Covid em Friburgo: média móvel de novos casos cresceu 40% nas últimas 2 semanas

Apesar do susto pela notificação de 152 novos casos em 2 dias, volume de internações e de óbitos se mantêm baixos, o que, por enquanto, ainda é um bom indicativo
quinta-feira, 26 de novembro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Pessoas de máscara na Praça Getúlio Vargas nesta quarta-feira (Foto: Henrique Pinheiro)
Pessoas de máscara na Praça Getúlio Vargas nesta quarta-feira (Foto: Henrique Pinheiro)

A divulgação do Boletim Coronavírus pela Prefeitura de Nova Friburgo no início da noite da última terça-feira, 24, acendeu um alerta na cidade e fez os friburguenses refletirem. Em apenas um dia (de segunda-feira, 23, para terça, 24) foram contabilizados 95 novos casos de Covid-19, número bem acima do que vinha sendo registrado nos últimos meses. Ontem, 25, a prefeitura confirmou que mais 57 pacientes testaram positivo para a Covid-19 em Nova Friburgo. Os dados chamam a atenção, sobretudo porque já se aproximam dos números apurados no pico da pandemia, entre o final de julho e o mês de agosto.  

De acordo com informações disponibilizadas no ‘Painel Covid’ da Associação Comercial Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (Acianf), que pode ser acessado pelo link http://painelcovid.acianf.com.br/ – e contém dados mais robustos e completos que o mesmo sistema oferecido pelo governo municipal, cujo link é https://covid19.novafriburgo.rj.gov.br/ –, a média de novos casos registrados no município na semana compreendida entre os últimos dias 18 e 24 foi de 259 casos de Covid-19, contra 178 contabilizadas na semana anterior, dos dias 11 à 17 de novembro.

Essa média de novos casos semanais é a quarta maior desde o início da pandemia, perdendo apenas para o período de 19 à 25 de agosto, que teve 315 casos; a segunda semana de maior contágio na cidade foi entre 29 de julho e 4 de agosto, com 277 casos; e em terceiro a semana entre 12 e 18 de agosto, que registrou 275 novos casos. Ou seja, há cerca de três meses - desde o fim de agosto – Nova Friburgo não registra números tão altos de novos casos da doença.

Outro dado que chama atenção é a média móvel de novos casos dos últimos 14 dias (um dos cinco indicadores utilizados pela prefeitura para aferir a cor da bandeira da flexibilização da economia que será adotada). Na última terça-feira, 24, a média móvel de novos casos era de 31 por dia, maior número registrado nas últimas duas semanas.

Unimed divulga alerta

Mesmo a bandeira da flexibilização permaneça amarela, pelo menos, até a próxima segunda-feira, 30 – na próxima sexta-feira, 27, será anunciado o estágio de restrição que será adotado nas duas semanas seguintes - o alerta foi ligado devido ao aumento de novos casos neste mês tomou proporção ainda maior quando, no fim da noite de terça-feira, 24, o Hospital Unimed divulgou um informe confirmando o avanço da doença e fez um apelo à população friburguense para que reforce os cuidados, de modo a frear a disseminação da Covid-19 e evitar danos maiores. No comunicado, a cooperativa de saúde Unimed alerta:

“Os casos de doentes com Covid-19 vem sofrendo significativo aumento ao longo de novembro, já alcançando o maior número de infectados desde o início da pandemia em um único mês. Devemos lembrar que esta é uma doença que ainda surpreende em muitos casos, acometendo de forma séria, ainda que em percentuais pequenos, mesmo pessoas jovens, sem portanto formar de maneira evidente os chamados grupos de risco”.

A Unimed reforçou também que a população deve redobrar os cuidados com medidas rígidas e frequentes de higiene, bem como o uso de máscaras e evitar frequentar locais com aglomeração ou que não estejam usando máscaras. O hospital salienta que está focado no aumento do número de leitos ofertados e que já suspendeu novamente as cirurgias eletivas, entre uma série de outras medidas.

