PM frustra evento clandestino que seria realizado no Alto do Floresta

Polícia também promete investigar os responsáveis por realização de baile funk no Cordoeira
segunda-feira, 28 de dezembro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O bailão do Cordoeira: multidão sem máscaras (Foto de leitores)
O bailão do Cordoeira: multidão sem máscaras (Foto de leitores)

Na noite de Natal, uma aglomeração de pessoas devido a um baile funk no Cordoeira foi amplamente divulgada nas redes sociais de Nova Friburgo. O fato chocou moradores de diversos bairros e causou indignação nos nossos leitores após as principais autoridades do município e do estado proibirem qualquer evento social, por conta da pandemia do novo coronavírus.

Diante das muitas reclamações de moradores da localidade, além dos friburguenses de uma maneira geral, houve quem questionasse a ausência de fiscalização por parte das forças policiais.

A VOZ DA SERRA entrou em contato com o 11º BPM pedindo explicações sobre o ocorrido. Antes de abordar o assunto sobre o bairro do Cordoeira, a polícia explicou que tem recebido diversas denúncias de festas clandestinas e tem atuado para combater a realização desses eventos.

Como exemplo, no mesmo momento em que acontecia o baile funk no Cordoeira, outra festa clandestina estava marcada no Alto do Floresta. “Diante da informação, foi planejada uma ação policial, do tipo ocupação, com a finalidade de evitar a realização do evento, na medida em que o decreto  820 de 4 de dezembro de 2020  proíbe aglomeração de pessoas. O planejamento prescrito em ordem de policiamento foi encaminhado ao comando intermediário do 7º Comando de Policiamento de Área e comunicado ao Ministério Público de Nova Friburgo”, informou a Agência de Inteligência do 11º BPM.

Durante a execução da ação policial, às 10h do dia 24, policiais militares do 11º BPM interceptaram um caminhão com equipamento completo de som para a realização do  evento. O condutor do caminhão, que informou ser o proprietário do equipamento de som, foi informado pelos policiais de que eventos que envolvem aglomeração de pessoas estão proibidos em razão de medida sanitária.

O proprietário do equipamento foi qualificado e liberado no local, sendo realizado boletim de ocorrência e posterior relatório ao MP com as informações obtidas e medidas adotadas. “Importa esclarecer que o pretenso evento que ocorreria de forma irregular foi frustrado de forma absolutamente pacífica, realizando de fato a prevenção”.

“Entretanto, no dia 25 de dezembro de 2020, tomamos ciência da realização de um baile funk no Cordoeira, que em função do desconhecimento, não pôde ser evitado, o que não significa que seus organizadores não serão identificados e responsabilizados pelo descumprimento de dispositivo legal de ordem sanitária”, continuou a nota.

A Agência de Inteligência do 11º BPM também informou que a integração entre as Polícias Militar e Civil, representadas pelo 11º BPM e pela 151ª DP, permite maior eficácia nas ações policiais, que trabalham de forma conjunta e harmônica.

LEIA MAIS

UTI do Raul Sertã exculsiva para o tratamento da doença volta a lotar

Entre esta quarta e sábado seriam contemplados adultos de 28 a 33 anos; aplicação de segunda dose, no entanto, prossegue

Lote repassado aos municípios, incluindo Nova Friburgo, contém as vacinas Astrazeneca, Coronavac e Pfizer

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra