Frizão é derrotado pelo Americano e perde chance de assumir liderança do Grupo X

Pouco ofensivo, Tricolor da Serra também sofreu com desatenções na defesa e acabou derrotado por 2 a 1
quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
por Vinicius Gastin
Jogadores do time de Campos comemoram um dos gols: vitória em Nova Friburgo embola classificação
Jogadores do time de Campos comemoram um dos gols: vitória em Nova Friburgo embola classificação

 Naquela que foi, seguramente, a atuação mais fraca nesta fase do Grupo X, o Friburguense não conseguiu manter o embalo das partidas anteriores. Sem a mesma produtividade ofensiva, o Tricolor da Serra também sofreu com desatenções na defesa e acabou derrotado pelo Americano por 2 a 1. A partida aconteceu na tarde da última quarta-feira, 5, no Eduardo Guinle.

Com o resultado o Tricolor da Serra soma quatro pontos no Grupo X, a mesma pontuação de todos os adversários, após a vitória do Nova Iguaçu sobre o América por 2 a 1. Neste sábado, 8, a equipe comandada por Cadão viaja para enfrentar o América, às 15h, no Giulite Coutinho. Nova oportunidade para tentar assumir a liderança desta etapa do Campeonato Carioca.

O jogo

O Friburguense teve dez dias de preparação desde a vitória contra o Nova Iguaçu, no Laranjão. A folga no calendário para as equipes do Grupo X poderia indicar um tempo precioso para o acerto de detalhes, e no caso do Tricolor da Serra, a oportunidade para ajustar uma equipe em franco crescimento na competição, mas que perdeu o goleiro Otávio, para o Toledo-PR, e Dedé para o Ferroviário, do Ceará. Embora não tenha balançado as redes, o centroavante era o titular do ataque. Para o Americano, o período também foi movimentado: após a goleada sofrida contra o América, o técnico Josué Teixeira foi demitido e Rafael Soriano contratado. 

No duelo entre a continuidade e o novo trabalho, o Frizão teve o primeiro contratempo antes mesmo de a bola rolar. Lucas sentiu lesão durante o aquecimento, e acabou substituído na escalação por Rodriguinho. Um atacante pelo outro, mantendo assim a mesma característica tática e a postura das últimas partidas. 

O Friburguense tomou a iniciativa, mas com a bola dominada, o Americano foi agressivo nos primeiros instantes. Foram duas chegadas perigosas em cinco minutos, e aos dez, após cobrança de falta de Maradona, Gonçalves ganhou a dividida com a zaga e abriu o marcador em Nova Friburgo.

O Tricolor, pouco inspirado na primeira etapa, não conseguiu produzir o suficiente para ameaçar a meta do time de Campos. Jhonatan encontrou dificuldades contra a marcação alvinegra, enquanto as movimentações de Toshyia e Rodriguinho pelas pontas surtiram pouco efeito.

Aos 37 minutos, o japonês até deu sequência a um ataque, mas que não resultou em finalização. Os jogadores reclamaram de pênalti em cima de Jhonatan, ignorado pelo árbitro João Ennio Sobral. A resposta do Americano veio aos 40, em boa jogada de Maradona e conclusão de Vandinho sem direção, praticamente sem goleiro. 

Na base da persistência e através da bola alta, o Friburguense encontrou o gol de empate aos 43 minutos: após cobrança de falta de Jeffinho, Magrão subiu mais que a defesa campista e venceu o goleiro Patrick.

Segundo tempo

Os dois times voltaram sem alterações para o segundo tempo, e assim como em boa parte da etapa inicial, o Americano foi mais perigoso nos primeiros minutos. Maradona foi acionado e bateu cruzado, a bola resvalou a trave de Afonso e saiu pela linha de fundo. 

O Friburguense, embora tenha sofrido com o susto, entrou no jogo mais rapidamente na comparação com os 45 minutos anteriores. O maior repertório de jogadas das duas equipes tornou a partida dinâmica: se o Tricolor apostava na articulação de Jorge Luiz, o alvinegro tinha no talento de Cláudio Maradona a principal arma. 

Aos 13, o atacante limpou a marcação, passou por Afonso e bateu de perna direita. Magrão se atirou na bola e evitou o segundo gol visitante. Aos 17 minutos, não teve jeito: Gabriel apareceu na grande para complementar o cruzamento de Maradona e recolocar o Cano na frente do marcador.

A primeira alteração promovida por Cadão foi por consequência da lesão sofrida pelo zagueiro Magrão. Na busca pelo resultado, o treinador optou pela entrada de Estevão, desfazendo assim o esquema com três zagueiros. Na busca pelo gol de empate, o Friburguense reclamou de novo pênalti, em jogada envolvendo Jorge Luiz na grande área.

Com o passar do tempo o Americano recuou, e o Tricolor passou a ocupar mais o campo ofensivo. Uma boa chance surgiu aos 32 minutos, em falta nas proximidades da meia-lua. Jorge Luiz cobrou sobre a barreira, e a bola passou muito perto do travessão.

O Frizão passou a ter a presença de área do centroavante Vinicius nos dez minutos finais. A partir de um erro do goleiro Patrick, Toshyia quase conseguiu finalizar, mas Espinho apareceu bem para cortar. Na sequência do lance, Bruno tentou aproveitar a cobrança do escanteio e parou na barreira alvinegra montada à frente da meta. 

Aos 45 minutos, Jorge Luiz perdeu chance cristalina, em lance já paralisado pela arbitragem. Na última bola, a cabeçada para fora do ataque friburguense decretou a derrota em casa.

 

Ficha Técnica: 

Friburguense 1 x 2 Americano

Campeonato Carioca Série A 2020

Grupo X – 3ª rodada

5/02/2020 - 15h

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

Árbitro: João Ennio Sobral

Assistentes: Diogo Turco e Gilberto Pereira 

 

Friburguense: Afonso; Raniel, Bruno Leal, Magrão (Estevão); Diogo, Jeffinho (João Victor), Rodriguinho, Ricardo (Vinicius), Jorge Luiz; Toshyia e Jhonatan.

Técnico: Cadão

Americano: Patrick; Espinho, Gabriel e Gonçalves (Tonolli); Sanderson, Abuda, Gean Miller, Alex Pixote e Vandinho; Romário e Cláudio Maradona.

Técnico: Rafael Soriano

 

LEIA MAIS

Paduano é uma das equipes que seguem na briga pelo título e acesso

Siqueira pontua mudanças no futebol e traça planos para “mudar” a imagem passada pelo time

Com a parte social estável, desafio é apoiar o futebol do clube nos próximos três anos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol