Estado conta com rede para reabilitação pós Covid-19

Hospital Pedro Ernesto, primeiro da rede pública a contar com estrutura, tem 29 leitos
segunda-feira, 29 de junho de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Maria José Bastos, de 100 anos, comemora sua alta (Foto: Divulgação)
Maria José Bastos, de 100 anos, comemora sua alta (Foto: Divulgação)

Em geral, quem acabou de enfrentar e vencer o coronavírus quer receber alta e ir para casa. Mas muitos pacientes apresentam um quadro clínico que requer uma atenção especial em prol de uma simples palavra: reabilitação.

O Hospital Universitário Pedro Ernesto da Uerj (Hupe) foi o primeiro da rede pública do Rio de Janeiro a criar enfermarias Pós-Covid-19, que hoje já somam 29 leitos. O objetivo é atender pacientes que ficaram internados em CTI e que, após o tratamento, mesmo sem a presença do vírus, não têm condições clínicas ou mesmo estruturais para retornarem às suas casas.

A ideia surgiu em maio, quando foi aberta a primeira enfermaria com 13 leitos. A iniciativa foi tão positiva que, na segunda semana de junho, o hospital destinou mais 16 leitos para o atendimento. A enfermeira Ana Paula Motta, chefe da Seção de Enfermagem 313/314 Pós-Covid, enfatiza que o espaço é fundamental para a reinserção destas pessoas na rotina social.

“O foco aqui é a reabilitação para que eles assumam plenamente suas atividades na volta ao convívio social, na família, no trabalho, no lazer”, definiu a enfermeira que relatou um perfil bem eclético dos pacientes atendidos no centro de reabilitação.

“Já tivemos pacientes de 16 a 103 anos” - lembra a profissional, destacando que a média de idade tem sido entre 40-80 anos. No local, eles recebem cuidados de uma equipe multidisciplinar com médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e assistentes sociais, além de suporte psicológico.

“O atendimento transpassa todos os tipos de reabilitação: alimentar, física, psicossocial, clínica – completou Ana Paula. Nesta fase, também às famílias já é permitido fazer a visita.

O médico André Paes, um dos responsáveis pelo atendimento na Enfermaria 313/314, ressalta o empenho da equipe em dar respaldo à recuperação completa de internados já bastante fragilizados, após a doença. “Com este serviço nós temos condições de propiciar o máximo rendimento dos cuidados para acelerar a recuperação destes pacientes e permitir a volta para casa o mais rápido possível”, resumiu.

Esta volta foi o que Maria José Bastos, de 100 anos, comemorou. Ela foi uma das primeiras pacientes da Enfermaria 313/314 Pós-Covid. No dia 4 de junho, recebeu alta – uma vitória para a equipe, que se despediu da paciente com aplausos. Entre lágrimas de emoção, Maria disse apenas o que estes profissionais mais queriam ouvir: “Obrigada”.

 

LEIA MAIS

Na próxima segunda será feriado para o setor em comemoração ao Dia do Comerciário

Número de óbitos permanece inalterado e de pacientes curados registra alta

Pesquisa da CNC aponta ainda queda no endividamento entre os mais ricos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra