Cuidados com ventos, descargas elétricas e chuvas fortes

Como prevenir acidentes em ocorrências de vendavais, raios e temporais
sexta-feira, 24 de setembro de 2021
por Christiane Coelho, especial para A VOZ DA SERRA
O coordenador da Defesa Civil de Nova Friburgo, major Evi Gomes da Silva (Arquivo AVS)
O coordenador da Defesa Civil de Nova Friburgo, major Evi Gomes da Silva (Arquivo AVS)

Na tarde de terça-feira, os friburguenses foram surpreendidos com uma ventania, que assustou. Segundo o Climatempo, as rajadas chegaram a 78 km/h na cidade. Ao contrário do que ocorreu em outras cidades, onde os ventos fortes causaram grandes prejuízos com destelhamentos de casas e empresas, quedas de árvores e postes sobre carros, em Nova Friburgo foram registradas quedas de galhos e até de pequenas árvores e destelhamentos, mas sem muita gravidade nem grandes danos. 

De acordo com a Energisa, o número de ocorrências aumentou por conta de galhos, árvores e objetos que atingiram a rede elétrica, danificando os cabos de energia. Antes das rajadas de ventos, na tarde do dia 21, a Energisa contabilizava apenas três ocorrências para atendimento e com a situação esse número chegou a 105.

“Em situações como essa, reforçamos nossas equipes para agilizar o atendimento e a atenção da população também deve ser redobrada. Os vendavais e temporais podem causar danos externos e afetar a rede elétrica, partindo os cabos ou até mesmo provocando a queda de postes. Uma das principais recomendações é manter distância de fios soltos na rua e comunicar a Energisa imediatamente, pois o cabo pode estar energizado e causar graves acidentes”, orienta o gerente de Operações, Anderson Rabelo Rosa.  

Prevenção para evitar prejuízos e acidentes

O ideal é ficar de olho nas árvores, telhados, muros para ver se há algum risco de queda, em caso de fortes chuvas e rajadas de ventos. De acordo com a Defesa Civil, de terça-feira, 21, até quinta-feira, 23, foram abertas 15 fichas de vistoria de árvores com risco de queda e pedidos de poda preventiva. E esse é o procedimento a ser feito para evitar acidentes.

Mas, como reconhecer esses riscos? De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Nova Friburgo, major Evi Gomes da Silva, em uma vistoria meramente visual, deve-se observar o seguinte:

1º) Se a árvore está no prumo ou apresenta inclinação acentuada em relação ao seu eixo de gravidade, árvores muito inclinadas podem tombar mesmo sem a ocorrência de chuvas e ou ventos fortes;

2º) Se a árvore apresenta galhos secos, sem folhas ou flor. Galhos secos geralmente estão mortos e naturalmente vão cair. Em caso de ocorrência de chuva ou vento representam um risco muito maior de queda;

3º) Se a árvore possui raízes naturalmente preservadas ou apresenta raízes cortadas. As raízes são como pés para as árvores, elas garantem a estabilidade da planta;

4º) Se a árvore possui tronco naturalmente preservado ou apresenta partes podres ou vazias no tronco;

5º) Se a árvore apresenta bifurcação na base do tronco, essa área da bifurcação costuma apresentar um acúmulo de matéria orgânica e portanto reter muita umidade, podendo ocasionar um ponto de deterioração do tronco;

6º) Se a árvore apresenta galhos quebrados, geralmente as folhas estão secas e é possível observar o galho fraturado ou engastado em outros galhos.

Em caso de identificação de riscos, deve-se acionar a Defesa Civil. “Todo cidadão pode e deve contribuir para a segurança de sua cidade. Para comunicar que um poste ou uma árvore estão em situação de risco, o cidadão deve comunicar a Defesa Civil pelo telefone 199 (24 horas) ou se dirigir ao setor de atendimento da Defesa Civil situado na Avenida Alberto Braune, 223, antiga Rodoviária Leopoldina, ao lado do prédio da PMNF e comunicar que existe uma árvore ou poste que apresenta risco informando o endereço completo e correto da localidade”, explica o coordenador.

Aumento do número de raios

Além disso, neste período é comum o aumento do número de tempestades com descargas elétricas. Em 2020, a Energisa registrou em Nova Friburgo aproximadamente 8 mil raios (nuvem solo) e o número de ocorrências provocadas somente por eventos climáticos chegou a mais de 260 atendimentos. Os raios podem atingir diretamente as pessoas e imóveis ou por meio de objetos metálicos, telefonia, antenas externas, redes de TV e internet via cabo. 

“Por isso, se perceber uma tempestade se aproximando, o recomendável é retirar todos os equipamentos da tomada e ficar em local seguro”, alerta o gerente de operações Anderson Rabelo.

Dicas para se manter  seguro em caso de raios

  • Retire os aparelhos eletroeletrônicos das tomadas; 

  • Nunca utilize aparelho conectado à tomada durante temporais; 

  • Não utilize chuveiro, torneira elétrica entre outros equipamentos como secador;

  • Quando ouvir os trovões, nunca fique em campo aberto. Proteja-se dos raios. Procure abrigo imediatamente em construções e feche os vidros e janelas; 

  • Evite ser o ponto mais alto das proximidades ou estar próximo dele; 

  • Se não for possível se abrigar, agache-se, com as mãos na nuca e pés juntos; 

  • Não fique embaixo de árvores ou próximo a torres; 

  • Se estiver dentro de um carro feche as janelas e aguarde a tempestade passar para poder sair. O carro oferece uma boa proteção contra raios; 

  • E não toque em fios caídos ou em objetos que estejam em contato com a rede elétrica — eles podem estar energizados. Acione imediatamente a Energisa pelo WhatsApp da Gisa, no número (22) 9 9292-4081, pelo aplicativo  Energisa On, redes sociais ou pelo site energisa.com.br.

LEIA MAIS

Setor hoteleiro registrou média de 65% de ocupação. Expectativa era de 80%, mas mau tempo desanimou os visitantes

Fornecimento periódico foi suspenso em bairros atendidos pelo sistema Caledônia, como parte de Olaria, Cônego, Bairro da Graça, Cascatinha e outros

Defesa Civil também atendeu poucas ocorrências em Friburgo. Rompimento de tubulação interditou 4 apartamentos no Cordoeira

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Clima