyia são símbolos de um grupo que volta a consolidar o Tricolor da Serra entre os principais clubes do Rio de Janeiro, afastando qualquer risco de queda neste ano.

A vitória por 2 a 1 sobre o Americano na tarde da última quarta-feira, 19, no Ferreirão, em Cardoso Moreira, mantém o Frizão bem próximo da fase principal do estadual. Mais do que isso: elimina a possibilidade de uma nova e dispendiosa participação na segundona estadual.

Os próximos passos do futebol profissional do Friburguense ainda serão anunciados, mas a competição seguinte será a Copa Rio, provavelmente no segundo semestre. Com o respaldo da manutenção na Seletiva, o clube vai participar de competições de base a partir do próximo mês.

O jogo    

O Friburguense se acostumou com o clima de decisão nesses últimos meses. Desde a arrancada na Taça Corcovado até o título da Série B1 do Campeonato Carioca de 2019, o Tricolor da Serra encarou jogos complicados, conquistou vitórias que pareciam improváveis e conseguiu atingir quase todos os objetivos. O da vez era a permanência na Seletiva para 2021, sem a necessidade de enfrentar o grupo Z.

Se há um paralelo entre as situações decisivas, também é possível comparar as reconstruções pelas quais o time comandado por Cadão passou nas duas competições. Na reta final da B1, a lesão de Vitinho, por exemplo, foi um obstáculo a ser superado. Já no grupo Z, a perda de titulares como Murillo, Digão e Dedé novamente desafiaram a criatividade do treinador, em meio a um elenco jovem e de opções limitadas.

Sem Bruno e Diogo, que não se recuperaram a tempo das lesões sofridas contra o Nova Iguaçu, as opções foram Magrão e Mancini. Se Ricardo estava disponível, Jeffinho era mais um desfalque.

Pelo lado do Americano, alguns jogadores importantes também não estavam à disposição de Rafael Soriano. A ausência mais sentida, sem dúvidas, era do artilheiro Cláudio Maradona. A primeira tentativa perigosa do time da casa foi a cobrança de falta de Espinho aos 14 minutos, no canto direito, para a bela defesa de Afonso. Se o Friburguense tentou propor o jogo nos minutos iniciais, o Cano adiantou a marcação e dificultou a saída de bola tricolor.

Toshyia, pelo lado direito, passou a ser uma válvula de escape, sofrendo inclusive algumas faltas mais fortes. O japonês fez boa jogada aos 26 minutos, mas não conseguiu fazer o levantamento. A resposta alvinegra veio com Sanderson, em boa finalização defendida por Afonso. Na sequência do lance, após cobrança de escanteio, Espinho teve a chance de bater em gol, mas errou o alvo.

Foi o momento em que o fator Jorge Luiz pesou novamente a favor do Friburguense: o camisa dez cobrou falta e balançou as redes aos 32 minutos. Se o maestro resolveu no ataque, no setor ofensivo, Magrão, Raniel e Afonso de destacavam ao segurar as investidas do Americano. Os minutos finais foram movimentados, mas o placar não mexeu novamente no calor de Cardoso Moreira.

Segundo tempo

Em busca do empate, que já o livraria do grupo Z, o Americano iniciou o segundo tempo no ataque. As investidas de Sanderson e Vandinho pelas pontas desafiavam a marcação tricolor, reforçada pelos atacantes na intermediária. Prova disso foi o cartão amarelo apresentado a Toshyia com apenas quatro minutos da etapa final.

Quando não conseguiu alcançar a bola, Afonso teve sorte: Vandinho cobrou falta com categoria aos 12 minutos e acertou o travessão. O alvinegro do Norte Fluminense chegava com frequência nas proximidades da grande área tricolor, mas parava nas interceptações de Magrão e Raniel.

A pressão surtiu efeito aos 18 minutos, quando o árbitro assinalou pênalti de Raniel, em bola que desviou no braço do zagueiro. Pixote cobrou e igualou o marcador.

Na base do coração e da entrega, o Friburguense encontrou forças para, logo depois do tempo técnico, voltar a liderar o placar: Estevão cobrou falta e Toshyia apareceu na grande área para marcar o segundo gol do Frizão.

Assim como é típico em jogos decisivos, ainda havia emoção de sobra pela frente. Aos 29 minutos, Pixote ficou cara a cara com Afonso e bateu para fora. Esse foi o mesmo destino da tentativa de Romário pouco depois. Se o Cano se atirava ao ataque, o Friburguense buscava um contra-ataque para matar a partida. A oportunidade veio na jogada de João, mas Rodriguinho não conseguiu concluir.

Com o relógio a favor, o Tricolor da Serra cozinhou a partida e suportou a pressão nos cinco minutos de acréscimo. Se não conseguiu chegar à fase principal, ao menos cumpre o objetivo de se firmar em um degrau acima da Série B1. A elite carioca continua sendo uma realidade bem próxima do time de Nova Friburgo.

Ficha Técnica

Americano 1 x 2 Friburguense
Campeonato Carioca Série A 2020
Grupo X – 6ª rodada
19/02/2020 - 15h
Estádio Antônio Ferreira, Cardoso Moreira-RJ
Público: 400 pagantes (401 presentes)
Renda: R$ 4.520
Árbitro: Maurício Machado Júnior
Assistentes: André Silveira e Flávio Manoel da Silva

Americano: Patrick; Sanderson, Espinho, Gabriel e Gonçalves (Gustavo Tonoli): Abuda, Vandinho, Gean Miller e Alex Pixote; Franklin (Lucas Abreu) e Gabriel Carrera (Romário).
Técnico: Rafael Soriano

Friburguense: Afonso; Rodriguinho, Raniel, Magrão e Ricardo; Mancini (João), Estevão (Miguel) e Jorge Luiz; Lucas (Igor), Jhonathan e Toshiya.
Técnico: Cadão

LEIA MAIS

Império Serrano também terá seu próprio time de futebol

Friburgo voltou a ter a modalidade regularmente, com treinos e participações em jogos e eventos

Derrota para Cabofriense, fora de casa, foi uma das poucas partidas sem ao menos uma polêmica envolvendo arbitragem

  • Capitão Jorge Luiz comemora o gol que abriu caminho para a vitória do Frizão

    Capitão Jorge Luiz comemora o gol que abriu caminho para a vitória do Frizão

  • Afonso fez defesas importantes, e foi um dos destaques do triunfo tricolor em Cardoso Moreira

    Afonso fez defesas importantes, e foi um dos destaques do triunfo tricolor em Cardoso Moreira

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol