Defesa Civil considera “preocupante” essa temporada de chuvas

Município tem cerca de 25 mil pessoas morando em áreas de risco. Plano de contingência deste verão terá participação comunitária
terça-feira, 08 de dezembro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)

O secretário municipal de Defesa Civil de Nova Friburgo, Robson Teixeira, concedeu entrevista coletiva na tarde desta segunda-feira, 7, para divulgar as ações da Defesa Civil, bem como o Plano de Ações de Prevenção elaborado pelo município para a temporada de chuvas e eventuais emergências que possam ocorrer neste período, especialmente entre os meses de dezembro e janeiro.

“Estamos atravessando um evento chamado La Niña, que costuma trazer mais chuvas. É, inclusive, o que já estamos vendo nos últimos dias. Portanto, neste verão teremos chuvas mais fortes em relação ao ano passado, mas também deveremos ter sequências de dias mais quentes em comparação ao verão de 2020. Por esses e outros fatores essa temporada será mais preocupante para a Defesa Civil”, destacou Robson Teixeira.

Segundo ele, a previsão climática não é o único fator que preocupa a Defesa Civil, já que a topografia de Nova Friburgo também não favorece. Como o município fica situado em um vale e há muitas montanhas e elevações em seu entorno, aproximadamente 71% da área territorial da cidade são considerados de risco. Ainda de acordo com a prefeitura, cerca de 25 mil pessoas residem nessas áreas de risco.

Plano de Contingência

De acordo com o secretário de Defesa Civil, o Plano de Ações e Prevenção que será adotado pela prefeitura neste ano será basicamente o mesmo dos anos anteriores. Mas com uma mudança significativa: “O grande diferencial desse plano de contingência no modelo japonês é a participação comunitária. Vamos abrir audiências públicas e formar um Conselho Municipal de Defesa Civil, que deve ser deliberativo. Essas devem ser as novidades em relação ao plano de contingência que já estava em vigor na cidade”, afirmou Robson.

Pontos de apoio

O secretário de Defesa Civil também reiterou que Nova Friburgo possui 98 pontos de apoio estabelecidos e aptos a receber a população em eventuais chuvas fortes ou emergências. Apesar da pandemia, que certamente preocupa e impõe uma série de normas sanitárias e cuidados com a higiene, ele garante que a Defesa Civil e a Secretaria Municipal de Saúde estão trabalhando alinhadas para proteger a população que vive em áreas de risco, sem descuidar da prevenção à doença.

“Já nos reunimos com a Secretaria Municipal de Saúde e, sendo necessária a utilização dos pontos de apoio, imediatamente uma equipe da saúde será designada para realizar uma espécie de triagem com os moradores que procurarem os pontos de apoio de modo a evitar a disseminação da Covid-19”, garantiu Robson Teixeira.

Sirenes e parceria com o Estado

Ainda durante a entrevista coletiva, Robson Teixeira afirmou que o sistema de sirenes está funcionando normalmente e que, apesar da grave crise financeira e política, o Governo do Estado do Rio de Janeiro está dando e dará total apoio ao município caso seja necessário.

“O Estado doou as sirenes em 2011 e ele mesmo custeia a manutenção desse sistema. É um custo alto que, em determinado momento, o Governo do Estado deixou de pagar. Entramos em contato com o Palácio Guanabara e conseguimos retomar essa parceria. Elas (as sirenes) realmente ficaram um tempo desligadas, mas hoje, das 36 sirenes que possuímos na cidade, 31 já estão funcionando. E ainda temos outras duas móveis, que são usadas nos nossos veículos em bairros que não possuem o equipamento”, disse.

Robson ainda completou: “Todo ano a Defesa Civil estadual se reúne com os municípios para tratar sobre os planos de contingência de cada cidade. E eles agem assim: quando o município consegue resolver sozinho o problema, eles não entram no circuito. Quando o município não consegue arcar sozinho o Governo do Estado entra com os recursos. E o mesmo ocorre com relação à União, quando a situação extrapola à alçada do governo estadual”, finalizou. 

 

LEIA MAIS

Friburgo registra mínima de 8 graus em plena primavera, mas sol deve reaparecer aos poucos a partir desta quinta

Áreas de instabilidade impedem sol pleno nos próximos dias. RJ-116 registrou 5 acidentes no fim de semana

Setor hoteleiro registrou média de 65% de ocupação. Expectativa era de 80%, mas mau tempo desanimou os visitantes

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Clima