Quem diria?

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

terça-feira, 31 de março de 2020

Para pensar:

“A qualidade mais valiosa para o aprendizado é uma atitude positiva.”

Bobbi DePorter

Para refletir:

“A sabedoria não vem do acerto, mas do aprendizado com os erros.”

Monja Coen

Quem diria?

Poucos meses atrás, numa postagem pessoal em rede social, este colunista se perguntou o que teria de acontecer, a que ponto teríamos de chegar, para que conseguíssemos perceber que estamos todos no mesmo barco.

Naquela altura, se alguém lançasse a hipótese de uma pandemia como a da Covid-19, na qual o cuidado coletivo se revela tão importante para a preservação de vidas de pessoas queridas, este que vos fala certamente teria concordado que sim, em tal contexto a união de todos seria mesmo inevitável.

Incrível

Não é fácil, portanto, constatar e admitir que estamos desperdiçando oportunidade tão preciosa de reflexão, insistindo numa politização de algo que é maior, é global e universal, por vezes ignorando lições aprendidas à custa de muita dor em nações que tiveram menos tempo para se preparar para o problema.

Maniqueísmo

Cerca de dez dias atrás proliferavam nas redes sociais fotos pessoais legendadas por dizeres evocando a quarentena, por vezes recorrendo ao uso de palavrões como forma de enfatizar sua importância.

De lá para cá, no entanto, muitos mudaram de entendimento tão logo os primeiros efeitos da quarentena começaram a surgir (alguém pensou que seria fácil?) e o discurso na própria presidência da República começou a mudar.

E assim, de uma hora para a outra, quem defende o isolamento passou a ser tratado como alguém que “não se importa com os pobres ou liberais”, ou que “torce pelo vírus”!

Bom senso

Gente, sério, como foi que chegamos a esse ponto?

Qual a dificuldade em aceitarmos que não existe divisão aqui, o que acontecer à saúde afetará a economia, e vice-versa?

Enquanto nos atacamos, defendendo posturas radicais de um lado ou de outro, o bom senso nos diz que devemos observar caso a caso, analisar a situação de cada profissão, de cada necessidade pessoal, a fim de que façamos o máximo que seja possível em favor da economia, dentro dos limites estabelecidos pela Saúde.

Para ninguém esquecer

Em meio a tudo isso, uma loja na Rua Dante Laginestra deixou aos clientes uma mensagem que convida à serenidade: “Tudo passa!”.

Tão simples, e tão verdadeiro.

É hoje

Até o fechamento desta edição continuava prevista para hoje, 31, a conclusão do processo licitatório para a digitalização de nossa rede municipal de saúde pública.

A coluna espera que todas as etapas sejam de fato cumpridas, e que a preparação tenha sido capaz de estimular a participação de número satisfatório de concorrentes, uma vez que o serviço é de enorme importância, e já não podemos mais nos permitir a existência de contratos que sejam vantajosos a apenas uma das partes.

Rins e pulmões

A Aliança Brasileira de Apoio à Saúde Renal (Abrasrenal) alerta para a necessidade de o Ministério da Saúde, prefeituras e os governos estaduais adotarem medidas especiais para atender o paciente renal durante a pandemia do coronavírus.

A solicitação principal é que sejam montados nos hospitais de campanha de todo o Brasil um serviço especial para concentrar os doentes renais que venham a contrair a Covid-19.

Risco e exposição

O diretor-geral da Abrasrenal, Gilson Silva, alerta que além de ser grupo de risco para agravamento do coronavírus, os doentes renais estão mais expostos porque precisam circular pela cidade para receber o tratamento de diálise de três a cinco vezes por semana.

"Esse é um grupo significativo da população que é obrigado a usar transporte público e transitar para dialisar, se não morre. Eles têm uma exposição maior porque já são mais suscetíveis imunologicamente e, se forem infectados, expõem os demais pacientes das clínicas de diálise. Poucos estados, até o momento, planejam criar um espaço especial para internar doentes renais no hospital de campanha. Isso precisa ser implementado com urgência pelos Estados."

Segue

"A falta de realização de exames de diagnóstico de coronavírus em todos os pacientes suspeitos é um fator que aumenta ainda mais a nossa preocupação. Esses pacientes frequentam clínicas e dividem salas de diálise com outros 30, 40 doentes; todas as semanas. Em algumas clínicas, chegam a circular 400 até 500 pacientes. Precisam ir a postos de saúde para buscar medicamentos para anemia e doença óssea e também terão que ir para vacinação para gripe comum. Além disso, de acordo com o censo da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) 66% tem hipertensão ou diabetes, a idade média do renal é de 58 anos; sendo 35% deles acima de 65, ou seja, tem a maioria tem mais de um motivo para estar no grupo de risco", acrescenta o diretor-geral da Abrasrenal.

Inscrições abertas

A Fundação Cecierj abriu nesta segunda-feira, 30, as inscrições para o Vestibular Cederj 2020.2.

Ao todo estão sendo oferecidas 8.109 vagas, distribuídas por 17 cursos na modalidade de Ensino Superior a Distância (EaD) em regime semipresencial, nos 34 polos regionais instalados em todo o estado do Rio de Janeiro.

Os cursos são oferecidos pelas universidades públicas Cefet-RJ, Uenf, Uerj, UFF, UFRJ, UFRRJ e UniRio.

Inscrição

Interessados terão até o dia 14 de maio para fazer a solicitação.

A inscrição é realizada somente pelo site do Instituto Selecon, organizador do concurso.

Serão oferecidas vagas para os cursos de Licenciaturas em Ciências Biológicas (916), Física (375), Geografia (320), História (200), Letras (300), Matemática (830), Pedagogia (1.125), Química (338) e Turismo (335).

Vagas

Há vagas também para cursos de bacharelado em Administração (761), Administração Pública (400), Ciências Contábeis (480), Engenharia Meteorológica (50), Engenharia de Produção (400), além de cursos de Tecnologia em Sistemas de Computação (529); Tecnologia de Gestão de Turismo (250), Tecnologia em Segurança Pública e Social (350).

As vagas para o curso de Tecnologia em Segurança Pública e Social são destinadas somente aos profissionais da ativa da Segurança Pública: Agentes Penitenciários, Agentes Portuários, Bombeiros, Guardas Municipais, Policiais Civis e Militares do Estado do Rio de Janeiro, Policiais Rodoviários Federais, Policiais Federais, membros das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e Policiais Civis e Militares de outros Estados da federação.

Prova

O concurso será realizado por meio de prova objetiva prevista para o dia 14 de junho.

O exame será composto por 80 questões de múltipla escolha e uma redação.

O resultado da prova de múltipla escolha será divulgado no dia 29 de junho, e o resultado final do vestibular sairá no dia 13 de julho de 2020.

A coluna deseja boa sorte aos leitores que eventualmente venham a tomar parte no processo de seleção.

Foto da galeria
Publicidade
TAGS:

Massimo

Massimo

Coluna diária sobre os bastidores da política e acontecimentos diversos na cidade.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.