Por fim, a Unimed reforçou que “este é o mês com maior número de casos, bem acima do recorde que aconteceu entre julho e agosto, e que isso se deve, ao menos em parte, ao relaxamento das ações de prevenção por parte da população em geral. Assim, reforçamos a necessidade urgente e séria da adoção sistemática das medidas preventivas”.  

A opinião de um especialista

Para o pesquisador Rafael Spinelli Parrilha, autor dos estudos que vêm embasando a retomada gradual e segura das atividades industriais e comerciais em Nova Friburgo, a Unimed prestou um grande serviço em dar esse alerta para que a população não relaxe. “Temos que continuar atentos. A pandemia ainda não acabou”, disse.

Segundo ele, a média móvel de 14 dias aumentou, pelos dados oficiais, em torno de 40%, mas o volume de internações e a quantidade de óbitos se mantêm baixos, o que, por enquanto, ainda é um bom indicativo. “Para que esses indicadores não evoluam negativamente, é essencial que a população siga as recomendações da nota publicada pela Unimed para reforçar a máxima atenção nas práticas de higiene e prevenção, uso de máscaras e não se aglomerar. Devemos nos manter alertas até que se tenha uma campanha efetiva para vacinação da população”, recomendou o especialista.

O que dizem os outros hospitais

Questionada por A VOZ DA SERRA através de email se emitiria alguma comunicado à população friburguense com um alerta e orientações a exemplo do que fez o Hospital Unimed, a Prefeitura de Nova Friburgo informou que, por enquanto, se manifestará sobre o tema apenas através dos boletins diários que já são emitidos.

Por telefone, conversamos com a direção do Hospital São Lucas, que confirmou um aumento entre 30% e 40% nos atendimentos o pronto socorro da unidade de saúde neste mês de novembro, no entanto, o número de internações segue na média dos últimos meses, sem aumento. De qualquer forma, o Hospital São Lucas também reforça que a população deve redobrar os cuidados de higiene, distanciamento seguro e isolamento social (para quem tem essa possibilidade), de modo a evitar a propagação da doença.

Por telefone e email também tentamos contato com o Hospital Serrano, no entanto, até o fechamento desta reportagem ainda não havíamos obtido retorno. 

Maus exemplos são frequentes

Cabe ressaltar que esse significativo aumento de novas infecções pela doença não está ocorrendo por acaso. O que não faltam pelas ruas da cidade são maus exemplos de como se prevenir contra a doença. É fácil encontrar máscaras usadas descartadas de qualquer maneira, inclusive no chão e nos bancos das praças, por exemplo. O uso de máscaras, inclusive, foi abandonado por diversas pessoas, apesar do decreto municipal ainda em vigência obrigar a utilização do acessório em qualquer espaço público, comércios, bares, restaurantes, etc.

A VOZ DA SERRA tem recebido com frequência através do Whatsapp (22 99213-9995) denúncias de pessoas e estabelecimentos que estariam desrespeitando as normas sanitárias impostas pelo Governo Municipal. São ruas e bares lotados, com aglomeração e clientes sem usar máscaras, casas de show que não estariam respeitando o limite de lotação, nem mesmo o horário de encerramento das atividades, entre outras irregularidades frequentes e que podem ser facilmente flagradas pela cidade. A fiscalização do cumprimento do decreto é outro ponto alvo de críticas por parte da população, que acredita que o Governo Municipal estaria fazendo “vista grossa” para determinadas infrações. 

 

LEIA MAIS

Megaoperação vai levar 5,5 milhões de unidades aos 92 municípios fluminenses em quatro dias

Administração pública coloca como prioritária o plano de retomada segura e gradual das aulas presenciais

Pelo quarto dia seguido, novos casos em 24h ficam acima de cem. Ocupação de leitos sobe para mais de 70%

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra