Estou preocupado com o seu patrimônio

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

sexta-feira, 16 de julho de 2021

O assunto é sério, eu realmente estou muito preocupado com a segurança do seu patrimônio. Fazer dinheiro não é fácil e muito provavelmente você já tenha se dado conta disso. Trabalhar horas a fio ao longo de uma vida inteira é a realidade da classe média que luta para construir seu patrimônio em meio a tantas dificuldades que surgem no decorrer do processo. A conquista da casa própria, da viagem dos sonhos, da saúde de qualidade, dos carros, motos e tantos outros objetivos alcançados podem ir por água abaixo quando a ganância fala mais alto. É exatamente o que acontece quando você decide aceitar propostas indecorosas capazes de – com total segurança, eles dizem – ser a mudança de vida nas suas finanças pessoais.

Nós, friburguenses, a propósito, já presenciamos histórias de investimentos fraudulentos responsáveis pela destruição de patrimônios e, até mesmo, da boa relação familiar. Mas cá entre nós, conhecendo a dificuldade do que é construir riqueza, oferecer o que é oferecido nessas fraudes (além de crime) é um desrespeito. Você passa a vida trabalhando para sustentar seu estilo de vida; imagine que da noite para o dia você pode vender seu imóvel de R$ 400 mil e passar a ter um rendimento garantido de 10% ao mês.

Continue imaginando e pense na mudança de vida proporcionada por um salário mensal de R$ 40 mil, mas agora faça o exercício de pensar em como seria se você parasse de receber os rendimentos e nunca mais visse o capital investido (no caso, decorrente da venda de seu único imóvel). Consegue compreender as possibilidades de um estrago avassalador na saúde financeira da sua família? Por favor, sejamos críticos para não sermos mais um número na hora de contabilizar quantos já foram lesados por investimentos fraudulentos.

Por falar em números, quero apresentar alguns dados já trabalhados por mim, há alguns meses, nesta coluna. Nos estudos divulgados em dezembro de 2019, a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) indicaram que 11% dos brasileiros já perderam dinheiro em algum esquema fraudulento de investimentos. Destes, 62% não conseguiram recuperar o valor perdido.

Já ouviu falar em esquemas de pirâmide financeira? Este é definido como crime contra a economia popular e é o caso mais comum entre os golpes de investimentos fraudulentos; dentre os 11% dos brasileiros lesados por esquemas fraudulentos, 55% já se envolveram em esquemas de pirâmides. A maioria dos casos acontece devido as promessas de alta rentabilidade, seguidos pela garantia da não necessidade de conhecimento acerca de investimentos e de baixo risco.

Percebe como é um assunto importante? Isso também é Educação Financeira. Portanto, caso surjam oportunidades garantindo alta rentabilidade de forma fixa e com baixo risco saiba que é fraude! A possibilidade de lhe oferecerem um investimento criminoso é enorme. Já vimos histórias como essas acontecerem em nossa cidade: vêm empresas, causam grande alvoroço e somem com o dinheiro do nosso povo. Situações assim já aconteceram e podem estar prestes a acontecer outra vez.

Fique muito atento, pois minhas preocupações não podem tomar decisões por você.

Publicidade
TAGS:

Gabriel Alves

Educação Financeira

CEO da empresa Delta, de consultoria, Gabriel escreve sobre economia e finanças e dá dicas de inteligência no gerenciamento de gastos e de como conquistar o equilíbrio entre desejo de aquisições e controle emocional para otimizar as despesas.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.