Friburgo finalmente vai ter "castramóvel" para cães e gatos

Intenção da prefeitura é usar veículo de R$ 120 mil para esterilizar entre 80 e 100 animais por mês, entre domésticos e de rua
quarta-feira, 02 de setembro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Friburgo finalmente vai ter "castramóvel" para cães e gatos

Uma publicação no Diário Oficial eletrônico do município desta terça-feira, 1º, agradou em cheio os amantes e protetores dos animais de Nova Friburgo. De acordo com o ato oficial, no próximo dia 21 será realizado pregão eletrônico para aquisição de unidade móvel de esterilização de animais de pequeno porte (gatos e cachorros) – Castramóvel – para atender às necessidades da Subsecretaria de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde. A estimativa de preço é de R$ 120 mil.

Segundo apurado por A VOZ DA SERRA, Nova Friburgo conta atualmente com uma população de aproximadamente 40 mil cães e gatos, no entanto, segundo nota enviada pela prefeitura, a ideia é castrar por mês entre 80 e 100 animais, entre domésticos e de rua. O veículo Castramóvel, que será comprado e ficará a disposição do município, necessita de quatro profissionais para funcionar de maneira plena, sendo um veterinário, um técnico em enfermagem, um assistente e um auxiliar de serviços gerais.

Ainda de acordo com o Governo Municipal, o serviço será oferecido em um ponto fixo, com a possibilidade de deslocamento até os bairros de difícil acesso. No entanto, de acordo com o termo de referência que consta no Portal da Transparência, a compra “justifica-se pela necessidade de implantar o serviço de castração itinerante nos bairros do município onde a população animal cresce de forma desordenada. Esta aquisição tem por finalidade assegurar o controle de zoonoses no município, fortalecendo o serviço da Vigilância em Saúde”.

Uma antiga reivindicação

A demanda é antiga das ONGs e protetores de animais do município, que enfrentaram dificuldades nos últimos quatro anos sem a prestação do serviço através do poder público. Segundo Luanne Moliari, integrante do Grupo SOS Protetores Nova Friburgo, as poucas iniciativas nos últimos anos foram promovidas por ONGs ou protetores de animais, que custearam as campanhas através de doações ou até mesmo do próprio bolso.

“A gente sofreu bastante com isso nesses últimos quatro anos. Somente neste ano fizemos diversas castrações, mesmo assim não foram suficientes para suprir a demanda. Isso com algumas pessoas castrando por conta própria, pagando do próprio bolso. Mesmo assim, infelizmente não foi o suficiente para controlar a população de cães de rua, que é muito grande ainda em Friburgo”, disse Luanne, que completou: “A principal ação que esperamos do poder público é a castração dos animais, afinal de contas é um controle de saúde também, e a vacinação de controle da raiva, que não foi realizada nos últimos dois anos”, afirmou.

Ela reforça a importância da castração de cães e gatos para o controle populacional das espécies e torce para que o serviço seja disponibilizado ainda neste ano, já que a demanda é grande e quanto mais o tempo passa sem nenhuma ação concreta nesse sentido, o problema se agrava.

“A gente se desdobra e faz o máximo que pode. O Grupo SOS, por exemplo, não tem abrigo, por isso, fica difícil recolher os animais. Mesmo os que têm abrigo, não tem mais espaço disponível. Sabemos que não há como abrigar todos os animais, mas castrando e mantendo-os na rua, já que muitos cães vivem bem na rua sob cuidados básicos comunitários, seria de extrema importância para que as ONGs tivessem uma redução de gastos, de modo a poder investir em outras campanhas”, revelou Luanne, que finalizou: “Que isso (castração de cães e gatos) saia logo, ainda esse ano, para que a gente tenha um controle populacional maior de cães e gatos de rua aqui em Nova Friburgo”, observou. 

 

LEIA MAIS

Nilcea Silva vende alimentos na rua para manter abrigo, mas renda não é suficiente

Somente no domingo, militares combateram fogo em vegetação em Riograndina e resgataram preguiça nas Braunes, além de gambá e duas cobras

Condenação pode chegar a cinco 5 anos de prisão. Antes, punição máxima era multa e um ano de detenção

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: pets