Reforma tributária prevê taxas menores, isenções e dilatação de prazos de pagamento

Objetivo é estimular empreendimentos dentro da legalidade em Friburgo, gerar empregos e facilitar recebimento de dívidas pelo município. Confira as propostas
quarta-feira, 24 de novembro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A apresentação do projeto, na Câmara, nesta segunda (Reprodução da web)
A apresentação do projeto, na Câmara, nesta segunda (Reprodução da web)

O projeto de reforma tributária de Nova Friburgo articulado entre a prefeitura e a Câmara dos Vereadores prevê reduções de tributos e taxas, isenções fiscais em alguns casos e dilatação de prazos de pagamento que pretendem beneficiar sobretudo empreendedores, taxistas, feirantes e inscritos na Dívida Ativa. 

O objetivo, segundo a comissão, é estimular novos empreendimentos dentro da legalidade, com geração de empregos, e facilitar o recebimento de dívidas tributárias pelo município, em um cenário econômico afetado pela pandemia de Covid-19. 

O projeto já está tramitando como lei complementar e deve ser votado até o fim do ano, para que passe a valer a partir de janeiro de 2022.

Questionado sobre possível perda de receitas, o prefeito Johnny Maycon disse que o município está buscando um equilíbrio fiscal e um aperfeiçoamento do Código Tributário, com arrecadação de dívidas que hoje não estão sendo pagas. Ele admitiu que o projeto poderá passar por ajustes no fim de 2022.

Atingir um equilíbrio, com justiça fiscal e sem prejudicar a arrecadação, foi uma das preocupações da comissão especial, integrada pelos vereadores Max Bill, Christiano Huguenin, Isaque Demani, Joelson do Pote e Zezinho do Caminhão, que apresentou as propostas na última segunda-feira, 22 (acesse o vídeo da TV Câmara aqui).

A seguir, as principais alterações propostas:

  • ITBI: aumento do prazo de parcelamento de três para até seis vezes.

  • Multa para execução de obra sem licença ou em desconformidade: hoje fixada em 1.400 Ufirs (R$ 5.187,42), passaria a ser individualizada caso a caso, limitada a 20% do valor devido a título de Taxa de Fiscalização de Execução de Obras.

  • Taxa de Fiscalização de Localização, Instalação e Funcionamento: redução da cobrança em 50% no primeiro ano e em 25% no segundo ano, com o objetivo de incentivar novos estabelecimentos comerciais.

  • Microempreendedores individuais: isenção da Taxa de Fiscalização de Atividade Ambulante, Eventual e Feirante, assim como da Taxa de Fiscalização de Uso de Área Pública, a fim de incentivar o empreendedorismo.

  • Taxa de Fiscalização de Veículo de Transporte de Passageiro (TFT): redução de 40% para taxistas e motoristas de aplicativos, de 65 Ufirs (R$ 240,84) por veículo e por ano para 39 Ufirs (R$ 144,51).

  • Taxa de Publicidade e Propaganda (TPP): o Código Tributário atual prevê elevados valores, principalmente para os painéis de LED (um único chega a custar mais de  R$ 9 mil por ano). O projeto prevê uma nova tabela, com valores que atendem à realidade do município, modificando toda a forma de cobrança, atentando também para a metragem. Além disso, está sendo proposta a possibilidade de pagamento anual e mensal, com os valores anuais equivalente a dez meses, como forma de incentivar a preferência pela anualidade.

  • Dívida Ativa: aumento do prazo de parcelamento de débitos  de 36 para até 60 parcelas.

LEIA MAIS

Governo do Estado prevê publicação de edital em janeiro e reinício das obras na unidade em fevereiro

Cidade ficou em 158º lugar entre 411 municípios com mais de 80 mil habitantes; no score do funcionamento da máquina pública, despencou 111 posições

Prefeito assina termo de cooperação técnica e estado deve agora lançar licitação para obra de R$ 15 milhões que promete acabar com alagamentos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Governo