Casal de labradores abandonados em São Pedro vive um novo drama

Adotante que se interessou em ficar com os cães após a castração desistiu de levá-los
quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Bethânia está castrada e saudável, e ainda à espera um novo dono
Bethânia está castrada e saudável, e ainda à espera um novo dono

Dois meses depois, o casal de labradores abandonados de madrugada na rua, durante o Natal, em São Pedro da Serra vive o drama de um segundo descarte.  Segundo Jemari Tosé, voluntária do grupo  Ajuda Animal do distrito,  o adotante que se interessou em ficar com os cães após a castração desistiu de levá-los.

Belchior (foto abaixo) e Bethânia, como estão sendo chamados, estão vermifugados, vacinados e castrados, prontos para a adoção. Ele tem aproximadamente 1 ano e ela, 4 anos. Ambos são dóceis, carinhosos, alegres e saudáveis.

Desde que A VOZ DA SERRA noticiou o abandono, em 27 de dezembro,  eles estão em um lar temporário. O grupo tem outros dois  cães machos também aguardando adoção: Cacau e Pedro (ENTRE EM CONTATO COM O GRUPO CLICANDO AQUI).

Como os abandonos na cidade não cessam, o grupo tem ainda mais três cães recém-encontrados na rua e que ainda serão castrados. 

Cacau, por exemplo, (VEJA SOBRE ELE AQUI) tinha uma dona que não o queria mais, vivia preso, acorrentado com enforcador e esfomeado. E por isso vivia fugindo. Hoje está bem alimentado, também num lar temporário, convivendo com outros bichos, mas precisando de mais espaço.

Relembre o caso

Na madrugada do último domingo de 2020, uma família de labradores foi abandonada na rua, em São Pedro da Serra. Pai, mãe e filhotinha foram deixados em frente à padaria do Largo da Estrela, sem água nem comida.

A região é próxima da Estrada Serramar, um dos trajetos preferidos dos friburguenses em direção às praias, numa cena lamentável que se repete todos os fins de ano.

A filhote de cerca de 4 meses foi rapidamente adotada. Mas os pais continuaram na rua, famintos. Protetores de animais dos distritos de Lumiar e São Pedro conseguiram um lar temporário para acolhê-los. Faltava, e ainda falta, a adoção responsável definitiva.

Segundo Jemari, todas as casas dos protetores da região já estão ocupadas como lares temporários. Segundo ela, muito provavelmente os donos desses labradores  não são da região. Durante o lar temporário, o grupo de protetores ajuda o adotante provisório a arcar com despesas  como remédios, vacinas  e cirurgia de esterilização (castração).

Mais de 30 milhões no Brasil

Segundo dados da Agência Brasil, embora não haja estatísticas oficiais, uma estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que há mais de 30 milhões de cães e gatos em situação de abandono no Brasil.

A maioria dos animais abandonados não é resgatada e sofre com fome, doenças, exposição ao tempo, riscos de atropelamento e traumas. Além disso, animais abandonados nas ruas causam acidentes de trânsito, prejudicam o turismo e afetam a saúde pública.

Abandonar ou maltratar animais é crime previsto pela Lei Federal nº 9.605/98. Uma nova legislação, a Lei Federal nº 14.064/20, sancionada em setembro passado, aumentou a pena de detenção, que era de até um ano, para até cinco anos para quem cometer esse crime. Além disso, o rito processual passa à vara criminal, e não mais ao juizado especial.

Veterinários observam que a pandemia de coronavírus agravou o problema do abandono. Muitos casos têm acontecido por questões financeiras, já que as pessoas estão ficando sem recursos para cuidar de seus animais domésticos. 

 

 

LEIA MAIS

Falta de um canil público causa problemas na cidade

Secretaria de Agricultura e o RioSolidario participam da ação, que vai arrecadar tampinhas e óleo de cozinha para reciclagem

Prêmios serão doações de rações para instituições que acolhem cães e gatos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: PET