Voos da capital para o litoral do estado reforçam retomada do turismo

Empresa aérea vai operar em cinco municípios. Proximidade com Friburgo gera expectativa com a vinda de mais turistas
sexta-feira, 27 de novembro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Voos da capital para o litoral do estado reforçam retomada do turismo

A retomada do turismo do Estado do Rio deverá contar com um reforço. A empresa Azul Linhas Aéreas passará a operar com voos comerciais regulares para Angra dos Reis, Paraty e Búzios, saindo de São Paulo, Minas Gerais e do aeroporto Santos Dumont, no Rio. A companhia também aumentará a oferta de voos para Cabo Frio. O anúncio foi oficializado esta semana no Palácio Guanabara, em um encontro de diretores da empresa com o governador em exercício Cláudio Castro e prefeitos dos quatro municípios da Costa do Sol e da Costa Verde. A novidade pode beneficiar Nova Friburgo e demais municípios serranos.

A iniciativa faz parte da campanha Verão Azul Conecta. Entre 14 de dezembro e 31 de janeiro de 2021, a companhia terá voos de Congonhas para Angra e Paraty; do Santos Dumont para Angra e Búzios; e de Belo Horizonte para Búzios.  Essas cidades são os principais destinos procurados pelos turistas no verão. Com capacidade para nove passageiros, as aeronaves vão realizar 38 voos diários. “O aumento da oferta de voos para o litoral fluminense no verão, além de aquecer o turismo, vai gerar mais empregos”, afirmou o governador Cláudio Castro.

O turismo foi um dos setores mais impactados pela pandemia da Covid-19 e, desde março, o Governo do Estado tenta estruturar a retomada das atividades, seguindo todos os protocolos sanitários. A secretária de estado de Turismo, Adriana Homem de Carvalho, ressalta que essa parceria será importante na recuperação da economia do turismo nas regiões da Costa do Sol e Costa Verde.

“Esse projeto também incentiva os turistas a buscarem destinos no estado do Rio que não tinham essa conectividade. Angra dos Reis, Paraty, Búzios e Cabo Frio são muito procurados por causa das belíssimas praias. A possibilidade de acessar essas cidades por transporte aéreo vai otimizar o tempo de deslocamento e incentivar a escolha desses destinos, assim como regiões próximas”, destacou a secretária. 

Já o secretário estadual de Transportes, Delmo Pinho, lembrou que o turismo incentiva o desenvolvimento regional e acrescentou que há planos para ampliar voos a outras regiões fluminenses. “A aviação no turismo é um fator de desenvolvimento, pois oferece um transporte seguro e mais rápido. A aviação impacta diretamente no turismo, promovendo empregabilidade, melhores taxas de ocupação hoteleira, movimenta restaurantes e táxis. Vamos trabalhar para equipar melhor os aeroportos do estado, em parceria com o Governo Federal, e vamos desenvolver meios de atender outros destinos, como Resende, que é um local turístico e industrial”, afirmou. 

O diretor de relações institucionais da Azul, Marcelo Bento, contou que atender regiões litorâneas do Rio já estava nos planos da empresa. “Este ano foi possível realizar projetos que estavam em estudo há algum tempo, como atender Angra, Paraty e Búzios. Agora temos condições de operar aviões capazes de acessar esses três aeroportos. Cabo Frio já fazia parte da nossa rota, mas a novidade são os voos de grande porte, com 118 assentos, vindos de Congonhas”, ressaltou.

Turismo consciente

Devido à pandemia, o estado do Rio está inserido na campanha Turismo Consciente para ajudar a fomentar o setor no estado, considerando todas as orientações da Secretaria de Saúde. A iniciativa estimula os estabelecimentos de hospedagem, restaurantes e atrações para a retomada das atividades e reforça a necessidade de realizar os serviços de forma ordenada e protegida.

 O Rio de Janeiro conta ainda com o selo Turismo Consciente, que orienta empresas do setor a adotar em suas rotinas as recomendações sanitárias. Os prestadores de serviços turísticos podem se cadastrar no site www.turismoconscienterj.com.br para ter acesso ao manual ‘10 Mandamentos para o Turismo Consciente’, em que há os critérios para obter do selo.

Circuito Serramar

A implantação do eixo rodoviário de Nova Friburgo, sob a gestão do ex-prefeito Heródoto Bento de Mello, sem o qual seria inviável o acesso ao centro urbano da cidade serrana e sua ligação aos municípios do Centro-Norte teve consequências positivas para o município. A concretização desse eixo resultou na construção do viaduto Geremias de Mattos Fontes e a Queijaria Suíça de Nova Friburgo, que nos aproximou do Canton de Fribourg e, ainda, a Escola Agrícola Rei Alberto I, do Instituto Ibelga: Bélgica-Nova Friburgo.

Ao final da década de 1960, ainda como prefeito, Heródoto concebeu o Circuito Serramar, realizando as diversas etapas para a concretização de um anel rodoviário, unindo cidades do estado, interligando-as entre as regiões litorâneas, desde a capital a Búzios, Cabo Frio, Macaé, Rio das Ostras, além das serranas Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis, interligadas por rodovias estaduais, a partir da conclusão do trecho da RJ-142 (Lumiar-Casimiro de Abreu), encurtando em 100 quilômetros a viagem a Rio das Ostras.

Em função dessas obras, é possível esperar que turistas de vários estados, assim como de outros países, possam se aproximar ainda mais da serra carioca. O município está a menos de três horas da capital e da região dos lagos, principais destinos dos turistas.

 

LEIA MAIS

Prefeitura reafirma em sua página oficial que, como medida de controle da Covid no balneário, é proibida a permanência de pessoas nas areias

Em Búzios, fiscais frustram festa secreta para 110 pessoas em barco. Já prefeitura do Rio proíbe festas de réveillon em todas as praias da capital

“Rio, o seu melhor presente” pretende estimular prestadores de serviços a concederem descontos aos visitantes

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Turismo