Profissões em alta durante a pandemia da Covid-19

Conheça também as atividades com maior risco de contágio
sexta-feira, 01 de maio de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Profissões em alta durante a pandemia da Covid-19

Com a pandemia global de Covid-19, muitos profissionais temem perder o emprego ou enfrentam dificuldades em encontrar um novo trabalho. No entanto, muitas posições também estão se abrindo para lidar com a crise. Segundo um levantamento feito pela plataforma Glassdoor, eles identificaram 20 delas, com base no número de novas vagas publicadas na plataforma nas últimas semanas. 

Os números traduzem a elevada demanda por cargos ligados à área da saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos de laboratório. Os setores de logística e comércio também aparecem na lista, bem como trabalhos que podem ser realizados de maneira remota, como atendimento ao cliente e telemarketing. Com diversas cidades cumprindo quarentena, também cresceu a demanda por entregadores e motoboys. Confira os dados com base no último dia 6 de abril: 

 

  • Médico: 12.514 vagas;

  • Atendimento ao cliente: 9.815;

  • Enfermeiro: 2120;

  • Técnico de Enfermagem: 1.506;

  • Auxiliar de Logística: 1.192; 

  • Farmacêutico: 963; 

  • Operador de caixa de loja: 919;

  • Estoquista: 844; 

  • Operador de telemarketing: 829;

  • Auxiliar de enfermagem: 829;

  • Analista de logística:792;

  • Assistente de logística: 533

  • Técnico de laboratório: 464;

  • Líder de logística: 432;

  • Operador de loja: 332;

  • Supervisor de logística: 235;

  • Entregador: 219;

  • Repositor de mercadorias: 149;

  • Psicólogo organizacional: 134;

  • Motoboy: 128. 


 Profissões com maior risco de contágio de coronavírus 

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) mapearam o risco de contaminação de trabalhadores brasileiros durante a pandemia do coronavírus. Os levantamentos levam em questão as atividades profissionais e o grau de vulnerabilidade diante da Covid-19. Segundo o estudo, 2,6 milhões de profissionais da área de saúde apresentam risco de contágio acima de 50%; os mais vulneráveis do grupo são os técnicos em saúde bucal (12.461 profissionais), que apresentam 100% de risco de contágio pela proximidade física com os pacientes. 

Comerciantes, incluindo varejistas e operadores de caixa, apresentam 53% de risco de contágio; eles somam cerca de 5 milhões de trabalhadores em todo o país. O estudo também aponta que, caso as aulas não tivessem sido suspensas, professores estariam com índice de risco acima de 70%. 

Entre os trabalhadores menos vulneráveis estão os que exercem atividades "de forma quase solitária", segundo o estudo. O levantamento destaca os 14.215 operadores de motosserra, que trabalham, em maioria, nas áreas rurais e apresentam risco de 18%. Outros com menor probabilidade de contágio, com média de 19%, são roteiristas, escritores, poetas, e outros que integram os setores artísticos.

 

LEIA MAIS

No Brasil, estima-se que existam 920 mil pessoas vivendo com o virus HIV

Será aplicada a primeira dose em adolescentes a partir de 12 anos e em adultos a partir dos 18

Setor de serviços foi o que teve maior geração de postos de trabalho, segundo o Novo Caged, do Ministério do Trabalho e Previdência

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra