Friburgo perde a simpatia de César Namer, dono do restaurante Arroz com Feijão

Mineiro e tricolor, comerciante conheceu a cidade por acaso, em busca de um banho de mar, e nunca mais foi embora
quinta-feira, 04 de novembro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
César Namer: “Eu vim aqui para passar alguns dias e já estou há mais de 50 anos”
César Namer: “Eu vim aqui para passar alguns dias e já estou há mais de 50 anos”

Um mineiro apaixonado por Nova Friburgo,  o tricolor mais conhecido da cidade,  reverenciado por sua simpatia e amado por seus clientes, sobretudo as crianças. Assim era César Loyola de Oliveira Namer, dono do restaurante Arroz com Feijão, no início da Avenida Alberto Braune. 

Nascido em Carangola (MG) em 27 de março de 1948, César chegou a Nova Friburgo em 1966, para um passeio. Na intenção de tomar um banho de mar em alguma cidade do Estado do Rio, o mineiro logo que chegou percebeu que na serra não tem praia, mas descobriu um amor incondicional por cada detalhe  das montanhas da cidade: “Eu vim aqui para passar alguns dias e já estou há mais de 50 anos”, contou certa vez.

César acompanhou todas as transformações da cidade. Ganhou destaque como empreendedor não só pelo tempero tradicional do seu restaurante na Avenida Alberto Braune, mas pela simpatia. Ninguém passava por sua mesa sem receber uma frase descontraída, um olhar compreensivo ou um desconto especial na hora de fechar a conta.

Em outubro de 2017, César recebeu da Alerj o título de Cidadão Fluminense. A  homenagem foi proposta pelo então deputado estadual Wanderson Nogueira.

 “César representa a valorização do homem comum. É uma figura carismática, com um olhar muito humanizado e sua simplicidade nos encanta. Ele simboliza a valorização do homem comum que leva este Estado adiante todos os dias com esperança e gentileza”, disse Wanderson no dia da homenagem.

César faleceu nesta quarta-feira, 3, vítima de um infarto, e deixa viúva Lúcia Helena Peres Valente Namer.

 

LEIA MAIS

“Quanto mais a gente vai se enfiando por aí, em pequenas e perdidas comunidades, mais viajamos no tempo”, disse ele em entrevista em 2016

Notícia de sua morte, por complicações cardíacas, deixa a classe artística friburguense de luto

Osmar de Castro, chef Dê, Miracema, Mario Valdanini, César Namer, José Gastim e Beth do Licínio também foram mortes muito sentidas

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obituário