Frizão leva gol no fim e deixa escapar vitória para o América

Como jogo entre Nova Iguaçu e Americano também terminou empatado, seguem todos em igualdade
terça-feira, 21 de janeiro de 2020
por Vinicius Gastin
Partida começou truncada, com o Friburguense mais perigoso no segundo tempo
Partida começou truncada, com o Friburguense mais perigoso no segundo tempo

Tudo parecia controlado no Eduardo Guinle. O Friburguense fazia um bom jogo, havia marcado dois belos gols com Jorge Luiz e tinha a estreia vitoriosa no Grupo X encaminhada. Contudo, bastaram duas desatenções na bola alta para o triunfo escapar, diante de um América modificado e persistente até o minuto final, exatamente quando alcançou o 2 a 2. 

O Tricolor deixa dois pontos importantes em casa, mas dos males, o menor: o jogo entre Nova Iguaçu e Americano também terminou empatado, e por isso, todos seguem em igualdade na tabela de classificação.

O Frizão volta a campo pelo Grupo X no próximo sábado, 25, quando viaja para enfrentar o Nova Iguaçu. A partida acontece às 15h, no estádio Jânio de Moraes, o Laranjão.

O jogo

A primeira vitória no Estadual trouxe ao Friburguense mais tranquilidade, confiança para enfrentar os desafios do Grupo X e consolidou algumas mudanças no time titular. Para o duelo com o América, o técnico Cadão manteve Magrão entre os titulares, assim como Lucas, que já havia conquistado a posição nas rodadas finais da Seletiva. Com Raniel pelo lado direito, o Tricolor se defendia com três zagueiros, e na hora de atacar, contava com Toshyia mais aberto pela ponta. 

O América, por sua vez, veio com técnico novo e algumas peças diferentes para Nova Friburgo. Os dois times começaram o jogo brigando por todas as divididas, e se os visitantes levaram perigo ao gol de Afonso aos cinco minutos, o Frizão respondeu na escapada de Lucas, que tentou achar Dedé na grande área. A zaga americana se antecipou e fez o corte. Não foram poucos os passes errados de ambos os lados, e por conta disso, a transpiração não se traduziu em inspiração no Eduardo Guinle. 

O cenário quase mudou aos 14 minutos, quando Jorge Luiz foi acionado pelo lado esquerdo e cruzou rasteiro para Toshyia desviar. A bola, caprichosamente, passou rente à trave direita de Deola. Antes do tempo técnico, Dedé recebeu em profundidade e tentou de perna canhota, para a defesa de Deola. 

O camisa 9 do Friburguense, ainda em busca do primeiro gol na temporada, passou perto novamente aos 25 minutos: Jorge Luiz cobrou falta da intermediária, Dedé desviou e Deola fez bela defesa. O lado esquerdo continuava a ser a principal opção ofensiva do Tricolor, num jogo bastante amarrado pelas faltas e atendimentos médicos. 

Numa das poucas chegadas pela direita, aos 33, Toshyia teve a chance do chute, mas errou o alvo. Quando exigido em cobrança de falta, aos 38, Afonso foi seguro para evitar o tento do América. 

Quem esteve sempre mais perto do gol na primeira etapa, entretanto, foi o Friburguense: aos 44, Jeffinho recebeu no fundo e rolou para trás. Jorge Luiz emendou de perna direita no contrapé de Deola, e a bola tirou tinta do ângulo. Era o calibre para, com a esquerda, o “maestro” acertar lindo chute no último lance, abrir o placar e fazer justiça aos primeiros 45 minutos.

Segundo tempo

Jorge Luiz continuou com a pontaria afiada depois do intervalo. Bastaram dois minutos para Toshyia e Dedé tramarem pela direita, a bola atravessar a área e cair nos pés do capitão tricolor. Novamente com a canhota, Jorge acertou chute inapelável para Deola e ampliou o marcador.

Toda a estratégia montada por Álvaro Gaia nos vestiários teve que ser revista, e a primeira alteração do América foi feita com cinco minutos de bola rolando. A tentativa de tornar o time mais ofensivo surtiu efeito imediato, mas Afonso apareceu bem novamente para evitar o primeiro gol rubro. 

Pouco depois, contou com a sorte no erro do atacante carioca, e quando exigido novamente, aos 17 minutos, deu um tapinha na bola para seguir invicto na partida. 

Um raro descuido da defesa tricolor, por muito pouco, não resultou no gol que poderia recolocar o América na partida. Mais uma vez, o goleiro Afonso apareceu de forma decisiva num primeiro momento, e contou com o erro do atacante carioca no rebote. Foi o suficiente para Cadão mexer na equipe pela primeira vez, e tentar oxigenar o ataque com a entrada de Jhonatan. 

Logo nos primeiros instantes, ele e Dedé se entenderam bem, e o Tricolor produziu duas boas jogadas, mas que não resultaram em finalizações. O América, por sua vez, utilizou a bola alta para diminuir o marcador com Emerson, aos 31 minutos.

Ziquinha e Estevão foram as duas outras modificações no Friburguense. A equipe visitante cresceu na partida, passou a ter posse de bola e arriscou inúmeros lançamentos longos na direção da grande área. Aos 40 minutos, Afonso voltou a aparecer, fez boa defesa e impediu o empate. 

A resposta do Frizão veio pelo alto, através de escanteio cobrado por Ziquinha e escorado por Bruno, para a defesa de Deola. Raniel ainda tentou no rebote, mas bateu para fora. O América se atirou ao ataque para a pressão final, abusou das bolas levantadas para a grande área e acabou encontrando o empate aos 49 minutos, com Lucão. 

O goleiro Afonso chegou a tocar na bola, e houve reclamação de que ela não teria entrado por completo. A arbitragem, entretanto, confirmou o gol que deixa um gosto amargo para quem praticamente já computava os três pontos.

 

Ficha Técnica

Friburguense 2x2 América

Campeonato Carioca Série A 2020

Grupo X – 1ª rodada

18/01/2020 - 15h

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

Renda: R$ 4.080,00

Público: 383 presentes

Árbitro: Daniel Victor Costa Silva

Assistentes: Rachel de Mattos Bento e Fabiana Nobrega Pitta

 

Friburguense: Afonso; Raniel, Bruno, Magrão e Ricardo (Estevão); Diogo Alves, Jorge Luiz, Jeffinho e Lucas (Jhonatan); Toshyia e Dedé (Ziquinha).

Técnico: Cadão

América: Deola, Paulinho, Lucão, Emerson e Christianno; Knupp (Felipe Araújo) Tiago Corrêa, Anderson Künzel e Flamel (Guilherme Silveira); Bruno Veiga (Marquinhos do Sul) e Breno.

Técnico: Álvaro Gaia

 

LEIA MAIS

Tradicional equipe da Zona Norte do Rio pode voltar a ser adversária do Friburguense em 2022

Paduano é uma das equipes que seguem na briga pelo título e acesso

Siqueira pontua mudanças no futebol e traça planos para “mudar” a imagem passada pelo time

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol